Calcular juros simples: passo a passo para não errar

Por Redação Onze

calcular

Calcular juros simples é uma tarefa, digamos, simples. É muito mais fácil do que descobrir o retorno de um investimento ou o peso de um crédito com juros compostos, por exemplo.

Mesmo assim, vale a pena entender o cálculo dos juros simples, a diferença de abordagem para os juros compostos e como aplicar esse conhecimento na sua vida financeira.

Ficou interessado? Siga a leitura.

O que são juros simples

Os juros simples são uma das formas de remuneração pelo uso do dinheiro de um terceiro.

É como usar uma casa que não é sua, por exemplo. Você terá de pagar aluguel, certo?  Com empréstimo a juros, o princípio é o mesmo.

Em um sistema de capitalização simples, os juros são calculados invariavelmente sobre o capital inicial.

Para descobrir o quanto de juros será cobrado em uma situação de empréstimo, por exemplo, você precisa saber a taxa de juros e o prazo de pagamento. Portanto:

  • Juros: remuneração do dinheiro emprestado.
  • Taxa de juros: medida em percentual usada para calcular os juros.

Como calcular juros simples

Para calcular juros simples, a taxa é aplicada somente ao capital inicial. O crescimento da dívida, portanto, é linear.

Vamos imaginar que você emprestou R$ 1.000,00 a uma taxa de juros de 10% ao ano durante três anos. Teremos então a seguinte situação:

  • 1º ano: R$ 1.000,00 a 10% = R$ 1.100,00 (R$ 100,00 de juros);
  • 2º ano: R$ 1.100,00 a 10% = R$ 1.200,00 (+ R$ 100,00 de juros);
  • 3º ano: R$ 1.200,00 a 10% = R$ 1.300,00 (+ R$ 100,00 de juros).

No final de três anos, você receberá R$ R$ 1.300,00: a soma dos R$ 1.000,00 emprestados + os R$ 300 de juros simples.

Perceba que os juros de cada período são sempre os mesmos: R$ 100,00.

Isso ocorre porque a taxa de 10% incide somente sobre o valor inicial, não incluindo os juros do período, como ocorre nos juros compostos. Veremos a diferença mais adiante.

Para facilitar os cálculos, podemos usar também a seguinte fórmula matemática:

J = C * i * t

Nela, veja o que cada elemento significa:

  • J = Juros
  • C = Capital emprestado
  • i = Taxa de juros do período
  • t = Tempo.

Confira a aplicação da fórmula: R$ 1.000,00 (C = capital emprestado) para pagar em três anos (t = tempo) a uma taxa de 10% ao ano (i = taxa de juros do período). Quanto serão os juros (J = juros)?

J = C * i * t

  • J= R$ 1.000,00*0,1*3
  • J= R$ 300,00.

Os juros desse empréstimo somam R$ 300,00.

Importante: para a fórmula funcionar, é preciso transformar a taxa de juros, medida em percentual, em número decimal.

Logo: 10/100 = 0,1. Ou seja, 10% é o mesmo que 0,1.

É possível calcular juros simples também no Excel ou no Google Planilhas assim: =(valor do empréstimo)*(taxa de juros)*(tempo).

Cálculo de juros simples x juros compostos

Além de calcular juros simples, é importante que você saiba como funcionam também os juros compostos – os mais usados nas operações financeiras.

O que muda é a aplicação da taxa. Como vimos, no cálculo de juros simples, a taxa medida em percentual incide apenas sobre o valor inicial.

Nos juros compostos, a taxa é aplicada também sobre os juros incorporados ao capital inicial no decorrer do tempo. São os “juros sobre juros”.

A forma de crescimento dos juros simples, portanto, é linear, enquanto a do juro composto é exponencial.

Vamos usar os mesmos valores dos exemplos anteriores para calcular os juros compostos e comparar os resultados.

Quanto rende um capital de R$ 1.000,00, emprestado a uma taxa de juros compostos de 10% ao ano durante três anos? Veja como a “bola de neve” cresce mais rápido:

  • 1º ano: R$ 1.000,00 a 10% = R$ 1.100,00 (R$ 100,00 de juros)
  • 2º ano: R$ 1.100,00 a 10% = R$ 1.210,00 (+R$ 110,00 de juros)
  • 3º ano: R$ 1.210,00 a 10% = R$ 1.331,00 (+R$ 121,00 de juros)

Subtraindo os R$ 1.000,00 (capital emprestado) dos R$ 1.331,00 (capital + juros do período), temos R$ 331,00 de juros compostos. Ou seja: R$ 31,00 a mais do que no cálculo dos juros simples.

Agora, vamos usar a fórmula para ver que o resultado é o mesmo:

M = C(1+i)^t

  • M = Montante a pagar
  • C = Capital emprestado
  • i = Taxa de juros
  • t = Tempo.
  • M = R$ 1.000,00*(1+0,1)^3
  • M = R$ 1.000,00*(1,1)^3
  • M = R$ 1.000,00*1,331
  • M = R$ 331,00.

Para descobrir o tamanho do juro, subtraia do montante o capital investido. Ou seja, R$ 331,00 de juros (R$ 31,00 a mais do que no cálculo de juros simples).

No Excel ou Google Planilhas, a fórmula é a seguinte: =(valor do empréstimo)*(1 + taxa de juros)^(tempo).

Mesmo para quem não é adepto dos números, aprender como calcular juros é essencial em diversos aspectos da vida, seja para comprar a prazo ou fazer aplicações. No final das contas, seu bolso agradece.

Gostou do artigo? Então compartilhe com seus amigos nas redes sociais.