Quais empresas estão no índice Bovespa?

Por Redação Onze

ibovespa-lista-empresas

O Ibovespa é o índice que indica o desempenho das ações mais negociadas na bolsa de valores brasileira, a B3. Ele existe desde 1968 e funciona como um termômetro do mercado de ações que reflete o comportamento dos investidores. 

Portanto, o índice é fundamental para quem investe na renda variável, uma vez que apresenta as oscilações do mercado como um todo. Assim, acompanhá-lo é o primeiro passo para tomar decisões assertivas ao negociar ativos financeiros.

Mas antes de avaliar o Ibovespa, é preciso compreender como ele funciona. O índice é uma carteira teórica de ações composta por 65 ações de 61 empresas. Esses ativos são aqueles que possuem maior volume de negociação na B3.

As ações que integram o Ibovespa têm pesos diferentes, de acordo com o volume, e portanto influenciam mais ou menos no cálculo.

O grupo de empresas que compõem o Ibovespa é atualizado a cada quatro meses pela Bolsa de Valores. Já a cotação do índice é atualizada a cada 30 segundos todos os dias nos horários dos pregões.



Quais as condições para fazer parte do Ibovespa?

Para uma ação fazer parte do Ibovespa, ela deve atender as condições abaixo:

  1. Ser uma ação listada e negociada na bolsa. Ativos como BDRs e ações de empresas em recuperação judicial não são elegíveis ao Ibovespa;
  2. Estar entre as empresas com maior Índice de Negociabilidade (IN) da bolsa nos últimos três anos, sendo que o IN é calculado a partir do número de negócios de uma ação e o volume financeiro gerado, comparado ao total de negociações da bolsa;
  3. Ter sido negociada em pelo menos 95% dos pregões nos últimos três anos;
  4. Movimentar um volume financeiro equivalente a pelo menos 0,1% do total do mercado à vista dos últimos três anos;
  5. Não ser classificada como penny stock nos últimos três anos. Lembrando que as penny stock são ações com valor médio inferior a um real durante um ano.

Já se a empresa fez um IPO nos últimos três anos, ela pode ser elegível ao Ibovespa desde que cumpra as seguintes condições:

  1. A oferta pública precisa ter sido realizada antes do rebalanceamento anterior da carteira;
  2. Ter estado presente em 95% do pregão desde o IPO;
  3. Atender às condições 2, 4 e 5 para inclusão no Ibovespa.

A partir dos critérios definidos acima, a carteira do Ibovespa é revisada a cada quatro meses. Durante o quadrimestre, a performance das ações são acompanhadas e monitoradas a fim de serem reavaliadas na reunião que define a nova carteira de ações que irá compor o índice.

Também vale lembrar que se uma empresa entra em recuperação judicial ou extrajudicial, regime especial de administração temporária, intervenção ou que tenha ações negociadas em qualquer outra situação especial de listagem, ela é imediatamente excluída do Ibovespa.

Quais são as principais ações do Ibovespa? 

No site da B3, é possível verificar quais são as empresas que integram o Ibovespa do período e a participação de cada uma. Em 16 de outubro de 2020, a carteira era a seguinte:

ABEV3AMBEV S/A
AZUL4AZUL
B3SA3B3
BBAS3BRASIL
BBDC3BRADESCO
BBDC4BRADESCO
BBSE3BBSEGURIDADE
BEEF3MINERVA
BPAC11BTGP BANCO
BRAP4BRADESPAR
BRDT3PETROBRAS BR
BRFS3BRF SA
BRKM5BRASKEM
BRML3BR MALLS PAR
BTOW3B2W DIGITAL
CCRO3CCR SA
CIEL3CIELO
CMIG4CEMIG
COGN3COGNA ON
CPFE3CPFL ENERGIA
CRFB3CARREFOUR BR
CSAN3COSAN
CSNA3SID NACIONAL
CVCB3CVC BRASIL
CYRE3CYRELA REALT
ECOR3ECORODOVIAS
EGIE3ENGIE BRASIL
ELET3ELETROBRAS
ELET6ELETROBRAS
EMBR3EMBRAER
ENBR3ENERGIAS BR
ENGI11ENERGISA
EQTL3EQUATORIAL
EZTC3EZTEC
FLRY3FLEURY
GGBR4GERDAU
GNDI3INTERMEDICA
GOAU4GERDAU MET
GOLL4GOL
HAPV3HAPVIDA
HGTX3CIA HERING
HYPE3HYPERA
IGTA3IGUATEMI
IRBR3IRBBRASIL RE
ITSA4ITAUSA
ITUB4ITAUUNIBANCO
JBSS3JBS
KLBN11KLABIN S/A
LAME4LOJAS AMERIC
LREN3LOJAS RENNER
MGLU3MAGAZ LUIZA
MRFG3MARFRIG
MRVE3MRV
MULT3MULTIPLAN
NTCO3GRUPO NATURA
PCAR3P.ACUCAR-CBD
PETR3PETROBRAS
PETR4PETROBRAS
PRIO3PETRORIO
QUAL3QUALICORP
RADL3RAIADROGASIL
RAIL3RUMO S.A.
RENT3LOCALIZA
SANB11SANTANDER BR
SBSP3SABESP
SULA11SUL AMERICA
SUZB3SUZANO S.A.
TAEE11TAESA
TIMS3TIM
TOTS3TOTVS
UGPA3ULTRAPAR
USIM5USIMINAS
VALE3VALE
VIVT4TELEF BRASIL
VVAR3VIAVAREJO
WEGE3WEG
YDUQ3YDUQS PART

Qual o peso de cada ação na composição do Ibovespa?

