Teto da Previdência 2020: valor máximo de benefícios do INSS

Por Redação Onze

teto da previdência

O teto da Previdência Social estabelece um limite para o valor a ser pago por benefícios concedidos no Brasil pelo INSS, o Instituto Nacional do Seguro Social. É o caso, por exemplo, da aposentadoria pública, cujo valor mensal não pode ultrapassar essa definição.

Em 2020, os valores do teto já foram definidos – e com novidades. Para este ano, a Reforma da Previdência alterou a tabela de alíquotas de recolhimento do INSS junto com o aumento dos seguros. Isso significa que a sua contribuição ao sistema pode ficar maior.

Veja, neste artigo, os dados atualizados sobre a Previdência Social e o valor máximo de concessão dos benefícios. Além disso, confira as alíquotas de recolhimento e uma tabela histórica comparando os últimos 25 anos do teto.

Siga acompanhando e boa leitura!

Qual o teto da Previdência 2020?

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é o órgão público que administra os fundos da Previdência Social. Assim, anualmente, ele coloca em prática os valores atualizados de alíquotas e pagamentos dos benefícios concedidos.

A Portaria Nº 914, publicada pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, oficializou os reajustes para o ano de 2020. O teto por exemplo, aumentou 4,48% relação ao ano anterior.

Confira os novos limites:

  • Piso-previdenciário em 2020: R$ 1.039,00
  • Teto-previdenciário em 2020: R$ 6.101,06

Ou seja, todos os contribuintes da Previdência Social que tenham direito ao recebimento de algum benefício, em 2020, devem receber um valor entre o piso e o teto.

Para saber qual a quantia a ser recebida, é preciso fazer o cálculo da aposentadoria. O valor passa por complexas contas que consideram, por exemplo, fator previdenciário, tempo e valor de contribuição. Para facilitar, você pode fazer uma simulação da sua aposentadoria, acessando a calculadora da Previdência da Onze.

Alíquotas de recolhimento de 2020

Junto com os dados sobre o piso e o teto da Previdência em 2020,, foram atualizadas as alíquotas de recolhimento do INSS. Com a Reforma da Previdência, são duas tabelas em uso neste ano: enquanto uma vigorou entre janeiro e fevereiro, a outra começou a ser utilizada em março.

O recolhimento de janeiro e fevereiro deverá ser feito de acordo com as taxas a seguir.

Tabela de contribuição dos segurados empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso, a partir de 1º de janeiro de 2020

Salário-contribuiçãoAlíquotas de recolhimento do INSS
Até R$ 1.830,298%
Entre R$ 1.830,30 até R$ 3.050,529%
Entre R$ 3.050,63 até R$ 6.101,0611%

Em março, então, as alíquotas foram alteradas, de acordo com as novas regras previdenciárias impostas pela Reforma.

Os valores sofreram reajustes. Assim, o mínimo teve redução (de 8% para 7,5%) e o máximo passou de 11% para 14%. Além disso, foi criada outra faixa intermediária de salário-contribuição.

Confira, abaixo, as alíquotas do INSS para 2020 após a Reforma.

Tabela de contribuição dos segurados empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso, a partir de 1º de março de 2020

Salário-contribuiçãoAlíquotas de recolhimento do INSS
Até R$ 1.039,007,5%
Entre R$ 1.039,01 até R$ 2.089,609%
Entre R$ 2.089,61 até R$ 3.134,4012%
Entre R$ 3.134,41 até R$ 6.101,0614%

Vale dizer ainda que as alíquotas de recolhimento do INSS são progressivas. Ou seja, quanto maior o salário, maior será o desconto para a Previdência Social. É chamada tabela progressiva da Previdência, que tem a mesma lógica do Imposto de Renda no salário.

Tabela histórica do teto da Previdência até 2020

Ano após ano, o teto da Previdência Social é reajustado. Confira, então, uma tabela história com os valores máximos pagos pelo INSS aos seus segurados, desde a instituição do Plano Real:

AnoTeto da Previdência
1995R$ 83,66
1996R$ 957,56
1997R$ 957,56
1998R$ 1.031,87
1999R$ 1.200,00
2000R$ 1.255,32
2001R$ 1.328,25
2002R$ 1.430,00
2003R$ 1.561,56
2004R$ 2.400,00
2005R$ 2.668,15
2006R$ 2.801,56
2007R$ 2,894,28
2008R$ 3.038,99
2009R$ 3.128,90
2010R$ 3.416,24
2011R$3.689,66
2012R$ 3.916,20
2013R$ 4.159,00
2014R$ 4.390,24
20105R$ 4.663,75
2016R$ 5.189,82
2017R$ 5.531,31
2018R$ 5.645,80
2019R$ 5.839,45
2020R$ 6.101,06

Como o teto da Previdência Social é definido?

Para chegar ao valor máximo a ser concedido em benefícios, a Previdência Social faz a média dos 200 salários mais altos dos últimos 20 anos, no país. Enquanto isso, o piso-previdenciário é atrelado ao valor do salário-mínimo, no ano vigente.

Vale lembrar que o cálculo da aposentadoria é feito com base na média das contribuições ao INSS. Portanto, o teto-previdenciário delimita o valor dos pagamentos, mas não quer dizer, necessariamente, que o contribuinte receberá o benefício máximo.

Previdência privada é alternativa para ganhar mais



Depois que a Reforma da Previdência foi aprovada, a aposentadoria pelo INSS ficou mais distante e cara para os trabalhadores. Agora, eles precisam permanecer ativos no mercado e contribuir por mais anos para ter direito a se aposentar.

Além disso, pagar a alíquota máxima não garante que você vá receber o teto da Previdência, como vimos. Por isso, se você quer manter um nível financeiro saudável quando encerrar sua vida produtiva, deve apostar na aposentadoria complementar.

Esse é um tipo um de investimento financeiro. Nele, você contribui hoje para usufruir no futuro do valor que aplicou, mais os rendimentos corrigidos por juros.

Em uma das modalidades de planos de previdência privada, as empresas participam ativamente, contribuindo para o fundo que servirá para garantir uma aposentadoria de maior tranquilidade financeira a seus colaboradores. 

É o que a Onze oferece enquanto primeira PrevTech do Brasil. Somos uma gestora de investimentos independente, que oferece planos de previdência para o público corporativo. Nós trabalhamos com a alocação inteligente dos recursos depositados pelos funcionários e pela empresa. 

Quer saber mais? Estamos à espera do seu contato!