Guia do outplacement: 10 passos para melhorar suas demissões

Por Redação Onze

outplacement

O outplacement é a solução para lidar com o momento mais crítico da relação empresa-colaborador: a demissão. O fim do contrato de trabalho costuma ser uma experiência ruim, mas é possível minimizar seus impactos negativos e mostrar que a empresa está ao lado dos colaboradores quando eles mais precisam.

Para isso, basta adotar políticas e métodos para auxiliar o funcionário demitido em sua recolocação ou transição de carreira, mantendo uma boa relação após a demissão e protegendo a reputação da empresa. Esse é o processo de outplacement, que vamos detalhar em um guia rápido com direito a passo a passo para implementar a estratégia na sua empresa.

Nos próximos tópicos, ficará claro como uma demissão humanizada pode beneficiar a empresa, fortalecer sua cultura e construir uma imagem responsável no mercado.

O que é outplacement?

Outplacement é uma solução de RH que apoia o colaborador no processo de demissão, auxiliando na transição de carreira ou recolocação no mercado. Seu objetivo é humanizar as demissões, minimizar o estresse dos funcionários demitidos e ajudá-los a encontrar uma nova oportunidade.

De acordo com um relatório da Verified Market Research, o mercado global de serviços de outplacement deve movimentar US$ 2,37 bilhões até 2025 (um crescimento anual de 6,7%). A estimativa inclui as consultorias e agências que prestam serviços de orientação, apoio ao processo demissional e recolocação profissional.

As empresas podem implementar o outplacement internamente, como um processo do RH, ou terceirizar os serviços. Em ambos os casos, estão incluídas ações como:

  • Apoio emocional e psicológico para minimizar o trauma da demissão
  • Orientações gerais da demissão (benefícios, direitos, rescisão contratual, etc.)
  • Análise do perfil do ex-colaborador e elaboração de plano de carreira personalizado
  • Consultoria e edição de currículo e portfólio
  • Coaching de carreira
  • Orientação para networking e marketing pessoal
  • Aconselhamento para capacitações e desenvolvimento profissional
  • Treinamento para entrevistas e auxílio na busca de vagas.

Todos esses serviços são essenciais para direcionar o ex-funcionário para o próximo passo de sua carreira, em vez de deixá-lo à própria sorte em um mercado ultracompetitivo.

Importância do outplacement nas empresas

O conceito de outplacement surgiu nos anos 1980, cunhado pelo consultor de carreira norte-americano James E. Challenger. Na época, as mudanças sociais e econômicas geraram uma série de demissões em massa, reestruturações e suspensões de contratos (lay-offs) em empresas dos Estados Unidos — o cenário perfeito para a criação do outplacement como serviço de apoio à recolocação dos profissionais demitidos.

No início, o objetivo era “apagar o incêndio” causado pelas demissões, que afetava diretamente a produtividade dos colaboradores que permaneciam e a imagem da empresa no mercado. Com o tempo, as organizações entenderam que o outplacement era mais do que uma gestão de crise, e sim uma questão de relacionamento e humanização das relações de trabalho.

Hoje, o outplacement é visto como uma etapa essencial da experiência do colaborador, que começa no processo seletivo e termina quando o funcionário é desligado. Por se tratar do momento mais traumático, a demissão requer atenção e cuidados especiais para manter uma relação saudável entre ex-colaborador e empresa — afinal, alguém que contribui com o negócio merece ser tratado com respeito.

De acordo com uma pesquisa da Mercer, publicada em 2015, 89% das empresas norte-americanas oferecem serviços de outplacement com o objetivo primordial de ajudar seus ex-colaboradores a encontrar um novo emprego. Ao marcar presença no momento em que o profissional mais precisa, a empresa reforça seus valores e ganha pontos na reputação, além de manter um clima positivo entre os funcionários que ficam.

Vantagens de adotar o outplacement

O outplacement é direcionado ao colaborador, mas traz inúmeras vantagens para a empresa que oferece o serviço. Estas são as mais evidentes:

  • Encerra a experiência do colaborador de forma positiva, respeitosa e satisfatória para ambas as partes
  • Protege a reputação da empresa e sua marca empregadora (decisiva para atratividade de talentos no mercado)
  • Mantém a produtividade e engajamento dos colaboradores que permanecem na empresa (principalmente os mais próximos ao funcionário demitido)
  • Evita a sensação de insegurança e impactos negativos no clima organizacional típicos do pós-demissão
  • Fortalece a cultura organizacional e transmite uma imagem responsável e humana da organização
  • Evita disputas judiciais e processos trabalhistas
  • Mantém uma boa relação com o ex-colaborador e deixa as portas abertas para uma futura recontratação.

10 passos para implementar o outplacement e melhorar suas demissões

Implementar o outplacement é uma excelente forma de melhorar o processo de demissão e fixar sua reputação como empregador. Confira alguns passos para adotar essa estratégia.

1. Planeje as demissões na empresa

O primeiro passo para adotar o outplacement na empresa é fazer um planejamento cuidadoso e criar padrões e políticas para o processo demissional na empresa. Este é um exemplo de plano básico para iniciar o outplacement:

  • Preparação da reunião de demissão com antecedência pelo responsável
  • Avaliação das condições do profissional e motivo da demissão
  • Definição dos benefícios e possíveis auxílios oferecidos pela empresa
  • Análise do impacto da demissão na equipe
  • Definição de etapas como recolhimento de chaves e crachá, entrega de equipamentos e eventos de despedida
  • Organização do processo de recolocação ou transição de carreira.

