Gráfico de ações: como começar a analisar

Por Redação Onze

Grafico-de-acoes

O que representa o gráfico de ações

Falando em termos simplificados, o gráfico de ações representa o movimento da cotação (preço) da ação ao longo do tempo.

O gráfico pode ser analisado em qualquer série temporal, sendo de cinco minutos, uma hora, um dia, uma semana, um mês ou até anos.

Analistas, investidores e gestores que utilizam os gráficos de ações para guiar suas decisões argumentam que o preço da ação já contém todas as informações necessárias e disponíveis ao mercado.

Como as ações são ativos muito líquidos, com uma precificação constante, qualquer informação nova já é incorporada a esse preço, que se movimenta de acordo com a regra simples da oferta e da demanda.

Nesse sentido, analisar a variação do preço ao longo do tempo, por meio do gráfico de ações, permitiria ao investidor identificar tendências e prever o comportamento do mercado, para adotar uma postura que se beneficie da sua leitura, como a compra ou venda desses ativos.

Origem da análise do gráfico de ações

A origem da análise do gráfico de ações está relacionada à Teoria de Dow, que tem mais de cem anos de história.

Concebida por Charles Dow, que era colunista do Wall Street Journal, e viria a dar nome ao ìndice Dow Jones, a teoria tem como base e estudo da repetição dos movimentos históricos dos preços.

Analisando os gráficos e estudando o movimento dos preços, Dow elencou seis fundamentos que se tornaram a base da análise técnica.

  • Índices de ações, como o Ibovespa, refletem o mercado
  • O mercado possui 3 tendências: primária (dominante), secundária (oscilações que seguem a tendência primária) e terciária (criada dentro das secundárias)
  • A tendência primária possui 3 fases: acumulação, participação pública e distribuição
  • Os índices e médias devem confirmar uns ao outros: uma tendência do mercado precisa ser identificada em mais de um índice
  • Volume deve confirmar a tendência: crescimento do volume confirma tendência de alta, e queda do volume confirmam tendência de baixa
  • Uma tendência é criada quando não há sinais de reversão

Foi a partir desses estudos de Dow, que não tinham o objetivo de indicar compra ou venda de ações, que a análise do gráfico de ações se difundiu e foi amadurecendo até chegar aos dias de hoje, quando é utilizada por milhares de investidores em todo o mundo.

Como estudar um gráfico de ações

A seguir, listamos um passo a passo simplificado para você dar os seus primeiros passos nos estudos dos gráficos de ações:

Entenda os candlesticks

O primeiro passo é entender os candlesticks. Também conhecido como gráficos de velas, eles são uma das ferramentas mais utilizadas na análise de gráfico de ações, porque expressam várias informações em um único desenho, o que facilita a observação e torna a visualização mais rápida. Cada candle mostra o preço de abertura, preço de fechamento, preço máximo e preço mínimo do período analisado.

Familiarize-se com os principais conceitos

Ao estudar a análise de gráfico de ações, você vai notar que há diversos conceitos que você precisa absorver. Os mais básicos são aqueles que dizem respeito aos topos, fundos, suportes e resistências.

Topos são formados quando o preço de uma ação atinge seu maior valor em um período, enquanto fundos são o oposto: o menor valor. Já uma área de suporte é aquela que impede que o preço da ação caia mais, e uma área de resistência é uma área que a ação tem dificuldades para ultrapassar ao crescer.

Utilize indicadores de análise técnica

Há diversos tipos de indicadores de análise técnica que facilitam a vida do investidor que analisa os gráficos de ações. Esses indicadores podem acompanhar o preço da ação, o volume de negociações e outras informações, para cruzar dados entre si e mostrar indicadores que mostrem uma tendência ou reversão de tendência. Médias móveis, volumes, tendência, momento e volatilidade são algumas das características que os indicadores abrangem. O principal diferencial é facilitar a análise.

Tente encontrar tendências nos movimentos

Se o trabalho de um analista técnico pudesse ser resumido, o objetivo seria o de identificar tendências nos movimentos dos preços das ações – e se posicionar para defender ou surfar esse movimento. Por isso, todas análises que você fizer devem ter este norte como principal objetivo. O que você procura são padrões no movimento dos preços que mostrem uma tendência em ação.

Utilizar gráfico de ações funciona?

A análise do gráfico de ações, embora seja utilizada por milhares de investidores e difundida em todo o mundo, não é uma unanimidade.

Estudiosos como Eugene Fama, criador da hipótese do mercado eficiente, defendem que, no curto prazo, a oscilação dos preços é completamente aleatória. Nesse contexto, a análise técnica não faria sentido, e a análise fundamentalista com foco no longo prazo seria mais indicada.

Mesmo assim, você vai encontrar investidores bem-sucedidos por meio dessa estratégia.

Para descobrir se a análise do gráfico de ações faz sentido para a sua filosofia de investimentos, a melhor saída é estudar o máximo possível sobre o assunto. Dessa maneira, você tira suas dúvidas e consegue decidir com sabedoria.

Quer ficar por dentro de outros conteúdos sobre finanças? Então, continue acompanhando o blog da Onze!