Taxa de juros no Banco Central: como fazer a consulta no site

Por Redação Onze

Taxa de juros no Banco Central: como fazer a consulta

Realizar a consulta é bastante simples:

  1. Acesse o site do Banco Central
  2. Clique na opção “estatísticas”, no menu principal
  3. Na aba que vai abrir, selecione “taxas de juros
  4. Na nova tela, você vai ver todos os tipos de crédito disponíveis; selecione a opção desejada e visualize os números.

Na hora de fazer a pesquisa, tenha atenção apenas para não misturar as modalidades oferecidas para pessoa física e jurídica. 

Por que comparar taxas no Banco Central?

O motivo para utilizar a ferramenta do Banco Central é simples: a consulta permite que você faça um comparativo entre os valores cobrados nas principais instituições financeiras do Brasil, o que resulta em economia.

Afinal, diferentemente do que muita gente pode supor, as taxas aplicadas no mercado não são sempre as mesmas, assim como as condições de pagamento e os termos da negociação.

Quer um exemplo? Os juros praticados para o crédito rotativo do cartão podem variar em até 771,76% ao ano.

Pode parecer absurdo, mas é o que mostram os números reunidos pelo Banco Central para o período de 27 de maio a 02 de junho de 2020. Isso porque, enquanto no Omni Banco a taxa cobrada é de 790,46% ao ano, no Andbank a porcentagem é de 18,70%.

Mesmo entre os bancos mais tradicionais do mercado, a variação pode ser considerável

  • Caixa Econômica Federal: 181,00% ao ano
  • Banco do Brasil: 208,84% ao ano
  • Bradesco: 201,46% ao ano
  • Santander: 241,35% ao ano.

Por ser um canal oficial, você tem a garantia de contar com informações confiáveis e constantemente atualizadas.

Depois de uma análise inicial, é possível partir para o site da própria instituição financeira e conferir mais detalhes sobre a opção desejada.

Em resumo, é sobre fazer escolhas mais inteligentes quando o assunto é o seu dinheiro

Taxa de juros no Banco Central para pessoas físicas

Para pessoa física, a lista de opções disponibilizada no site do Banco Central inclui modalidades com taxas pré-fixadas e pós-fixadas, como mostra a lista a seguir.

Taxas pré-fixadas

  • Aquisição de outros bens
  • Aquisição de veículos
  • Cartão de crédito parcelado
  • Cartão de crédito rotativo não regular
  • Cartão de crédito rotativo regular
  • Cartão de crédito rotativo
  • Cheque especial
  • Crédito pessoal consignado INSS
  • Crédito pessoal consignado privado
  • Crédito pessoal consignado público
  • Crédito pessoal não consignado
  • Desconto de cheques
  • Financiamento imobiliário com taxas de mercado
  • Financiamento imobiliário com taxas reguladas
  • Leasing de veículos.

Taxas pós-fixadas referenciadas em TR

  • Financiamento imobiliário com taxas de mercado
  • Financiamento imobiliário com taxas reguladas.

Taxas pós-fixadas referenciadas em IPCA

  • Financiamento imobiliário com taxas de mercado
  • Financiamento imobiliário com taxas reguladas.

Vamos a mais um exemplo para mostrar como uma boa pesquisa de mercado pode evitar gastos desnecessários com o pagamento de juros. 

Na modalidade “aquisição de veículos” são listadas 41 instituições financeiras. Na mais cara, a taxa anual é de 56,11%, enquanto na mais barata fica em 8,76%. 

Se você fizesse um financiamento de R$ 50 mil, parcelado em 12 vezes, deveria ao banco um total de R$ 78.055,00 após um ano com a taxa de juros mais cara. 

Ao escolher a opção com uma taxa menor, de outra forma, o valor final seria de R$ 54.380,00 – uma diferença de R$ 23.675,00

Claro que outros fatores podem influenciar no montante final, mas a simulação ajuda a entender que a margem de diferença é ampla.

Taxa de juros no Banco Central para pessoas jurídicas

Para pessoa jurídica, o número de opções é menor, mas elas também estão divididas em pré-fixadas e pós-fixadas.

Taxas pré-fixadas

  • Antecipação de faturas de cartão de crédito
  • Capital de giro com prazo até 365 dias
  • Capital de giro com prazo superior a 365 dias
  • Cheque especial
  • Conta garantida
  • Desconto de cheques
  • Desconto de duplicata
  • Vendor.

Taxas pós-fixadas referenciadas em juros flutuantes

  • Capital de giro com prazo até 365 dias
  • Capital de giro com prazo superior a 365 dias
  • Conta garantida.

Taxas pós-fixadas referenciadas em moeda estrangeira

  • Adiantamento sobre contratos de câmbio.

Agora, vamos a um exemplo para a modalidade de cheque especial para pessoa jurídica. 

Na instituição financeira com taxa mais alta, os juros são de 435,02% ao ano, enquanto naquela com as menores porcentagens o número cai para 73,27% ao ano.

Estamos falando de uma diferença de 361,75% ao ano. Imagine o impacto que essa diferença pode ter no orçamento da sua empresa.

Quer ter acesso a mais conteúdos sobre assuntos que influenciam nas suas finanças pessoais? Acompanhe sempre as atualizações do blog da Onze!