Aposentadoria com salário mínimo: saiba como se planejar

Por admin

Com as mudanças aprovadas na reforma da previdência, é preciso se planejar ainda mais para garantir aposentadoria com salário mínimo. Isso porque, além da alteração na idade mínima para se aposentar, que passou a ser de 62 anos para mulheres e 65 anos para os homens, a nova regra exigirá mais tempo mínimo de contribuição para garantir o benefício.

Para obter uma aposentadoria com salário mínimo será necessário cumprir os requisitos da nova legislação. No entanto, para quem ganha mais que um salário mínimo, a alteração na lei representa uma redução do valor da aposentadoria por causa do fator previdenciário: índice que determina o valor do benefício levando em consideração a idade, o tempo de contribuição e a expectativa de sobrevida dos trabalhadores que solicitam a aposentadoria.

Assim, quanto mais cedo for solicitado o benefício, menor será o valor da aposentadoria. Para ter direito a 100% da média dos salários na concessão de benefícios previdenciários, a mulher terá que contribuir para a previdência social por pelo menos 35 anos e o homem, 40 anos.

Por esse motivo, para quem deseja se planejar com antecedência para conseguir uma aposentadoria com salário mínimo e ainda garantir uma renda extra, investir em uma previdência privada é essencial para conseguir manter o padrão de vida para ter um futuro mais tranquilo e confortável.

Saiba como é possível se planejar para obter o benefício de uma aposentadoria com salário mínimo e por que investir na previdência complementar como alternativa para ampliar a renda na aposentadoria.

Quem recebe um salário mínimo hoje, como pode se aposentar?

Para quem recebe um salário mínimo (998 reais em 2019) – atualmente cerca de 70% dos beneficiários do INSS – basta cumprir os requisitos para ter acesso ao benefício da aposentadoria com salário mínimo.

O novo cálculo não afeta trabalhadores que já se aposentariam recebendo um salário mínimo. Afinal, assim como qualquer benefício do INSS, o valor pago não pode ser menor do que o salário-base do país.

As mudanças dificultaram o acesso ao benefício integral, ou seja, para quem recebe acima de um salário mínimo. Por isso, a importância de se planejar e investir em um plano de previdência privada para garantir renda maior do que o teto de contribuição do INSS.

Devo fazer uma previdência complementar para não me aposentar com salário mínimo?

Para quem tem renda maior do que o teto de contribuição do INSS e está interessado em contar com um benefício extra ao INSS quando estiver aposentado, o tipo de investimento indicado é a previdência complementar.

Essa modalidade funciona como um investimento de longo prazo, que opera no regime de capitalização — quando o beneficiário paga pelo próprio benefício. O investidor pode determinar o valor e o tempo de contribuição e, ao contrário da previdência pública, não possui um teto que limita o valor do benefício.

O contribuinte paga mensalmente o valor determinado de acordo com sua condição financeira e, no futuro, pode retirar o saldo e todo o rendimento proporcionado pelos juros compostos ao longo dos anos.

Ao apostar nesse tipo de investimento, é possível complementar a renda no futuro para não depender apenas da aposentadoria com salário mínimo.

Confira ainda outros conteúdos sobre aposentadoria no blog da Onze Investimentos e saiba quais as melhores alternativas de investimentos para quem vai se aposentar com salário mínimo.