Tipos de custos: conheça os principais e seus impactos

Por Redação Onze

Tipos de custos

Em qualquer operação realizada, estamos sujeitos a inúmeros tipos de custos. Mas você sabe identificar quais são eles e o impacto que têm nas finanças? Afinal, ignorá-los pode ser uma péssima ideia.

Neste artigo, vamos falar dos principais deles para as empresas e também na hora de realizar investimentos. Continue lendo e confira!

Quatro tipos de custos na contabilidade

No contexto empresarial, os custos podem ser encarados como tudo aquilo que um negócio gasta para funcionar, sejam despesas relacionadas à produção, sejam as taxas pagas em forma de impostos.

Para facilitar não só o entendimento, mas, sobretudo, a identificação de cada um deles nas contas de uma companhia, separamos os custos em quatro tipos.

1. Diretos

Os custos diretos são todos aqueles que estão relacionados aos produtos e serviços vendidos pela empresa, ou seja, que têm impacto no valor final calculado para a comercialização.

Eles são fáceis de identificar e de acompanhar, pois incluem itens como matéria-prima utilizada e a mão de obra contratada para que o negócio funcione.

Para calcular qual é o custo direto unitário, é possível somar os gastos de matéria-prima com os de mão de obra, dividindo o valor pelo número de produtos ou serviços consolidados em um período de tempo.

2. Indiretos

Já os custos indiretos não estão, necessariamente, conectados ao propósito final da empresa. Nem por isso, no entanto, são menos importantes para que ela funcione. É o caso dos serviços de água, luz, internet, limpeza, segurança, entre outros.

Em geral, é mais difícil atribuir o valor do custo indireto para cada unidade produzida na companhia. Assim, é comum que seja empregado o conceito de rateio, que determina uma quantia aproximada como base de cálculo.

3. Fixos

A definição de custos fixos tem a ver com a frequência com que eles aparecem – no caso, ocorrem mensalmente.

Diferentemente do que é comum supor, no entanto, o termo “fixo” não quer dizer que o valor é o mesmo todas as vezes, apenas que ele sempre está presente.

Entram na categoria custos com aluguel e salário dos funcionários, por exemplo, assim como impostos cobrados de maneira periódica.

4. Variáveis

Os custos variáveis, por outro lado, são aqueles que sofrem alterações em curto prazo. A própria matéria-prima é um exemplo, já que a quantidade adquirida muda de acordo com a produção proposta e as vendas realizadas.

Se a saída estiver muito abaixo da média, inclusive, é possível que não seja preciso comprar insumos em um período de tempo.

Quais são os tipos de custos ao investir?

Mas não é só a produção de uma empresa que envolve diferentes tipos de custos. Mesmo na hora de aplicar o dinheiro, em que o objetivo é alcançar rentabilidade, é necessário gastar.

Aqui, o importante é ter atenção ao impacto representado por taxas, tributos e emolumentos, evitando que o lucro real fique abaixo do retorno que você esperava. Entenda melhor, a seguir.

Taxas

Algumas modalidades de investimentos incluem a cobrança de taxas específicas, com valores que podem variar de uma instituição para a outra.

Entre as mais comuns estão a taxa de administração, recolhida pela prestação do serviço de gerenciamento da aplicação, e a de corretagem, relacionada ao trabalho de compra e de venda de ações.

No entanto, ainda é possível identificar outras, como a de custódia, que diz respeito à atividade de guarda do dinheiro, e a de carregamento, cobrada sobre o valor dos depósitos feitos no investimento.

Tributos

A tributação é um dos principais fatores que o investidor deve observar ao escolher um tipo de ativo. Os mais comuns são o Imposto de Renda (IR) e o Imposto sobre Operação Financeira (IOF).

Em ambos os casos, a cobrança é feita com base no valor do rendimento obtido, e não do capital inicial.

Emolumentos

Os emolumentos também representam um tipo de custo. Eles são cobrados para remunerar as despesas que os órgãos de registro têm ao prestar os seus serviços.

Essas taxas sempre são ligadas a uma operação específica, o que significa que a incidência ocorre sobre cada uma delas individualmente.

Quer um exemplo? No caso da bolsa de valores, os emolumentos servem para o custeio do registro, da catalogação e da guarda das informações relacionadas a cada transação.

As taxas são cobradas pela B3 em qualquer operação realizada, seja de compra e venda de ações, seja de contratos futuros, independentemente da corretora utilizada para fazer o investimento.

Como lidar com os diferentes tipos de custos?

Em resumo, seja como administrador de uma empresa, seja como investidor, você sempre estará sujeito a inúmeros custos. O segredo está na forma como lida com eles.

Manter a organização financeira em dia é a melhor maneira de evitar gastos desnecessários e ter previsibilidade sobre o seu dinheiro.

E isso, é claro, também vale para as finanças pessoais. Uma boa dica é separar os gastos entre fixos e variáveis, acompanhando o valor empregado em cada uma das categorias.

Quer mais dicas para garantir a saúde financeira? Não perca as atualizações do blog da Onze!