O que é balancete e por que você deve se dedicar a ele

Por admin

Se você já ouviu falar sobre balancete e acha que esse é um assunto que só interessa à gestão de empresas, é bom rever seu conceito.

Vida de investidor não é só ficar calculando seus próprios riscos, ganhos e despesas.

É preciso ir além, avaliando a saúde financeira das empresas em que investe.

Por isso, é necessário estar atento a diversos dados sobre as finanças dos negócios. Dentre eles, o balancete é uma fonte de importantes informações.

Neste artigo, você vai entender o que é esse demonstrativo e o que ele pode revelar sobre as empresas.

Acompanhe!

O que é balancete?

Para entender o que é balancete, primeiro, precisamos falar sobre ativos e passivos de uma empresa.

De forma simples, eles retratam bens, direitos a receber e obrigações a pagar que ela possui.

No Brasil, as empresas constituídas em sociedade têm que fazer o balanço patrimonial (BP) anualmente, de acordo com o artigo 1.078 do Código Civil – Lei Federal 10.406.

O objetivo é apurar os seus resultados econômicos no período.

Com o BP, é feito um levantamento de ativos e passivos, a fim de verificar a saúde financeira da empresa durante o último ano.

Para que seja considerado correto, as contas “têm que bater” e se igualar.

O balancete é uma demonstração contábil bastante semelhante ao BP.

A diferença entre ele e o balanço patrimonial é, basicamente, a sua desobrigação e o tempo menor a ser analisado.

No geral, o balancete é feito com base em períodos curtos (meses ou trimestres, por exemplo), enquanto o BP avalia, obrigatoriamente, todo o período que foi encerrado.

Importante dizer que a soma dos saldos devedores deve ser igual à soma dos saldos credores. Caso haja alguma desigualdade, é sinal de que há erros na contabilidade da empresa.

Assim, podemos dizer que o balancete é um “retrato” da saúde financeira do negócio naquele momento, sendo uma espécie de “minibalanço patrimonial”.

Por que fazer um balancete?

Como vimos, o balanço patrimonial é uma obrigação legal das empresas brasileiras. Mas que motivo leva um empreendimento a fazer um balancete de maneira recorrente?

Pense na seguinte situação: uma loja que vende seus produtos no crediário têm a receber cerca de R$ 15 mil dos clientes que utilizaram a modalidade de pagamento. O valor deve entrar nos próximos 3 meses.

A mesma empresa, no entanto, possui despesas que somam o valor de R$ 25 mil, as quais devem ser quitadas no mesmo período.

Ou seja, há uma diferença de R$ 10 mil entre os direitos a receber (o ativo circulante) e as obrigações de pagamento (o passivo circulante).

Um bom gestor já se antecipa e promove ações para arrecadar mais dinheiro, como a tomada de um empréstimo, para ser capaz de quitar esse valor no tempo devido.

Por outro lado, um hipotético investidor dessa empresa pode entender que, pelos próximos meses, a loja passará por momentos apertados em suas finanças.

Por isso, mesmo sem a obrigatoriedade legal de fazer um balancete, ele é importante para:

  • A análise de contas por gestores e contadores
  • A avaliação de investidores sobre a saúde financeira do período.

Além disso, alguns bancos e credores podem solicitar o demonstrativo para ceder ou não empréstimos e outros créditos.

Elementos expressos em um balancete

Como não é um demonstrativo de obrigação legal, não existe um modelo único de balancete.

Ele pode se moldar conforme a necessidade da empresa e de quem for analisá-lo.

No geral, ele precisa ter:

  • Cabeçalho com nome da empresa e data do balancete
  • Contas
  • Saldos devedores e credores

Veja um exemplo de um balancete:

Empresa ABC – Balancete Mensal de Verificação – Mês XX Ano 20XX.

ContasSaldo DevedorSaldo Credor
Caixa

Bancos conta Movimento

Duplicatas a Receber

Mercadorias

Imobilizado

Fornecedores

Empréstimos e Financiamentos

Capital Social

Lucros ou Prejuízos Acumulados

5.000

20.000

6.000

10.000

45.000

20.000

25.000

15.000

26.000

Total86.00086.000

O que um balancete revela sobre o potencial de uma empresa?

Apesar de ser um demonstrativo de curto período, o balancete demonstra informações relevantes.

Para a gestão da empresa, ele aponta ações que devem ser tomadas o quanto antes sobre a sua situação financeira, como saldos insuficientes ou baixo estoque.

Os dados apresentados no balancete também são interessantes para os investidores.

Sociedades anônimas de capital aberto que comercializam ações frequentemente divulgam seus demonstrativos.

Dessa forma, os acionistas podem analisar dados como grau de endividamento, valor a entrar por saldos dos clientes e liquidez dos ativos, entre outros.

Fica mais claro para o investidor, assim, se a S/A terá capacidade de pagamento de dividendos no próximo período, por exemplo.

Além disso, essas informações podem ser usadas como comparativo entre diferentes empresas.

Sendo assim, o investidor avalia aquela que está mais saudável financeiramente para destinar seus recursos.

Por tudo isso, o balancete é um importante instrumento de análise da gestão dos empreendimentos.

A partir de sua elaboração e estudo, é possível que gestores e investidores verifiquem os bens, direitos a receber e obrigações a pagar da empresa naquele momento.

Com base nessas informações, decisões de curto e médio prazo podem ser tomadas, incluindo, a negociação de papéis por aqueles que investem no negócio.

Vale a pena acompanhar as publicações de balancete das S/As para estudar sua saúde financeira e, assim, fazer melhores investimentos.

Se este artigo foi útil para você ampliar seus conhecimentos, não pare por aqui.

Nessa jornada para se tornar um investidor melhor, conte com a Onze Investimentos e tenha acesso aos melhores produtos financeiros sem pagar taxas abusivas.

Quer saber mais? Acesse o site e conheça os nossos produtos.