O que é o Índice IMA-B e qual a sua rentabilidade?

Por Redação Onze

Índice IMA-B

O índice IMA-B é muito importante para os investidores que possuem aplicações no mercado de renda fixa de fundos que estejam alinhados à inflação. Ele tem como principal objetivo ser referência para o desempenho de títulos públicos.

Neste artigo iremos explicar o que é o IMA-B, quais as suas categorias e os títulos públicos que o utilizam como referência. Entenda ainda o que a queda sofrida pelo índice significa para a economia brasileira e para os investidores.

O que é o Índice IMA-B?

O IMA-B (Índice de mercado ANBIMA – série B) foi criado pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais com o intuito de que representassem o desempenho dos preços de mercado de um determinado conjunto de títulos públicos.

Ele atua de forma bem semelhante ao Ibovespa, o índice da bolsa de valores, que reflete o desempenho de uma carteira de investimentos que contém ações negociadas na B3. Entretanto, no caso dos títulos públicos, a volatilidade não é a mesma das ações. Pelo contrário, eles possuem baixa volatilidade, baixo risco e também oferecem uma rentabilidade menor em comparação com as ações.



Os títulos públicos são emitidos pelo Tesouro Nacional com o objetivo de possibilitar que os investidores – pessoas físicas – possam investir nesses títulos através dos fundos de renda fixa. Como esses papéis públicos possuem a garantia do governo federal, o risco é mínimo. No entanto, eles acompanham a CDI (Certificados de Depósitos Interbancários), a Taxa Selic e a inflação. Portanto, estão sujeitos ao risco do mercado financeiro.

No caso do índice IMA-B, o título irá representar a carteira de títulos do Tesouro IPCA+ (NTN – B principal) e do Tesouro IPCA+, que tem juros semestrais (NTN-B). As duas carteiras possuem rentabilidade atrelada à inflação através do IPCA.

A seguir falaremos das diferentes categorias do IMA-B.

Categorias do IMA-B

O IMA-B é dividido em duas diferentes categorias, de acordo com o prazo de investimento dos títulos a ele atrelados:

  • IMA-B 5: incluem os títulos que são indexados à inflação e que tem como prazo até cinco anos de investimento;
  • IMA-B 5+: incluem os títulos que são indexados à inflação e que tem como prazo um período maior do que cinco anos.

Quais títulos federais utilizam o Índice IMA-B?

Dentre os títulos públicos que têm o rendimento baseado no índice IMA-B, podemos citar o Tesouro IPCA+ (NTN-B) e o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B).

No entanto, é importante notar que a ANBIMA revisa mensalmente as carteiras que se baseiam nesse índice e faz a divulgação de qual foi o rendimento do índice IMA-B.

Vale lembrar ainda que por mais que estes ativos sejam de renda fixa, podendo até mesmo serem chamados de fundos de inflação, os riscos que eles apresentam para o investidor são um pouco maiores e estão mais sujeitos às variações do mercado.

O que a queda dos títulos públicos IMA-B significou para os investimentos?

No final de 2019, os investidores que possuiam investimentos no índice IMA-B ficaram bastante assustados com a queda dos títulos públicos. Para que você possa ter uma ideia do que aconteceu, a carteira de títulos do Tesouro IPCA+, independentemente do prazo, teve uma queda de 2,45% no mês. Já o índice IMA-B 5+ experimentou uma queda ainda maior, de 4,07%.

Por mais que essas quedas tenham sido um tanto quanto inesperadas e repentinas, o investidor que deixou o seu dinheiro aplicado desde janeiro até dezembro ainda teve um retorno expressivo. O Tesouro IPCA + teve rendimento anual de 20% e o IMA-B de mais de 27%. Mas o que será que levou a essa queda?

É importante lembrar que o mercado financeiro vive de expectativas. Ou seja, prever o futuro é impossível, mas tentar “adivinhar” o que vai acontecer com ele é uma tarefa diária de quem investe profissionalmente. Claro que todo o processo de investimento é baseado em análise de balanços de empresas, do cenário econômico mundial e nacional, do desempenho de ações ao longo dos anos e de como a inflação irá se manter.

Por exemplo, qualquer notícia positiva ou negativa por parte do governo federal pode afetar drasticamente o mercado, nem que seja por um curto período de tempo. Por isso, para garantir bons rendimentos e minimizar as perdas, é essencial saber o que está acontecendo no mercado.

Qual foi o motivo da queda do Índice IMA-B?

Podemos dizer que não há um motivo específico para a queda do IMA-B. Mas certamente o ânimo do mercado financeiro nacional e internacional que contribuíram para isso.

Até o mês de novembro de 2019, o cenário nacional e mundial estava bastante otimista. Aparentemente havia uma trégua na guerra comercial entre a China e os Estados Unidos, além disso, no Brasil, o Banco Central continua com o corte na taxa de juros e a bolsa bateu recordes de desempenho positivo.

Entretanto, em seguida, a China e os Estados Unidos voltaram a se desentender e alguns especialistas começaram a falar que o ciclo de crescimento da economia americana estava próxima do fim, sem contar a incerteza das eleições norte-americanas. Ainda podemos somar isso à alta do dólar e ao fracasso do leilão do pré-sal.

Tudo isso contribuiu para que o mercado financeiro ficasse abalado e um dos resultados foi o reflexo no índice IMA-B.



E 2020?

As previsões para 2020 não são unânimes entre os analistas. Alguns recomendam a compra de títulos atrelado ao índice IMA-B e preveem uma valorização até o final do ano. Por outro lado, outros especialistas consideram este investimento um pouco arriscado, já que ele depende muito do que acontece no cenário internacional.

O mais importante antes de fazer qualquer investimento é conhecê-lo bem, ver se ele se adequa ao seu perfil de investidor e qual a liquidez que você precisa. E vale sempre lembrar que todo investimento tem algum risco, por mais baixo que seja.