Saúde financeira familiar: o que é e por que é importante

Por Redação Onze

saúde financeira familiar

Saúde e dinheiro andam lado a lado mais do que se imagina. Enfrentar dívidas intermináveis e que só crescem, além de consumir de forma compulsiva e sem planejamento, são problemas que interferem na saúde física e mental – pois estressam, causam ansiedade e até depressão, reduzindo nossa produtividade e energia. 

Por consequência, nossas relações sociais também são abaladas, especialmente quando dinheiro e convivência se misturam muito, como é o caso do ambiente familiar.

Portanto, para ter paz e bem-estar, não apenas é essencial cuidar da sua saúde financeira, como também da saúde financeira familiar. Afinal, nosso lar é nosso porto seguro e nossos familiares são as pessoas que nos acompanham ao longo da vida, compartilhando vitórias e preocupações. Ter uma relação harmônica com eles é fundamental.

O que é saúde financeira familiar

A saúde financeira da família é o nome dado ao estado e grau de estabilidade das finanças de uma casa. Para obter saúde financeira familiar não basta que os integrantes ganhem altos salários – é preciso que tenham controle das finanças para cumprir metas de vida definidas em conjunto e também individuais. Isso porque não adianta ganhar mais dinheiro e continuar a gastar sem pensar no futuro ou na satisfação pessoal do grupo. 

São exemplos de objetivos familiares, que podem ser obtidos por meio de planejamento do orçamento pessoal e a criação de hábitos saudáveis em relação ao dinheiro:

  • Morar em uma casa confortável
  • Investir na educação dos filhos e na aposentadoria dos pais
  • Manter um plano de saúde familiar
  • Ter uma alimentação saudável
  • Planejar viagens de férias
  • Ter momentos de lazer regulares, como passeios aos finais de semana. 

A situação do orçamento pessoal pode ser medida de diversas formas, levando em consideração, por exemplo: o valor mensalmente poupado por todos os membros da casa,  tamanho da reserva financeira da família e quanto do salário dos moradores é gasto com despesas fixas e com despesas supérfluas. Sinais de uma boa saúde financeira familiar são: 

  • Fluxo estável de renda;
  • Receitas maiores que gastos;
  • Reserva de emergência que cubra ao menos 6 meses de despesas;
  • Planos de curto, médio e longo prazo;
  • Investimentos com bons retornos.

Portanto, ter uma boa saúde financeira consiste em adequar o padrão de vida do núcleo familiar a gastos e metas de vida. O plano de ação, executado com disciplina, cria segurança financeira, que consiste na sensação de ter dinheiro suficiente para cobrir necessidades. É esse sentimento que permite tomar melhores decisões diante de mudanças e crises.

Cuidar da saúde financeira familiar é como cuidar na nossa saúde física e mental: incluindo hábitos saudáveis no dia a dia, mas que estejam relacionados com a melhora do orçamento. 

Por que é importante cuidar da saúde financeira familiar

Uma boa saúde financeira familiar é importante porque permite ter uma vida estável. Ao pensar e trabalhar de forma coletiva, os membros da casa poderão melhorar o bem-estar da família sem necessariamente abrir mão de seus planos pessoais. A saúde financeira permite, por exemplo, passar por crises sem ter uma queda no padrão de vida ou interromper investimentos, como um curso superior, por exemplo.

É importante incluir todos os membros da família nesse planejamento porque cada um tem uma meta de vida própria. Enquanto o filho pode ter como objetivo realizar um intercâmbio e o outro precisar de auxílio financeiro para cursar uma faculdade, os pais podem planejar a aposentadoria. 

A saúde financeira também pode ajudar a melhorar o relacionamento familiar. Por exemplo, sem se preocupar com dívidas e com um dinheiro a mais no final do mês é possível estreitar o relacionamento com os filhos ao ter mais momentos de lazer. Com fôlego financeiro extra, também é possível investir em um curso para se atualizar profissionalmente e ficar mais próximo de ser promovido e aumentar a renda familiar. 

Consequências de não cuidar da saúde financeira

A falta de saúde financeira familiar traz diversos problemas para os integrantes da família. Ela pode ser fonte de conflitos e brigas, já que o endividamento crescente pode impossibilitar a realização de sonhos. 

Esse conflito não aparece apenas na relação entre companheiros, mas também com os filhos, que são menos maduros emocionalmente e se sentem mais facilmente frustrados por conta de restrições financeiras duradouras. 

A falta de hábitos saudáveis em relação ao dinheiro pode, no limite, causar até mesmo divórcios, situação que deteriora ainda mais a situação financeira e objetivos familiares. 