Além de selecionar as empresas que estão listadas na B3 para o Ibovespa, outro erro comum é achar que todas as empresas que fazem parte do índice tem o mesmo peso na composição da carteira.

Na verdade, cada ação participa do índice na proporção de sua liquidez e de seu IN em relação ao total da carteira, respeitando a determinação da bolsa de que nenhuma ação detenha mais de 20% do total. Se isso ocorrer, conforme as regras, sua participação é reduzida ao limite máximo e o restante é redistribuído entre as demais.

Como investir nas ações do Ibovespa

O investimento nas ações do Ibovespa pode ser feito por meio de ETFs. É a sigla para exchange traded funds, ou fundos negociados na bolsa. 

De forma resumida, os ETFs do Ibovespa são compostos pelas mesmas ações que integram o índice. Por isso, a rentabilidade e o desempenho dos fundos sempre acompanham as variações do Ibovespa.

Para investir em ETFs, é preciso abrir conta em uma corretora, transferir os valores que você deseja aplicar e escolher o fundo. É necessário emitir a ordem de compra no home broker, plataforma disponibilizada pela corretora. 

Para isso, basta procurar pelo código do ETF desejado. Há quatro ETFs que usam o Ibovespa como referência. A seguir, descubra as principais características dos fundos:

BOVV11

O BOVV11 tem como gestor o Itaú Unibanco e existe desde 2016. A taxa de administração é de 0,30% ao ano, e o patrimônio líquido do fundo é de 5,7 bilhões, de acordo com dados de junho de 2020. Por investir no mínimo 95% do patrimônio em ações do Ibovespa, a performance do fundo está sempre atrelada ao índice.

BOVA11

O BOVA11 é o ETF maior e mais popular da B3. Lançado em 2008, o fundo é gerido pela Black Rock Brasil, empresa americana, e aplica no mínimo 95% em ações do Ibovespa. Para investir no BOVA11, é preciso pagar uma taxa de administração de 0,30% por ano. Entre os principais ativos do fundo, destacam-se a VALE3, ITUB4, B3SA3 e PETR4.

BOVB11

Outro ETF do Ibovespa é o BOVB11. Ele é mais recente: foi criado em 2019 e é gerenciado pelo Bradesco Asset. A taxa de administração é menor em relação aos outros fundos: 0,20% ao ano. 

XBOV11

Por fim, o XBOV11 é um fundo gerenciado pela Caixa e existe desde 2012. A taxa de administração é a mais alta entre os quatro fundos: 0,50% ao ano.

E aí, entendeu como funciona a Ibovespa e suas ações? Agora você já pode começar a investir. 

Lembre-se de escolher uma corretora com credibilidade no mercado para intermediar as suas aplicações. Também fique atento às taxas cobradas para avaliar a rentabilidade dos seus investimentos.

Quais as condições para fazer parte do Ibovespa?

  1. ser uma ação listada e negociada na bolsa. Ativos como bdr’s e ações de empresas em recuperação judicial não são elegíveis ao Ibovespa;
  2. estar entre as empresas com maior Índice de Negociabilidade (IN) da bolsa nos últimos três anos, sendo que o IN é calculado a partir do número de negócios de uma ação e o volume financeiro gerado, comparado ao total de negociações da bolsa;
  3. ser negociada em pelo menos 95% dos pregões nos últimos três anos;
  4. movimentar um volume financeiro equivalente a pelo menos 0,1% do total do mercado à vista dos últimos três anos;
  5. não ser classificada como penny stock nos últimos três anos. Lembrando que as penny stock são ações com valor médio inferior a um real durante um ano.

Já se a empresa fez um ipo nos últimos três anos, ela pode ser elegível ao Ibovespa desde que cumpra as seguintes condições:

  1. a oferta pública precisa ter sido realizada antes do rebalanceamento anterior da carteira;
  2. precisa estar presente em 95% do pregão desde o IPO;
  3. atender às condições 2, 4 e 5 para inclusão no Ibovespa.

A partir dos critérios definidos acima, a carteira do Ibovespa é revisada a cada quatro meses. Durante o quadrimestre, a performance das ações são acompanhadas e monitoradas a fim de serem reavaliadas na reunião que define a nova carteira de ações que irá compor o índice.

Também vale lembrar que se uma empresa entra em recuperação judicial ou extrajudicial, regime especial de administração temporária, intervenção ou que tenha ações negociadas em qualquer outra situação especial de listagem, ela é imediatamente excluída do Ibovespa.



Qual o peso de cada ação na composição do Ibovespa?