2. Seja claro e transparente no feedback

O responsável por comunicar a demissão deve estar preparado para conduzir a conversa da maneira menos traumática possível para o funcionário, apresentando os motivos, avaliação de performance e orientações com clareza e transparência. De acordo com uma pesquisa da Forbes, de 2018, 59% dos funcionários demitidos não receberam nenhuma avaliação de desempenho de seus gestores e 87% sequer imaginavam que seriam dispensados.

Se a razão do desligamento for relacionada à performance, o gestor deve deixar claro quais foram os pontos críticos no desempenho e dar um feedback completo. Se os motivos forem outros, como uma reestruturação ou corte de pessoal, o colaborador precisa entender que não foi o culpado pela demissão.

3. Ofereça vantagens extras

Na hora de comunicar os benefícios e trâmites da demissão, a empresa pode ir além das obrigações e oferece algumas vantagens extras para demonstrar seu apoio ao colaborador. Por exemplo, prorrogar um plano de assistência médica, um plano de previdência privada ou o direito ao uso de determinados equipamentos e licenças de software que podem ajudar na busca por um novo emprego.

4. Dê apoio emocional

O aspecto emocional é importantíssimo no outplacement – o colaborador deve receber apoio psicológico logo após a comunicação da demissão. Segundo uma pesquisa realizada pela plataforma de orientação psicológica YourDost, em 2017, 65% dos profissionais que passam por demissões apresentam sintomas de ansiedade ou depressão.

Por isso, é importante que o funcionário recém-demitido seja encaminhado para uma conversa com um consultor de outplacement, coach de carreira ou mesmo um psicólogo para lidar com as emoções negativas desse momento e entender como superá-las.

5. Direcione a recolocação ou transição de carreira

Com o processo de desvinculação concluído, o outplacement segue para a fase de recolocação ou transição de carreira. Para começar, é preciso entender qual o objetivo do ex-funcionário: encontrar um novo emprego na mesma área, mudar de carreira ou mesmo começar seu próprio negócio.

Seja qual for a intenção do profissional, o papel do responsável pelo outplacement é promover uma reflexão sobre a carreira e ajudá-lo a planejar os próximos passos, desenvolvendo um plano personalizado para alcançar suas metas.

6. Oriente a construção da marca pessoal

O mercado de trabalho nunca foi tão competitivo, e o outplacement precisa preparar o ex-funcionário para se destacar nesse cenário. Para isso, é essencial orientar o profissional a construir sua marca pessoal, especialmente no ambiente digital. Estes são alguns passos básicos:

  • Criar um currículo, site e portfólio com identidade própria e imagem altamente profissional
  • Criar um perfil atrativo no LinkedIn com as melhores práticas (e em outras redes sociais, dependendo da área profissional)
  • Produzir conteúdo para um blog pessoal, redes sociais e outros canais para demonstrar autoridade e conhecimento na área
  • Fazer networking no meio digital e também em feiras, workshops e demais eventos presenciais.

7. Ofereça coaching de carreira

O coaching de carreira é uma excelente ferramenta para ajudar o ex-colaborador a desenvolver seu potencial, encontrar caminhos promissores no mercado e se preparar para conseguir as melhores vagas. Segundo o estudo Insights on Job Seekers in Transition, realizado em 2015, pela RiseSmart, 75% dos colaboradores que passaram pelo outplacement nos EUA fizeram sessões de coaching virtual, enquanto 57% passaram pelo coaching presencial.

Com o auxílio de um coach habilitado, os profissionais aprendem a superar suas crenças limitantes e adotar um mindset de crescimento, enxergando desafios como grandes oportunidades fora de sua zona de conforto.

8. Incentive o desenvolvimento profissional

Também é papel do profissional de outplacement incentivar o ex-colaborador a buscar capacitações, cursos e treinamentos para se atualizar e conquistar uma posição melhor no mercado. Para isso, é preciso estar sintonizado às tendências e demandas atuais da área profissional.

9. Auxilie na busca de vagas

Outro serviço essencial do outplacement é o auxílio para buscar vagas nos melhores canais, de acordo com o cargo pretendido. Nesse caso, a empresa pode criar alertas de vagas personalizados para o colaborador, recomendar plataformas de vagas específicas, oferecer uma assinatura de site de empregos ou indicar diretamente o ex-colaborador para outras empresas, por exemplo.

10. Ajude na preparação para entrevistas

Por fim, o passo final do outplacement é ajudar na preparação do ex-funcionário para ter um bom desempenho na entrevista e, eventualmente, negociar ofertas recebidas. Depois de todo esse processo, o ex-colaborador terá muito mais chances de conseguir a recolocação ou transição de carreira, e será eternamente grato à empresa pelo apoio.

Onze: benefício para além do outplacement

Se você se preocupa com o bem-estar dos colaboradores, a previdência privada corporativa da Onze é uma opção de benefício que pode se estender para além do desligamento. Além de aumentar a retenção de talentos e o engajamento, o plano de previdência privada pode ser mantido pelo ex-colaborador —  e ele ainda levará a educação financeira para a vida.

Não à toa, os benefícios que melhoram a saúde financeira estão entre os mais populares e vantajosos para empresas e funcionários, e podem garantir sua atratividade de talentos da mesma maneira que o outplacement.