8 aplicações financeiras para investir o seu dinheiro

Por admin

Investir dinheiro como forma de aumentar o patrimônio, realizar sonhos ou conquistar uma aposentadoria tem grande destaque nos dias de hoje. Com as instabilidades que a economia apresenta, é uma saída para conseguir uma vida melhor.

Entender a bolsa de valores e o funcionamento do mercado de ações, no entanto, pode ser um desafio. Não é fácil acompanhar tantos dados financeiros no momento de escolher a melhor opção de investimento.

Para tornar o processo mais simples, você pode procurar entender algumas das mais comuns e procuradas aplicações financeiras. É um ponto de partida eficiente para começar a definir como investir seu dinheiro e ter os retornos esperados.

Descubra o que são e quais são essas aplicações e faça seu dinheiro trabalhar em prol dos seus objetivos.

O que são aplicações financeiras?

Esse é um termo que todo mundo já ouviu em algum lugar, seja entre amigos ou na internet e jornais. Ele parece autoexplicativo, não é? Mas cuidado, pode parecer simples, porém o termo pode causar muita confusão para quem não conhece bem o mercado financeiro.

Aplicações financeiras são compras de ativos, que podem ser ações ou títulos, tendo como objetivo alcançar rendimento de capital em um período de tempo predeterminado.

Existem diversos pontos para serem considerados em cada possível aplicação no mercado financeiro e que mudam de um investimento para outro:

  • Existência de quantia mínima de investimento inicial exigida;
  • Tempo mínimo do investimento para que o dinheiro possa ser retirado;
  • Rentabilidade, considerando retornos e custos potenciais, de cada aplicação;
  • Riscos de perda de capital específicos de cada possível investimento;
  • Modalidade de investimento (renda fixa e renda variável).

Sobre a modalidade, é necessário esclarecer a diferença entre as duas. É um ponto essencial na compreensão das aplicações.

A modalidade de renda fixa é indicada para investidores que não desejam correr muitos riscos de desvalorização e que preferem aplicações mais conservadoras e de longo prazo. Já aplicações de renda variável, geralmente, são de curto prazo e oferecem ganhos mais elevados, por isso, são consideradas de grande risco.

Escolher o tipo de aplicação entre fixa e variável e, dentro dos dois grupos, qual a melhor opção para você depende do que você quer alcançar. A rentabilidade de cada investimento muda dependendo do planejamento, capital para o investimento inicial, tempo que se deseja esperar e objetivos.

Como saber qual é a aplicação ideal para o meu perfil?

Antes de escolher a aplicação em que irá investir você precisa, descobrir qual é o seu perfil como investidor. Apenas com esse perfil é possível determinar qual a melhor opção de investimento para você.

O primeiro passo é definir seus objetivos com o investimento. A rentabilidade de uma aplicação financeira varia e só pode ser mesurada com base nas suas expectativas. Para saber qual é seu objetivo e, a partir dele, traçar um planejamento, você precisa saber:

  • O que você deseja conquistar com seu investimento? (viagem, aposentadoria, carro, casa, etc.)
  • Existe alguma submeta para esse objetivo?
  • Quanto quer ganhar quando começar a investir?
  • Qual seu capital disponível para aplicar?
  • Quanto tempo de investimento pretende fazer?
  • Está disposto a correr qual grau de risco para atingir sua meta?

Como as aplicações podem ser mais ou menos rentáveis em algumas circunstâncias que em outras, é essencial saber a resposta para essas perguntas antes de começar a investir.

Tenha cuidado com as expectativas. Muitas vezes, ao responder as perguntas, esperamos que a aplicação alcance resultados ilusórios. O mercado financeiro não é milagroso e você não vai ficar rico de uma hora para outra. Sonhe alto, contudo, tenha consciência de que rentabilidade em aplicações é um processo que leva tempo e exige capital para investir.

Tempo e capital são, inclusive, a base principal para definir o perfil de investidos depois que o planejamento é desenvolvido com as repostas das perguntas. Leve em consideração, ainda, suas preferências e expectativas.

Só é possível saber seu perfil de investidor com um questionário. Você encontra diversos modelos online ou pode optar por procurar um analista para identificar seu perfil. Existem três possibilidades: conservador, moderado ou arrojado, sendo diferenciados, basicamente, por estar mais ou menos disposto a correr riscos e ter ou não um capital alto para investir.

8 aplicações financeiras de destaque para investir

Agora que você já entendeu o que são as essas aplicações e já sabe como definir um perfil e escolher o melhor investimento para ele, é hora de descobrir onde investir seu dinheiro.

