Ações de empresas: como investir nas melhores?

Por Redação Onze

O que são ações de empresas?

Empresas bem geridas, normalmente, estão em crescimento constante. Por isso, elas buscam maneiras de financiar suas atividades enquanto projetam expansões.

Chega então um momento em que as linhas de crédito convencionais não são mais suficientes para suprir esse movimento expansionista, dadas as suas limitações. É nesse ponto que a companhia abre o seu capital, ou seja, ela passa a oferecer pequenas frações do seu patrimônio na forma de ações.

Desse modo, ação é uma parte da empresa vendida no mercado financeiro. Em consequência, quem adquire esses papéis torna-se acionista da companhia.

Assim, espera-se que o negócio continue crescendo sem a dependência de dinheiro de bancos, por exemplo. Quando isso acontece, a organização aumenta seu patrimônio, gerando valor para os acionistas, que são recompensados na revenda das ações ou ao receber dividendos.

Vale a pena investir em ações de empresas?

A abertura de capital ocorre no processo chamado Oferta Pública Inicial (IPO), na qual a empresa negocia seus papéis (ações) pela primeira vez em um pregão. Esse é um momento muito importante e considerado como uma grande oportunidade, já que é quando os preços deverão estar em seu patamar mais baixo.

Por outro lado, o valor das ações de empresas não aumenta o tempo todo. Ao longo de uma tendência de crescimento, verificam-se períodos de queda, nas chamadas tendências secundárias e terciárias, conforme a Teoria de Dow.

Esse movimento também traz oportunidades, seja pela cessão de ações a preços maiores que os de compra, seja pelo seu aluguel ou mesmo na venda a descoberto.

Quais ações de empresas estão listadas na B3?

Todas as empresas de capital aberto do Brasil estão listadas no site da B3, a bolsa de valores brasileira. Você poderá confirmar se é possível negociar ações na bolsa em nome de uma empresa pesquisando pelo seu nome. Depois de ler este conteúdo, digite, por exemplo, “Banco do Brasil” na caixa de pesquisa e veja o que acontece.

Se preferir, pode acessar a lista em ordem alfabética, pela qual as empresas e seus respectivos tickers (códigos de negociação) estão listados.

Quais são as ações de empresas no Ibovespa?

O Ibovespa é considerado o termômetro do mercado acionário brasileiro. É por ele que é possível conferir se os preços das ações em geral seguem uma tendência de alta ou de baixa.

Logo, um mercado em baixa sinaliza que as ações em geral estão com seus preços em queda, enquanto movimentos de alta indicam valores em constante elevação.

Papéis de empresas como Petrobras (PETR3 ou PETR4), Itaú (ITUB4) e Ambev (ABEV3) entram na composição do índice, influenciando sua oscilação para baixo ou para cima – confira a lista completa.

Como escolher ações de empresas para investir?

Antes de investir, é fundamental familiarizar-se com a volatilidade do mercado financeiro. Por outro lado, para quem está começando, esse movimento de minuto a minuto nos preços pode representar dificuldades. 

Nesse caso, como decidir pela compra de uma ação? É o que vamos entender melhor nos próximos tópicos.

Use instrumentos de análise técnica

A análise técnica consiste em métodos e ferramentas de cálculo utilizados para prever a performance de uma ação com base em seu passado. Nela, parte-se do princípio de que o valor de um papel está corretamente calculado, ou seja, ele representa exatamente o patrimônio de uma empresa.

É por isso que ela se baseia no estudo dos gráficos das ações, que são disponibilizados em plataformas de negociação e em Home Brokers. Sendo assim, é pelo gráfico que você poderá extrair dados para fundamentar suas decisões ao investir em papéis de empresas. 

A seguir, veja algumas formas de interpretá-lo. 

1. Volume negociado

Tendências de alta são normalmente acompanhadas pelo respectivo aumento no volume de ações negociadas.

Portanto, para ter mais segurança a respeito de um movimento ascendente nos preços, procure verificar se o volume também está em uma crescente. Do contrário, é possível que os valores venham a cair ou estagnar em curto prazo.

2. Suporte x resistência

Não deixe, ainda, de avaliar quais são as zonas de suporte e de resistência de uma ação.

A zona de suporte é aquela em que o gráfico está em seu ponto mais baixo e, a partir dele, os preços tendem a subir.

Já a zona de resistência é onde os custos atingem o seu ápice e, nessa posição do gráfico, tendem a cair.

3. Interprete os candlesticks

Uma das maneiras de visualizar a evolução dos preços de uma ação é pelo formato gráfico de candlesticks (velas). Por isso, uma forma de confirmar uma reversão, ou seja, uma alta depois de um período de baixa (e vice-versa), é conferir candles que apontem para essas mudanças.

Normalmente, o candlestick de reversão para alta tem uma sombra (linha negra fina) inferior mais longa, aparecendo no final de uma zona de suporte. Já os que apontam para uma baixa têm sombras na parte de cima, surgindo em zonas de resistência.

Com as dicas e orientações que você acaba de conhecer, poderá começar a negociar ações de empresas com o mínimo de riscos, embora eles sempre existam. Portanto, não deixe de acompanhar os conteúdos no blog da Onze para dar ainda mais segurança às suas transações.