Vale a pena investir em CDB hoje? Tire aqui suas dúvidas

Por Redação Onze

Como funciona o investimento em CDB?

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título de renda fixa emitido por instituições bancárias.

Funciona como um compromisso de empréstimo, onde o investidor aplica seu dinheiro no ativo, o banco utiliza o montante do recurso para suas operações comerciais e, no final do período acordado, paga o valor recebido acrescido de uma remuneração acordada ou estimada. 

Ou seja, você empresta dinheiro para o banco e é remunerado por isso.

Os CDBs possuem a garantia de R$250 mil por CPF, por instituição financeira no Fundo Garantidor de Crédito (FGC), o que significa que, em caso da impossibilidade de pagamento pelo banco, o valor será restituído por essa entidade até o teto máximo estipulado.

Quando um CDB é prefixado, a remuneração é determinada no ato da aplicação. Ex: 6% ao ano.

No caso dos CDB pós-fixados, um percentual de um indicador de referência é o que vai determinar a performance da remuneração da aplicação. Ex: 105% do CDI.

Mas, o que é esse CDI e, como ele se relaciona com o CDB?

Qual a sua relação com o CDI?

A sigla CDI é utilizada para nomear o Certificado de Depósito Interbancário, um indicador que acompanha o volume de transações entre os bancos.

O CDI, no entanto, acompanha outra taxa importante, a Selic, que é divulgada pelo governo e representa a taxa de juros básica do país.

Normalmente o CDI fica 0,10 pontos percentuais abaixo da taxa Selic. Assim, se a taxa de juros básica estiver a 3% ao ano, o CDI fica em torno de 2,9%.

Qual a rentabilidade mensal de um CDB?

Depois de entender a representação da remuneração do CDB e sua relação com o CDI e a taxa Selic, é preciso considerar sua rentabilidade mensal.

Existe uma relação importante entre os rendimentos de um CDB e seu período de aplicação. Ou seja, quanto mais tempo aplicado, melhores serão suas remunerações.

Porém, uma característica muito presente em diversos CDBs é a sua liquidez, ou seja, carências pequenas ou inexistentes, e a possibilidade de resgatar no mesmo dia.

No caso de resgate, o cálculo da remuneração será proporcional ao tempo investido, ou seja, quantos meses ele ficou aplicado, deduzidos o Imposto de Renda e o Imposto sobre Operação Financeira (IOF), se for realizado com menos de 30 dias da aplicação.

Algumas opções de CDB têm rentabilidade mensal. Normalmente são prefixadas e pagam 1% do valor aplicado. Porém, existe uma carência para o resgate do valor principal, ou seja, somente o valor referente a remuneração do período pode ser sacado.

Quais os riscos desse investimento?

Então, quais são os riscos envolvidos na aplicação do CDB hoje? Isso é importante para avaliar se ele está de acordo com seu perfil de investidor e seus objetivos.

Risco de crédito

O risco de crédito está relacionado à incapacidade do banco emissor pagar suas dívidas.

Bancos menores costumam oferecer percentuais do CDI mais elevados para compensar o risco de crédito.

Período de repasse do FGC

O limite de R$250 mil por CPF em cada instituição pode ser um limitador para alguns investidores. Uma das soluções é fazer aplicações no CDB hoje em diferente emissores e, assim, chegar até o limite de um milhão, que é o máximo que pode ser garantido na atualidade.

É importante entender, no entanto, que o FGC só inicia o pagamento dos beneficiários do fundo depois que a instituição envia a notificação com a lista dos credores. Se todos os documentos estiverem em conformidade, as restituições são iniciadas em 10 ou 15 dias.

Liquidez

Alguns CDBs possuem tempos de investimento mais prolongados, com 48 meses de aplicação. Para investidores que podem precisar do recurso antes, esse pode ser um risco.

Em contrapartida, os CDB com liquidez diária podem ter rendimentos menores.

E as vantagens?

Depois de considerar os riscos, é preciso considerar suas vantagens e o que o CDB hoje pode garantir aos seus investidores.

Garantido pelo FGC

Um deles é a garantia do Fundo Garantidor de Crédito, que faz com que o CDB seja considerado um investimento conservador.

Rendimentos

Seus rendimentos, principalmente aqueles de longo prazo e de bancos em desenvolvimento, podem trazer importantes ganhos para seus investidores sem oferecer grandes riscos como investimentos de renda variável.

Baixo custo de investimento

Os custos para investimento no CDB são baixos. Além da necessidade de ter uma conta no banco ou corretora de valores, que nem sempre são serviços cobrados, apenas o IR e o IOF serão abatidos de seus ganhos.

Como avaliar qual o melhor CDB hoje?

Então, se você já identificou o CDB hoje como uma opção valiosa para sua estratégia de diversificação, a próxima etapa é determinar quais os critérios para a escolha do melhor investimento.

Entre elas, citamos:

  • o banco, afinal de contas, instituições consolidadas têm menos riscos de crédito
  • a taxa do CDB e sua porcentagem de remuneração
  • rating, que é a nota de risco atribuída aos emissores quanto a sua possibilidade de quebra
  • liquidez, considerando que CDB de resgate facilitado costuma ter rentabilidades menores
  • vencimentos, já que alguns CDB são de longo prazo
  • aplicação mínima, já que os CDBs com melhores rentabilidades também podem exigir aportes iniciais maiores

O CDB hoje é uma opção de investimento de renda fixa que pode ser mais, ou menos arriscado, dependendo das características da sua contratação e do emissor. Ainda assim, por ser uma opção de renda fixa, é ideal para uma estratégia de diversificação.

Outra dica fundamental para formar e administrar sua estratégia de investimentos é usar um aplicativo que permita acompanhar tantos seus custos como seus ganhos. Confira 12 aplicativos de finanças que selecionamos e escolha o ideal para você.