Dicas de como manter as finanças da família saudáveis

Buscar a saúde financeira não precisa ser algo enfadonho, burocrático e estar presente na vida familiar o tempo todo. É possível criar momentos específicos, porém regulares, para discutir metas financeiras. Veja abaixo dicas de como manter as saúde financeira familiar de maneira leve e a partir da mudança de alguns hábitos: 

  • Faça um check up regular das finanças

Em reuniões familiares, que podem ser mensais ou quinzenais, faça um retrospecto dos gastos do período e da atual situação financeira do grupo. Ao deixar todos a par sobre a situação financeira do núcleo familiar, é possível engajar a não consumir mais do que se deve ou até mesmo cortar gastos. 

Uma forma de tornar o bate-papo construtivo é estimular que todos apontem quais despesas poderiam ter sido evitadas. Todos também podem ajudar a traçar um plano de ação para o próximo período com o objetivo de melhorar o orçamento. 

Controlar as finanças em períodos regulares permite absorver gastos imprevistos e eventuais perdas de renda familiar de forma equilibrada e eficiente. Diante de mudanças no orçamento, saber o que se gasta permite uma atuação rápida para cortar gastos e adequá-lo à nova realidade, sem cair em dívidas ou ter uma drástica queda de padrão de vida. 

  • Estabeleça metas em conjunto

Cuidar da saúde financeira não deve se limitar a cálculos, controlar gastos e criar uma grande reserva financeira para qualquer eventualidade. Mais do que isso, tem como objetivo criar bem-estar financeiro, como ter momentos de lazer regulares e liberdade para realizar escolhas e sonhos. 

Para que possam ser traçados planos rumo a esses objetivos é importante reunir todos os membros da família e definir os sonhos de cada um e também os sonhos coletivos. Posteriormente, deve se definir quais deles são prioridades, e verificar como cada um pode colaborar para que todos os objetivos possam ser atingidos. 

É importante separar as metas de curto, médio e longo prazo e respeitar o que é mais importante para cada um. Viajar pode ser mais importante para um dos membros do núcleo familiar do que juntar dinheiro para adquirir bens, a exemplo de carros. 

  • Pague e evite dívidas

Todo mundo tem direito a momentos de lazer e mimos. Mas essas aquisições devem ser feitas com planejamento, de forma a não aumentar o endividamento da família.

Ao passar a controlar regularmente despesas, a prioridade para elevar a saúde financeira familiar deve ser pagar eventuais dívidas. A recomendação é começar pelas mais caras, como o cheque especial e a dívida do cartão de crédito. 

Caso a família não possua dívidas, deve evitá-las ao máximo. Mesmo que pague a fatura do cartão em dia, é preciso ter cuidado com compras parceladas ou que serão adicionadas a parcelas futuras, pois são mais difíceis de monitorar e podem sair do controle facilmente. 

  • Crie uma reserva financeira

Toda família deve ter uma reserva de emergência. É ela que permite lidar com gastos imprevistos e eventuais perdas de renda ou desemprego sem prejudicar o planejamento das realizações pessoais ou exigir mudanças bruscas no padrão de vida. 

O valor depositado em uma reserva financeira precisa poder ser resgatado a qualquer momento, por isso é indicado investir o dinheiro em investimentos com alta liquidez. A recomendação é que a reserva de emergência seja equivalente a seis meses da renda familiar, e o valor só seja utilizado para necessidades. 

  • Proteja seu patrimônio

Contratar seguro para casa, a saúde, o carro e de vida são peças importantes para encarar gastos imprevistos sem que afetem a saúde financeira familiar. 

Uma cirurgia inesperada, um roubo de carro ou o falecimento de um dos chefes da família, que contribui com renda relevante para as despesas mensais, são situações que podem afetar de forma relevante os objetivos financeiros de toda a família. 

Contratar proteções, portanto, é uma forma de sempre garantir o cuidado ao núcleo familiar quando mais se precisa, contribuindo para o bem-estar financeiro. 

  • Invista para alcançar objetivos

Existem diversas opções de investimentos para cada tipo de objetivo financeiro. É necessário escolhê-las com base em seu perfil de investidor (conservador, moderado ou agressivo) e buscar diversificar ativos como forma de minimizar riscos.

No curto prazo, devem ser priorizadas as aplicações financeiras mais líquidas, que podem ser resgatadas nesse período sem ônus.  Já no médio prazo é possível escolher entre títulos como LCIs e LCAs, que geralmente podem ser resgatados após um período de dois anos. Por fim, no longo prazo, pensando na aposentadoria, a dica é investir em planos de previdência privada e fundos de investimento.

Em resumo, não são necessários grandes e complexos orçamentos para manter a saúde financeira da família em dia. O mais eficaz é se ater firme ao cumprimento de objetivos e manter os gastos sob controle, cuidando nesse processo para que os membros da família concordem com o plano de ação e se engajem para torná-lo realidade. 

É empresário ou funcionário da área de recursos humanos? Saiba como a Onze pode te ajudar a proporcionar mais saúde financeira aos seus funcionários e aumentar a produtividade na empresa.