Além de selecionar as empresas que estão listadas na B3 para o Ibovespa, outro erro comum é achar que todas as empresas que fazem parte do índice tem o mesmo peso na composição da carteira.

Na verdade, cada ação participa do índice na proporção de sua liquidez e de seu IN em relação ao total da carteira, respeitando a determinação da bolsa de que nenhuma ação detenha mais de 20% do total. Se isso ocorrer, conforme as regras, sua participação é reduzida ao limite máximo e o restante é redistribuído entre as demais.



Qual é a composição atual do Ibovespa?

A carteira atual do Ibovespa, válida de janeiro a abril de 2019, é composta por 65 ações, de 61 empresas, pois Bradesco, Eletrobras, Gerdau e Petrobras aparecem com dois tipos de papéis: ordinárias (ON) e preferenciais (PN).

Dessa forma, o índice é formado por uma carteira hipotética de investimentos composta por esse conjunto diferente de ação e de setores da economia. Sendo que as nove maiores correspondem, juntas, a 58,024% do total.

Abaixo, seguem as principais empresas que fazem parte do Ibovespa e seus respectivos tickers de negociação:

  1. Itaú Unibanco (ITUB4): 10,502%
  2. Bradesco  (BBDC4): 9,119%
  3. Vale (VALE3): 8,586%
  4. Petrobras (PETR4): 7,061%
  5. Petrobras (PETR3): 5,143%
  6. Ambev (ABEV3): 5,138%
  7. Banco do Brasil (BBAS3): 4,468%
  8. B3 (B3SA3): 4,154%
  9. Itaú S.A. (ITSA4) 3,855%

No geral, por ordem alfabética, as respectivas empresas, suas siglas na bolsa e o percentual total que suas ações correspondem no índice Bovespa, a partir de 11 de janeiro de 2019, são:

  • Ambev (ABEV3): 5,138%
  • B3 (B3SA3): 4,154%
  • Banco do Brasil (BBAS3): 4,468%
  • Bradesco (BBDC3): 1,742%
  • Bradesco (BBDC4): 9,119%
  • BB Seguridade (BBSE3): 1,317%
  • Bradespar (BRAP4): 0,391%
  • Petrobras Distribuidora (BRDT3): 0,546%
  • BRF (BRFS3): 1,236%
  • Braskem (BRKM5): 0,894%
  • BRMalls (BRML3): 0,765%
  • B2W Digital (BTOW3): 0,490%
  • CCR (CCRO3):  1.025%
  • Cielo (CIEL3): 0,770%
  • Cemig (CMIG4): 0,843%
  • Cosan (CSAN3): 0,436%
  • Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3): 0,402%
  • CVC Brasil (CVCB3): 0,573%
  • Cyrella Brazil Realty (CYRE3): 0,282%
  • EcoRodovias (ECOR3): 0,141%
  • ENGIE Brasil (EGIE3): 0,717%
  • Eletrobras (ELET3): 0,626%
  • Eletrobras (ELET6): 0,548%
  • Embraer (EMBR3): 0,901%
  • EDP Brasil (ENBR3): 0,339%
  • Equatorial Energia (EQTL3): 1,092%
  • Estacio Participacoes (ESTC3): 0,569%
  • Fleury S.A. (FLRY3): 0,432%
  • Gerdau (GGBR4): 0,984%
  • Gerdau (GOAU4): 0,265%
  • Gol (GOLL4): 0,233%
  • Hypera (HYPE3): 0,814%
  • Iguatemi (IGTA3): 0,248%
  • Itaú SA (ITSA4): 3,855%
  • Itaú Unibanco (ITUB4): 10,502%
  • JBS (JBSS3): 1,482%
  • Klabin SA (KLBN11): 0,738%
  • Kroton (KROT3): 1,064%
  • Lojas Americanas (LAME4): 0,908%
  • LOG Commercial Properties (LOGG3): 0,026%
  • Lojas Renner (LREN3): 1,996%
  • Magazine Luiza (MGLU3): 0,745%
  • Marfrig (MRFG3): 0,155%
  • MRV (MRVE3): 0,274%
  • Multiplan (MULT3): 0,440%
  • Natura (NATU3): 0,505%
  • Pão de Açúcar (PCAR4): 0,943%
  • Petrobras (PETR3): 5,143%
  • Petrobras (PETR4): 7,061%
  • Qualicorp (QUAL3): 0,234%
  • Raia Drogasil (RADL3): 0,825%
  • Rumo S.A. (RAIL3): 1,406%
  • Localiza (RENT3): 1,085%
  • Santander (SANB11): 1,183%
  • Sabesp (SBSP3): 0,836%
  • Smiles (SMLS3): 0,176%
  • Suzano Papel (SUZB3): 1,792%
  • Taesa S.A. (TAEE11): 0,366%
  • TIM (TIMP3): 0,618%
  • Ultrapar (UGPR3): 1,891%
  • Usiminas (USIM5): 0,320%
  • Vale (VALE3): 8,585%
  • Telefônica Brasil (VIVT4): 1,287%
  • Via Varejo (VVAR3): 0,146%
  • WEG (WEGE3): 0,912%