CAGR: cinco coisas que você precisa saber sobre para empreender e investir

Por Redação Onze

cagr

O CAGR refere-se à taxa de crescimento anual composta. Isso quer dizer que ele diz respeito à taxa de retorno necessária para um investimento crescer do seu saldo inicial para o final.

Essa ferramenta é importantíssima para análise de investimentos, sendo muito usado por analistas e fundos. Ao longo do artigo, vamos demonstrar tudo o que você precisa saber sobre esse assunto de forma prática e acessível. Vai perder essa oportunidade? Veja abaixo!

Cinco coisas para saber sobre CAGR

Nesse material, vamos listar os 5 principais tópicos que ajudam a entender a importância do CAGR para uma análise financeira e como interpretar essa ferramenta. Continue a leitura!

 1 – Conceito

Em primeiro lugar, é preciso ter a formatação e entendimento do conceito de forma muito clara para evitar erros no processo. Como já foi dito logo acima, o CAGR é um indicador que mede a taxa de retorno de um investimento em um determinado período de tempo.

Mas antes de aprofundarmos no conceito, é preciso entender um pouco mais sobre o que é o retorno total. Pois bem, isso nada mais é do que o percentual de ganho ou perda em determinado ativo, tomando como base seu preço de compra. Uma forma prática de realizar o cálculo do retorno total é fazendo uma divisão do valor de venda da ação sobre o custo total mais os dividendos obtidos no período.

Agora, podemos compreender sobre a importância do CAGR na análise de investimentos. Isso decorre do fato de que

 2 – Cálculo

Para o cálculo do CAGR, é preciso analisar três dados:

  • o valor inicial do investimento;
  • o valor final do investimento;
  • período.

O período deve ser sempre em anos. Com isso, a fórmula do CAGR é:

  • CAGR = (VF / VI)1/n -1

A legenda para essas siglas é a seguinte: o VF é o valor final do investimento. Já o VI corresponde ao valor inicial do investimento. Por fim, temos o N, que significa o número de períodos em anos. Mas não se assuste com essa fórmula acima. O princípio matemático do processo é bem simples e vamos demonstrar em uma situação hipotética abaixo!

Imagine que em março de 2010 foi realizado um investimento de R$ 10.000,00 em um negócio. O investimento já foi para R$12.000,00 no ano de 2013. Em Janeiro de 2014 a taxa de retorno foi um pouco menor e aumentou mil reais, com isso, o valor ficou em R$14.000,00. Em janeiro de 2015 o retorno alcançou R$19.500,00. Neste momento, foi feito a saída do investimento e resgate do capital.

Nesse caso, o CAGR calculado é de 19.500/10.000. Isso resulta em 1.95, que com a divisão pelo período de 3 anos chega a um CAGR de 1,2493 – 1 = 24,93%. Agora você consegue entender um pouco mais da aplicabilidade prática e técnica do CAGR. Não esqueça de adicionar essa ferramenta nas suas análises de investimentos financeiros.

 4 – Aplicação e Limitações

É preciso entender que o CAGR é apenas uma representação numérica e não pode ser utilizado como determinante para uma análise aprofundada de investimento. Um ponto de muita importância é quanto aos aspectos quantitativos e qualitativos do processo.

Isso porque o CAGR não considera as nuances qualitativas presentes em uma empresa, ficando restrito ao aspecto quantitativo e com o fornecimento de uma análise fria do processo.

Entretanto, o maior problema e limitação do CAGR reside no fato de que ele suaviza retornos e ignora muitos aspectos da realidade empresarial. Temos quer considerar que a volatização e a inconstância dos investimentos são fatores muito importantes.

No caso de comparativos, por exemplo, é muito importante ficar atento com certos detalhes. Imagine um CAGR obtido de 15% em um investimento, comparativamente temos uma aplicação de renda fiz que gere 7%. Em uma análise mais superficial, o investimento financeiro com CAGR de 15% é muito mais atrativo e interessante.

Só que nesse aspecto não está sendo considerada a volatilidade e o risco financeiro desse investimento. Por isso, o CAGR deve funcionar como um indicador acessório nas suas análises, e não como fato determinante.

Outro aspecto limitante do CAGR é quanto à não contabilização de fundos adicionais feitos pelo investidor, durante o período de tempo de investimento. Isso vale tanto para a adição quanto para a retirada de valores. Um exemplo disso é nos casos em que há a injeção de recursos durante 3 anos seguidos. Desse modo, o CAGR não leva em conta essa análise e acabaria inflacionando o seu valor.

Os altos riscos da operação e variações de performance devem ser verificados atentamente para não gerar uma falsa impressão dos investimentos. Procure sempre analisar com riqueza de detalhamento e contar com uma assessoria profissional para não cometer erros durante a sua jornada de investimentos.

5 – Reflexo para finanças

O CAGR pode ser muito útil para a verificação de investimentos que gerem um bom retorno sobre o capital aportado inicialmente. Isso deve levar em conta diversos outros parâmetros e fatores que impactam na geração de receita por um negócio.

É preciso lembrar ainda que o lucro é uma das principais atividades-fim de toda e qualquer empresa. Afinal, é por meio do caixa operacional gerado que a empresa pode se expandir, remunerar acionistas e conseguir se destacar no competitivo e qualificado mercado brasileiro.

Nesse material, foi fácil entender e compreender como o CAGR é um indicador importante e necessário, mas que deve ser analisado com muita atenção. Evitar erros e análises ambíguas pode fazer com que seus investimentos tenham um retorno muito melhores e com maior segurança. Analise, pesquise e estude os mais diversos tópicos e características

que norteiam o mercado financeiro para não perder nenhuma oportunidade.

Gostou do nosso material sobre CAGR? Veja agora mesmo o artigo que separamos especialmente para você sobre o que é uma empresa de capital aberto!