Para ajudar na escolha, conheça as aplicações financeiras de maior destaque da atualidade:

1. LC (Letras de Câmbio)

Título de renda física emitido por financeiras. Tem como principais características oferecer rentabilidade mais alta, chegando a 120%, e ter risco elevado. Apesar do risco, é um investimento que oferece garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para valores até R$ 250 mil. É uma alternativa excelente para investimentos de curto e médio prazo.

2. LCI e LCA (Letras de Crédito Imobiliário e Agrícola)

Títulos de renda fixa emitidos por bancos e que, assim como a LC, possuem garantia do FGC para valores até R$ 250 mil. As principais vantagens que as letras de crédito oferecem são a isenção de imposto de renda e a inexistência de liquidez, de forma que o lucro pode ser recebido antes do vencimento do título.

A rentabilidade da LCI e da LCA pode ser pré ou pós-fixada. Na pré-fixada, você sempre sabe qual será o ganho obtido, enquanto na pós-fixada o retorno varia de acordo com o CDI. Como regra geral, quanto maior o tempo e valor investido, maior a rentabilidade.

3. CRI e CRA (Certificado de Recebíveis Imobiliários e Agrícolas)

Assim como os anteriores, CRI e CRA também são títulos de renda fixa. São emitidos por instituições securitizadores e, em 2019, se tornaram investimentos abertos ao público, não sendo mais restritas a investidores qualificados (com mais de um milhão de reais).

Isentos de impostos de renda, são investimentos de risco moderado, apresentando um rendimento um pouco maior do que a maioria dos títulos de renda fixa.

4. VGBL e PGBL

VGBL e PGBL são duas aplicações de fundo de previdência no Brasil. Não é segredo que as mudanças nas leis da aposentadoria têm chamado mais investidores para a previdência, o que torna essas aplicações muito procuradas.

A maior parte dessas aplicações é realizada por bancos, o que acaba resultando em muitas taxas, reduzindo o rendimento conseguido. Existe, no entanto, a possibilidade de realizar esse investimento com corretoras.

Com as corretoras, as taxas são reduzidas, eliminando taxa de carregamento de entrada e saída e de custódia. Ainda assim, é necessário pagar taxas de administração e não são investimentos isentos de Importo de Renda.

5. Tesouro Direto

Investimento de renda fixa que utiliza recursos captados para financiar atividades do Governo Federal nas áreas da Saúde, Educação e Infraestrutura. Funciona como um empréstimo feito ao governo, de forma que o retorno é, de certa forma, o juro desse empréstimo no momento da devolução.

Garante a redução de custos e maiores opções no investimento em títulos públicos, além de garantias do próprio governo, reduzindo ao mínimo os riscos. Também oferece as opções de rentabilidade pré e pós-fixada, sendo a pós atrelada à Taxa Selic (taxa básica de juros) ou ao IPCA (inflação).

A liquidez deve respeitar a data de vencimento do título, mas oferece a opção de venda para o Tesouro Nacional antes desse prazo. Apresenta aporte inicial baixo.

6. Fundos de Renda Fixa

É um investimento onde ocorre a compra de uma cota dentro de uma conta de investimento administrada por gestores. São eles quem decidem onde seu dinheiro será aplicado para ter máximo rendimento, pautados pelas regras determinadas na contratação do fundo.

Não possui garantia da FGC e depende da qualidade da empresa administradora, exigindo uma grande pesquisa sobre a empresa gestora.

7. Ações

É um investimento em que você se torna sócio de uma empresa. Com alguns setores tendo melhores resultados no mercado, tem grande potencial de oferecer retorno.

As ações exigem conhecimento do mercado financeiro, então não são recomendadas para investidores pouco experientes. É um investimento de alto risco, já que todo o capital depende do sucesso de uma empresa, que sempre corre o risco de falir.

8. FIIs (Fundos Imobiliários)

Investir em imóveis é uma tendência crescente. Nos Fundos Imobiliários, você realiza a compra de uma parte ou conjunto de imóveis. Ao adquirir um FII você passa a receber uma parte do aluguel dos imóveis em que investiu. Os FIIS são tributados no Imposto de Renda.

Essa aplicação tem renda variável e é mais indicada para quem quer uma renda extra. Os riscos dessas aplicações são altos, o que faz com que sejam mais compatíveis com perfis mais agressivos e arrojados de investidores.

 

Quer saber mais sobre seu perfil investidor e sobre qual opção melhor atende seus objetivos? Entre em contato com a Onze Invest, a casa de investimentos que cuidado do seu patrimônio financeiro de longo prazo, e veja onde suas aplicações financeiras podem render mais.