Calendário restituição IR 2020: saiba quando vai receber

Por admin

calendario-restituicao

O calendário de restituição do Imposto de Renda 2020 está disponível. Para quem fizer a sua declaração no prazo e tiver valores a receber de volta, vale conhecer as datas.

Todos os anos, a Receita Federal disponibiliza um calendário diferente para devolver os valores em impostos que foram recolhidos a mais. Uma graninha extra pode ser interessante, não é mesmo?

Esse controle ajuda você a se planejar para realizar metas financeiras, além de se organizar para colocar as contas em dia. Assim, confira o cronograma e saiba como consultar sua possível restituição em 2020.

Calendário restituição IR: tire suas dúvidas

Não precisa ficar preocupado! A Declaração do Imposto de Renda gera dúvidas mesmo e, anualmente, é uma verdadeira luta contra o tempo para fazer a entrega do arquivo.

Da mesma forma, a restituição traz diversas incertezas, não é verdade? Confira, então, tudo o que você precisa saber sobre a devolução de valores pela Receita Federal.

Como funciona a restituição do IR?

Antes do calendário da restituição, vamos entender como ela funciona para saber se você tem direito a valores extras.

Como deve saber, o governo cobra o Imposto de Renda (IR) sobre os ganhos dos brasileiros. Assim, qualquer pagamento feito entre pessoas físicas e jurídicas pode ser tributado pelo IR.

Em alguns casos, o tributo é recolhido diretamente na origem da transação: o chamado Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF). Ou seja, o IRRF é abatido do valor a ser pago ao recebedor antes mesmo que ele o receba.

Salários, pagamentos de serviços e aluguéis são exemplos de rendimentos que têm o imposto recolhido na fonte. Além deles, alguns investimentos em renda fixa – como Tesouro Direto e debêntures – são tributados com IRRF.

Assim, quando o investidor vai resgatar o saldo da aplicação financeira, ele recebe o valor líquido – isto é, já com o tributo descontado.

O Imposto de Renda Retido na Fonte é recolhido mensalmente, sendo obrigação da fonte pagadora fazer sua apuração e recolhimento.

No caso do IRRF, podem haver divergências entre o valor efetivamente pago pelo contribuinte e o que ele deveria pagar. Por isso, a Declaração de Ajuste Anual de Imposto de Renda é tão importante para os declarantes.

Por meio dela, o contribuinte poderá comprovar que houve um pagamento excedente do IR, em relação ao ano-base.

Depois que ele informar todos os seus rendimentos do ano anterior, deve apresentar todas as deduções (gastos com saúde, educação, previdência privada, dependentes e contribuição ao INSS).

Se, após o cálculo do Imposto de Renda, for constatado que o pagamento do tributo foi maior do que deveria ser, o contribuinte pode ter o valor excedente restituído.

Como consultar a restituição em 2020?

A gente tem um artigo completo só sobre esse assunto: acesse aqui. Mas, como dica rápida, a consulta à restituição pode ser feita no portal da Receita Federal.

É ali que descobre se você tem direito a receber a devolução do IR em 2020. Basta acessar aqui: Consulta Restituições de Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF).

Qual o calendário de restituição em 2020?

Feita a consulta e constatando que você tem valores a receber como restituição, fique de olho nas datas.

Anualmente, a Receita Federal divulga um calendário da restituição, com os dias previstos para o pagamento. Em 2020, as datas se dividem em cinco lotes.

São as seguintes:

  • 1º lote: 29 de maio de 2020
  • 2º lote: 30 de junho de 2020
  • 3º lote: 31 de julho de 2020
  • 4º lote: 31 de agosto de 2020
  • 5º lote: 30 de setembro de 2020.

Lembrando que as datas são válidas para as declarações processadas e sem pendências.

Como receber a restituição do IR?

A devolução dos valores pagos a mais pelo contribuinte é realizada diretamente em conta.

De acordo com os dados cadastrados pelo declarante, a restituição do imposto de renda será realizada em conta-corrente ou poupança dentro do prazo estipulado no calendário.

Como os lotes da restituição são definidos?

A legislação do Imposto de Renda garante uma ordem no pagamento da restituição. Assim, os idosos são o primeiro grupo a receber os valores devolvidos. Eles ficam, portanto, no primeiro lote de pagamento.

Também são beneficiados os portadores de deficiência física ou moléstia grave, além dos contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério (ou seja, os professores).

Por fim, os demais contribuintes entram na fila para ter o IR pago a mais restituído. Nesses casos, vale a ordem de entrega da declaração.

Quem deixa para a última hora, fica para o fim do calendário de restituição.

Quem tem direito à restituição do IR?

Como vimos, o pagamento da restituição é feito a todos aqueles que pagaram mais Imposto de Renda do que, efetivamente, deveriam pagar.

Isto é, quando as deduções do IR superaram o valor do imposto retido na fonte, o contribuinte tem direito a resgatar o valor excedente. Assim, depois que a declaração anual for entregue, o declarante deve aguardar a liberação da consulta.

Caso ele possa fazer a restituição, é só verificar o calendário de pagamento e aguardar o depósito do valor em sua conta na data prevista.

Mas para saber se você pode receber a restituição – e ter esse dinheiro extra –, é preciso andar organizado com suas contas. Aliás, planejamento financeiro é a chave do sucesso para você ter o dinheiro que precisa e realizar seus sonhos, certo?

Com a Onze, você descobre como organizar suas finanças, investir e ter o futuro que sempre quis.

Siga acompanhando nossos conteúdos e invista em conhecimento!