Tesouro Direto no Santander: taxas, rentabilidade e como investir

Por Redação Onze

Santander

Dá para investir no Tesouro Direto pelo Santander?

Sim, é possível investir no Tesouro Direto pelo Santander. O banco faz parte da lista de instituições financeiras habilitadas a intermediar o investimento de pessoas físicas no Tesouro Direto. Nesse caso, ao investir nos títulos públicos, o depósito e o recebimento de valores são feitos pelo Santander.

Dá para investir no Tesouro Direto Santander a partir de R$ 30. Além disso, você pode diversificar o investimento com a compra de diferentes tipos de título, considerando o seu perfil, objetivos financeiros e necessidades.

Para fazer aplicações, é necessário ter conta no banco e criar um cadastro por meio do internet banking do Santander Corretora. Faça login com CPF e senha digital para acessar o sistema. Depois, a compra e venda dos títulos é feita pela internet, por meio da plataforma de home broker disponibilizada pelo banco.

Taxas do Tesouro Direto no Santander

O Santander não cobra taxas para investimento no Tesouro Direto. Assim, você fica livre do pagamento das taxas de custódia e de administração para o banco  — e aumenta a rentabilidade devido à isenção.

Mas é importante fazer uma ressalva: mesmo com a taxa zero do Santander, você não deixa de pagar a taxa de custódia cobrada pela B3.

Trata-se do percentual cobrado pela Bolsa de Valores do Brasil para custear a oferta e a manutenção dos títulos públicos no Tesouro Direto.

A taxa de custódia é de 0,25% ao ano e incide sobre o valor dos ativos.

Além disso, há cobrança de Imposto de Renda ao resgatar o investimento no Tesouro Direto Santander. As alíquotas são definidas de acordo com a tabela regressiva de IR, diminuindo conforme o tempo da aplicação:

  • Até 180 dias: 22,5%
  • De 181 a 360 dias: 20%
  • De 361 a 720 dias: 17,5%
  • A partir de 721 dias: 15%

Já o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) só é cobrado em resgates feitos em menos de 30 dias. E a alíquota é altíssima: começa em 96% para resgates em 1 dia.

Rentabilidade do Tesouro Direto no Santander

A rentabilidade do Tesouro Direto no Santander pode ocorrer de três formas. Portanto, avaliar todas as opções é fundamental para escolher os títulos adequados ao seu objetivo financeiro. Confira:

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA tem rentabilidade atrelada ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo, que mede a inflação no país. Os rendimentos são formados a partir do IPCA mais uma taxa de juros prefixada. Por isso, a rentabilidade é híbrida, combinando os modelos prefixado e pós-fixado.

A principal vantagem dos ativos da categoria é a proteção contra as variações do mercado: você sempre tem a garantia de que vai lucrar acima da inflação, mantendo o poder de compra em qualquer cenário econômico. Por isso, o Tesouro IPCA também é indicado para investimentos de longo prazo.

Tesouro Prefixado

Ideal para objetivos financeiros de médio a longo prazo, o Tesouro Prefixado tem rentabilidade a partir de uma taxa contratada no momento da compra dos títulos. Dessa forma, o investidor pode calcular com exatidão o valor que vai resgatar no momento do vencimento do título.

Mas, para ter a rentabilidade garantida, é necessário respeitar o prazo. Senão, os títulos são comprados pelo Tesouro Nacional pelo valor de mercado no momento presente. E assim a rentabilidade é diferente daquela contratada  — podendo até mesmo ser reduzida.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic, como o nome indica, tem rentabilidade atrelada à Taxa Selic, que mede a taxa básica de juros da economia. Portanto, o valor que você vai embolsar acompanha as flutuações do mercado. Se a Selic sobe, os lucros aumentam. Se desce, os rendimentos caem também.

Apesar disso, o Tesouro Selic é a modalidade que apresenta menor risco em caso de venda antecipada dos títulos. Por ter rentabilidade pós-fixada, esse tipo de ativo nunca perde a rentabilidade quando vendido a valor de mercado. Por isso, trata-se da modalidade ideal para criar uma reserva de emergência e para metas financeiras de curto prazo.

E então, compreendeu como funciona o Tesouro Direto Santander? A isenção de taxa do banco é sem dúvida uma vantagem. Mas, para garantir a rentabilidade, é preciso compor uma estratégia de acordo com o seu perfil e objetivos.

Aí, sim, dá para aproveitar todos os benefícios dos títulos públicos. Se você gostou do artigo, compartilhe.