Como calcular juros simples: passo a passo

Por admin

Aprender como calcular juros simples não é difícil. Mesmo para quem não é da área das Exatas, não há mistério.

Os juros simples são, como sugere o nome, simples. O problema são os compostos, também chamados de juros sobre juros.

E são os juros compostos que aparecem em aplicações financeiras, empréstimos e financiamentos.

Por isso, é importante compreender o cálculo dos juros simples para, depois, dominar os juros compostos.

Preparado?

Siga a leitura para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto.

O que são juros simples

Os juros simples são um tipo de remuneração do capital.

Na prática, são o percentual de variação que será aplicado de forma linear sobre um valor inicial qualquer.

Esta é a fórmula de juros simples:

  • Valor Futuro = Valor Presente (1 + Taxa de Juros x Número de Períodos)

Vamos a um exemplo para que fique bem claro?

Digamos que você empreste R$ 500,00 para um amigo e cobre 10% de juros, com pagamento previsto para cinco parcelas mensais.

Em um cálculo de juros simples, seu amigo terá que pagar cinco vezes de R$ 110,00.

Ou seja, o custo desse empréstimo será de R$ 50,00, o equivalente a 10% do valor tomado.

Entendeu como funcionam os juros simples?

Ótimo.

O problema é que, no mercado financeiro, os juros são compostos, e não simples.

No próximo tópico, vamos entender qual é a diferença entre eles.

Juros simples x juros compostos

Como vimos, os juros simples são bem fáceis de calcular e adotar na prática.

Mas sabe quando uma dívida pequena cresce de tamanho rapidamente e ganha um volume assustador?

Os responsáveis por isso são os chamados juros compostos.

E os contratos de empréstimo, independentemente da linha de crédito, costumam trabalhar com juros compostos.

Eles também são chamados de juros sobre juros, pois incidem sobre a variação do capital.

Ou seja, aquele empréstimo com 10% de juros ao mês, não teria o custo de R$ 50,00, como no exemplo dado acima.

Nesse caso, considerando prestações fixas, o total do empréstimo seria de cinco parcelas de R$ 131,90.

No final das contas, seu amigo pagaria R$ 659,50 (R$ 159,50 de juros, e não R$ 50,00).

Como calcular juros simples

Como vimos, para calcular juros simples, a taxa incide apenas sobre o valor inicial, não sendo considerado o valor acumulado.

Rentabilização com juros simples

Não há hoje crédito no mercado financeiro com juros simples.

Mesmo assim, para este exemplo, vamos supor que você tenha encontrado uma aplicação com remuneração de 1% ao mês:

Veja a simulação de como seria o rendimento no momento do resgate.

  • 1° mês: R$ 10.000 x (0.01) = R$ 100
  • 2° mês: R$ 10.000 x (0.01) = R$ 100
  • 3° mês: R$ 10.000 x (0.01) = R$ 100
  • 4° mês: R$ 10.000 x (0.01) = R$ 100
  • 5° mês: R$ 10.000 x (0.01) = R$ 100
  • 6° mês: R$ 10.000 x (0.01) = R$ 100

Observe que na modalidade de juros simples, os juros sempre vão incidir sobre o valor base, ou seja, sobre o capital inicial investido.

  • Valor inicial: R$ 10 mil
  • Taxa no regime de juros simples: 1% ao mês
  • Período de investimento: 6 meses

Ao final do período, você terá um rendimento a juros simples de:

  • Valor inicial x taxa de juros x período = 10.000 x 0,01 x 6 = R$ 600,00

E o valor total a juros simples ao final dos 6 meses será de R$ 13 mil.

Empréstimo com juros simples

Agora imagine que você é um empresário do setor têxtil e vê seu negócio sendo ameaçado pela concorrência por tecidos e aviamentos importados de outros países.

Além da queda dos preços praticados pelo mercado interno, a concorrência com o mercado externo causou uma redução significativa nas suas vendas.

Então você decide buscar um empréstimo no mercado financeiro.

Investir em novos equipamentos pode ser uma saída.

Seu empréstimo será de R$ 50 mil inicial, em regime de juros simples, a uma taxa de 7% ao mês, por 12 meses.

  • 1º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 2º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 3º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 4º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 5º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 6º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 7º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 8º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 9º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 10º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 11º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500
  • 12º mês: R$ 50.000 x (0.07) = R$ 3.500

Preste atenção:

  • Valor inicial do empréstimo: R$ 50 mil.
  • Taxa no regime de juros simples: 7% ao mês.
  • Período de investimento: 12 meses

Ao final do período, você terá uma dívida a juros simples de:

  • Valor inicial x taxa de juros x período = 50.000 x 0,07 x 12 = R$ 42 mil

E o valor total da dívida a juros simples ao final dos 12 meses será de R$ 92 mil, ou seja, R$50 mil iniciais mais R$42 mil dos juros simples.

Viu como é fácil calcular juros simples?

Vale reforçar: essa não é a realidade do mercado financeiro, que utiliza juros compostos em suas operações de crédito e investimentos.

Mesmo assim, os juros simples podem ser um degrau inicial para a escalada do seu conhecimento em finanças e aplicações financeiras, antes dos temidos e amados juros compostos.

Nessa jornada, a Onze Investimentos pode ajudar.

Para isso, acesse nossos outros conteúdos sobre o universo dos investimentos, conheça nossas ferramentas exclusivas e construa, passo a passo, um futuro mais confortável e tranquilo para você e toda a sua família.