Tesouro Prefixado com juros semestrais: como funciona esse título

Por Redação Onze

O Tesouro Prefixado com juros semestrais é uma das opções de títulos públicos que você pode adquirir no Tesouro Direto. Sua principal característica é a taxa prefixada de juros acrescida dos cupons semestrais, que garantem uma renda extra durante o período de aplicação.

A vantagem é saber exatamente quanto você vai ganhar até o vencimento do título e receber os rendimentos antecipadamente, em vez de resgatar tudo no final.  No entanto, é preciso tomar cuidado com a venda antecipada do Tesouro Prefixado com juros semestrais, já que se trata de um investimento com prazo muito longo.

Continue lendo para entender como funciona esse título e decidir se vale a pena.

Como funciona o Tesouro Prefixado com juros semestrais

O Tesouro Prefixado com juros semestrais, ou Notas do Tesouro Nacional – Série F (NTN-F), é um título público federal que tem sua rentabilidade conhecida no momento da compra — daí o “prefixado”. Além da taxa de juros fixa, esse ativo paga juros periódicos por meio de cupons semestrais.

Dessa forma, ao comprar um título do Tesouro Prefixado com juros semestrais, você recebe a rentabilidade anual contratada no vencimento do ativo por meio de cupons de juros pagos a cada seis meses durante o período de aplicação. Por exemplo, atualmente (2020) está disponível o Tesouro Prefixado com juros semestrais 2031, que paga 7% ao ano e vence em janeiro de 2031.

Nesse caso, você recebe aproximadamente 3,5% por semestre, calculado sobre o valor nominal atualizado (VNA) do título adquirido. Lembrando que o VNA do Tesouro Prefixado com juros semestrais é sempre R$ 1.000,00 — os outros títulos podem ser consultados no site do Tesouro Direto.

A diferença em relação aos títulos que não pagam juros semestrais é que você recebe a rentabilidade antecipadamente, em vez de retirar o valor total (capital investido + rentabilidade) somente no vencimento do título.

Para quem é o Tesouro Prefixado com juros semestrais

O Tesouro Prefixado com juros semestrais é indicado para quem pretende investir em longo prazo e prefere receber rendimentos semestrais. Por ter uma taxa de juros prefixada, vale a pena manter o título até a data de vencimento para resgatar toda a rentabilidade contratada, sem correr o risco de perder com a venda antecipada.

Por exemplo, se você comprar um título do Tesouro Prefixado com juros semestrais 2031 hoje, pelo valor de R$ 1.257,40 e rentabilidade de 7% a.a., terá recebido o valor líquido de R$ 2.169,90 (descontando IR e taxa da B3) no dia do vencimento do título. No entanto, esse cenário pode mudar completamente se você vender o título antes do prazo.

Em relação aos cupons semestrais, a vantagem é receber os juros durante o período de aplicação, em vez de receber tudo apenas no vencimento. Dessa forma, você terá uma renda extra sem precisar vender o título e poderá optar por reinvestir o dinheiro no próprio título ou outros ativos mais vantajosos no momento.

Cuidados com o Tesouro Prefixado com juros semestrais

 

IR a cada pagamento

Um detalhe importante sobre o Tesouro Prefixado com juros semestrais é que o Imposto de Renda incide sobre cada pagamento do cupom de juros, seguindo a tabela abaixo:

Prazo da aplicação Alíquota de IR cobrada sobre rendimentos
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20%
De 361 a 720 dias17,5%
Acima de 720 dias15%

Logo, os primeiros pagamentos de juros semestrais terão uma alíquota maior do IR descontada, e o valor será estabilizado em 15% após dois anos de aplicação.

Marcação a mercado

Como já mencionamos, os títulos do Tesouro Direto (com exceção do Tesouro Selic) sofrem a chamada marcação a mercado, que é a variação de preço conforme os movimentos do mercado e oscilação dos juros. Em um cenário de alta dos juros, por exemplo, o preço do Tesouro Prefixado com juros semestrais cai — e você pode ter prejuízo se vendê-lo antecipadamente nesse momento.

Prazos longos

Por fim, antes de investir no Tesouro Prefixado com juros semestrais, é importante ter certeza de que você manterá o título até a data de vencimento. Como vimos, o título disponível atualmente tem prazo de vencimento acima dos 10 anos — o que caracteriza um investimento de longo prazo.

Se você não vai precisar desse dinheiro tão cedo e pretende utilizar apenas os cupons semestrais, vale a pena investir no prefixado do Tesouro Direto. Porém, se você não está disposto a manter o ativo por tanto tempo ou quer ter o dinheiro disponível em caso de imprevistos, é melhor optar por um título mais estável, como o Tesouro Selic.

Apesar da liquidez garantida para todos os títulos, a oscilação de preço torna arriscada a venda antecipada do Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA +, por exemplo. O Tesouro Selic, por outro lado, acompanha a Taxa Selic, garantindo um retorno sempre superior ao valor investido.

Entendeu como funciona o Tesouro Prefixado com juros semestrais? Agora você pode decidir se esse título público vale a pena, graças às informações de qualidade da Onze — a PrevTech especializada em investimentos de longo prazo.