Deduções legais ou desconto simplificado: entenda como proceder

Por Redação Onze

Deduções legais ou desconto simplificado: qual opção vale mais a pena na hora de declarar o Imposto de Renda? Essa é uma dúvida comum dos contribuintes, que pode ser resolvida com alguns cálculos simples

A escolha depende do total de despesas dedutíveis que você tem em relação à renda. A partir desse dado, você pode avaliar se é mais vantajoso optar por deduções legais ou desconto simplificado — ou seja, verificar qual pode reduzir o imposto devido ou garantir a restituição. 

Continue lendo e tome a decisão certa. 

O que são deduções legais no Imposto de Renda

Para escolher entre deduções legais ou desconto simplificado, você precisa ter esses dois conceitos claros. As deduções legais são despesas que você pode abater da base de cálculo dos seus rendimentos, como gastos com plano de saúde, escola dos filhos e planos de previdência privada

Dependendo do valor das deduções, você pode reduzir o valor do imposto devido ou mesmo garantir a restituição. No caso, as deduções legais são válidas quando o contribuinte opta pelo modelo de declaração completa, que exige a classificação de todas as despesas e apresentação de notas fiscais, recibos e outros documentos que comprovem os gastos informados. 

O que é o desconto simplificado

Ao contrário das deduções legais, o desconto simplificado não considera as despesas informadas pelo contribuinte — em vez disso, é aplicado um desconto padrão de 20%  sobre os rendimentos tributáveis, limitado a R$ 16.754,34 no IR 2020. 

Ao optar por esse desconto, o contribuinte preenche o modelo simplificado da declaração do IR.

Deduções legais ou desconto simplificado: qual é o seu caso?

Para decidir entre deduções legais ou desconto simplificado, você deve fazer alguns cálculos e verificar qual a opção mais vantajosa para a sua realidade financeira. 

Confira a seguir dicas essenciais para acertar na declaração do IR. 

Comece calculando todas as despesas dedutíveis 

Antes de selecionar deduções legais ou desconto simplificado, você precisa contabilizar todas as despesas dedutíveis que teve durante o ano anterior. São elas:

  • Despesas médicas: você pode declarar todos os gastos de saúde relacionados a tratamento próprio, dos dependentes ou alimentandos, sem limite e com dedução integral do IR
  • Despesas com educação: a dedução das despesas com educação está limitada ao valor de R$ 3.561,50 por dependente (IR 2020), mas não há limite para inclusão dos dependentes, desde que comprovados
  • Despesas com dependentes: os dependentes também dão direito ao abatimento do IR no valor de R$ 2.275,09 cada
  • Plano de previdência: o valor das contribuições para o plano de previdência privada tipo PGBL pode ser abatido até o limite de 12% da renda do contribuinte.
  • Livro-caixa: o livro-caixa do profissional autônomo também pode ser incluído com dedução integral.

Depois de calcular o total dessas despesas, você poderá decidir se vale a pena optar pelas deduções legais ou desconto simplificado.

Confira se as despesas são permitidas

Outro ponto importante é confirmar se as despesas que você contabilizou são permitidas para dedução no Imposto de Renda do ano atual. Isso porque existem algumas regras e condições para as despesas dedutíveis, e uma má interpretação pode levar sua declaração para a malha fina

Por exemplo, nos gastos médicos, estão incluídos pagamentos efetuados a qualquer especialidade (clínicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, cirurgiões), pagamento do plano de saúde e gastos com exames e serviços. No entanto, não são consideradas despesas com farmácia e medicamentos, ainda que de uso contínuo.

Na área da educação, não são aceitas despesas com material escolar, uniformes, transporte e alimentação, além de cursos extracurriculares como idiomas, música, esporte e preparação para vestibulares. 

Por isso, é preciso acompanhar as alterações e atualizações sobre as despesas dedutíveis a cada ano. No IR de 2020, por exemplo, as despesas com INSS de empregadas domésticas deixaram de ser aceitas pela Receita Federal. 

Verifique se as despesas ultrapassam 20% da renda

Depois de calcular seu total de despesas dedutíveis, você só precisa comparar o resultado com a sua renda para decidir entre deduções legais ou desconto simplificado. A regra é muito simples: se suas despesas ultrapassam 20% da base de cálculo, vale a pena fazer a declaração completa e optar pelas deduções legais — do contrário, é melhor optar pelo desconto padrão de 20% no modelo simplificado. 

Confirme sua opção no programa do IR

O próprio programa IR mostra qual a melhor escolha para o contribuinte. Se quiser comparar as opções com deduções legais e desconto simplificado, é só seguir os passos abaixo:

  1. Preencha todas as despesas, como se estivesse fazendo o modelo completo
  2. Quando terminar de preencher, selecione a janela “Opção pela Tributação” no canto inferior esquerdo 
  3. Compare o valor da tributação “por deduções legais” e “por desconto simplificado” (basta clicar no desconto para ver como ficaria simplificado)
  4. Escolha a opção com o imposto menor ou restituição maior.

Viu como é simples escolher entre deduções legais ou desconto simplificado? Agora é só colocar as dicas em prática e tomar a melhor decisão para o seu bolso