5 dicas de como escolher um fundo de investimento ideal para seu perfil

Por admin

fundo de investimento ideal para seu perfil

Antes de mais nada, você precisa estabelecer a quantia inicial que quer aplicar. Tenha em mente que o investimento deve ser algo positivo para suas finanças. Não invista tudo e fique sem seu fundo de emergências. Nem todos os fundos de investimento possuem possibilidades de saque a qualquer momento, o que pode ser complicado em situações atípicas.

Por isso, a definição do capital inicial requer uma dosagem entre seu dinheiro reserva e o valor que realmente está disponível para investimento.É hora de avaliar o quanto você está disposto a investir por mês. Esse valor também deve ser estabelecido com cuidado, já que o investimento deve ter um valor executável e que não comprometa as suas finanças. Se estiver em dúvida do quanto consegue aplicar, a dica é estabelecer um valor seguro e utilizar o que sobrar como adicional em seus investimentos. Continue lendo as dicas da Onze

Tenha objetivos claros

Depois de determinar o capital que será investido, é hora de traçar seus objetivos. Você precisa do dinheiro a curto, médio ou longo prazo? Para investimentos de curto prazo, pode ser interessante procurar opções de rendimento alto e riscos maiores, pois essas modalidades tendem a ter taxas interessantes para o cliente.

É preciso ter em mente que até mesmo esse aumento de risco deve ser calculado. Trata-se de investir em operações mais rentáveis do que a caderneta de poupança, por exemplo, mas não de arriscar seu dinheiro.

Investimentos de curto prazo podem ser letras de crédito imobiliário, Tesouro Direto, CDB (Certificado de Depósito Bancário) e fundos multimercado. Cada uma delas tem suas particularidades e taxas, mas são opções interessantes por terem bastante liquidez (possibilidade de saque e de movimentação) e rentabilidade.

Se o objetivo é de médio a longo prazo, vale a pena considerar as opções mais seguras e direcionadas para esse objetivo. Informando à instituição financeira que você pretende manter seu dinheiro por 10 anos, as possibilidades de oferta tornam-se muito maiores. Ou seja, a estabilidade do seu investimento permite que lhe sejam oferecidas opções rentáveis, estáveis e seguras.

Faça as contas

Agora que você já tem os norteadores do seu investimento, já reduziu bastante as suas opções. Nesse momento, é interessante buscar simuladores de investimento ou solicitar às instituições financeiras essa simulação. Isso permite que você tenha uma dimensão mais concreta dos rendimentos de tudo o envolve a operação.

Além disso, é importante checar se a quantia obtida é condizente com àquela que precisa. Se você quer investir por dois anos para conseguir o valor que precisa para dar entrada em um imóvel, por exemplo, precisa verificar se as quantias são compatíveis. Caso perceba que não está adequado, vale a pena procurar uma ajuda especializada e entender melhor quais são realmente todas as suas possibilidades efetivas de investimento.

Também pode ser prudente verificar se seus planos iniciais são plausíveis. Caso perceba que não são, a dica é não desanimar! Volte ao primeiro passo e refaça seus planos até conseguir encontrar o que precisa para ter investimentos de sucesso.

Avalie taxas de gestão e tributação

Você deve ter percebido que investimentos semelhantes (renda fixa, baixo risco) possuem rendimentos bastante semelhantes. Como fazer, então, para determinar qual é o mais interessante?

O segredo está nas taxas pagas à agência seguradora e à tributação que incide sobre o seu investimento. Algumas taxas administrativas mensais podem ser caras e consumir boa parte de seus rendimentos. As taxas para resgate também podem ser altas e comprometer o saque da quantia. Por isso, avalie todas as empresas possíveis e veja o quanto você irá gastar com a manutenção do investimento antes de fechar o contrato.

A tributação também é de extrema relevância. Pense no seu investimento de renda fixa como um salário normal: há a quantia bruta que você pode sacar e o valor líquido, que é aquele que sobra após os descontos. No caso do investimento, você precisa saber quais são as taxas e as alíquotas que irão cair sobre o seu montante para poder avaliar qual deles resulta no melhor valor líquido para você.

O ideal é que a simulação de investimento inclua tudo isso, mas para isso, é preciso ficar atento e fazer as contas manualmente caso perceba que a simulação não inclui tudo o que é preciso.

Não aplique todo o seu dinheiro em uma só escolha

Como já dissemos, estabelecer o valor inicial do investimento é fundamental para não comprometer suas finanças. Isso acontece não só pelo comprometimento da quantia, mas também pela perda de possíveis lucros e pelos custos adicionais que a obtenção do dinheiro por outros meios terá.

Todo mundo que já teve uma poupança sabe que os juros do rendimento caem em determinados dias do mês. Se o dinheiro for retirado antes, você perde os juros. O mesmo acontece com outros investimentos: no ato do resgate, você pode perder o rendimento daquele período ou mesmo ter de pagar uma taxa de saque.

Caso o seu investimento bloqueie a retirada por um certo período, a situação é ainda mais complicada. Impossibilitado de sacar, o cliente pode ter que recorrer a um empréstimo, para obter imediatamente a quantia de que precisa. Nesse caso, o que será pago pelo empréstimo provavelmente terá um custo mais alto do que o que é recebido com o investimento.

Ou seja, você será obrigado a pagar juros e outras taxas para pedir dinheiro emprestado simplesmente por ter comprometido o seu fundo de reserva com o investimento.

Gostou das dicas da Onze? Já deu para perceber que escolher o fundo de investimento correto não é nenhum bicho de sete cabeças, mas sim um assunto que precisa de atenção e cuidado. Nós, da Onze, oferecemos ajuda especializada para que você possa escolher a opção mais indicada para seu perfil e obter o melhor resultado possível com seu investimento. Confira!