O que é e como investir no Índice S&P 500

Por admin

Ao decidir diversificar os investimentos no mercado internacional, com foco na Bolsa de Valores, é necessário compreender termos e procedimentos como, por exemplo, os chamados índices de ações, que servem de referência para investidores e mercados por permitir o acompanhamento da performance das empresas nos últimos anos. Um dos índices mais conhecidos, e considerado por muitos como o principal do mundo, é o Índice S&P 500, negociado nas duas principais bolsas dos Estados Unidos, a NYSE (Bolsa de Nova York) e a NASDAQ.

Sigla para Standard & Poor’s e criado em 1957, o índice é um composto por ativos de 500 ações de empresas selecionados pelo seu tamanho, pela representação no mercado e pela sua liquidez. Além disso, o time de especialistas da Standard & Poor’s também leva em conta se a empresa possui papéis em custódia do poder público (50% do total), se contribui de forma equilibrada para o setor de atuação e se tem feito abertura de capital há, pelo menos, 6 meses. Também é observado se os resultados dos ativos foram positivos por, no mínimo, quatro trimestres consecutivos.

Neste cenário, o índice serve de termômetro para o investidor ao apontar a rentabilidade de gigantes americanas de capital aberto e diferentes setores econômicos como Coca-Cola, Amazon, McDonald’s, Visa, Microsoft, Apple, Netflix, Nike, entre outras. Somado, o patrimônio das 500 empresas constantes no índice está avaliado em US$ 20 trilhões, com pontuação média de 2,7 mil. Para ter ideia do rendimento, o índice alcançou 15,23% de crescimento no acumulado do primeiro trimestre de 2019.

Saiba mais sobre o Índice S&P 500

O Índice S&P 500 é influenciado pelo valor de mercado e pela quantidade de papéis que circula, cada um com seu peso, para determinar se é ou não um bom negócio para o investidor. Ou seja, o valor de mercado multiplicado pela tanto de papéis circulando resulta em um valor de mercado ponderado, uma característica reconhecida deste índice.

Neste contexto, recomenda-se acompanhar diariamente para tomar a decisão sobre investir ou não. Além disso, os especialistas sempre destacam o mercado americano preza pela tecnicidade nos procedimentos e isso torna-se uma vantagem, inclusive em relação ao Índice S&P 500, porque pode facilitar a operação e a adoção de estratégias eficientes para gerar dividendos. Um cuidado ao optar por este investimento é estar ciente que as transações são feitas em dólar e por isso é preciso atenção redobrada com a oscilação cambial.

Procedimentos para investir no S&P 500

Como destacado acima, os procedimentos em relação à operação com o Índice S&p 500 são muito técnicos e são um ponto a favor do investir. Mas isso não significa ter pressa nem pular etapas. Prepare-se de verdade para fazer o investimento. Estude o mercado financeiro, caso ainda esteja iniciando sua jornada como investidor.

Para quem deseja investir nas ações do Índice S&P 500, o passo seguinte depois de compreender melhor esta opção, é abrir uma conta em uma instituição financeira. É importante destacar que o investimento no índice pode ser feito direto da Bolsa de Valores brasileira. Com a conta aberta, a instituição se encarrega de estabelecer a relação entre o investidor e o mercado de capitais.

A próxima etapa  é obter a habilitação para negociar ativos da Bolsa de Mercadorias & Futuro, aqui do Brasil. Com isso, será possível negociar contratos do Índice S&P 500 via home broker. A destacar que deve ser observadas as datas de vencimento dos contratos relacionados ao índice. São quatro ao longo do ano: em março (ISPH); junho (ISPM); setembro (ISPU); e dezembro (ISPZ). Observe que para cada vencimento há um código de contrato específico, que deve ser informado junto com a quantidade e o valor da aplicação.

Com a conta e a habilitação, o passo agora no processo de investimento no Índice S&P 500 é enviar os valores para a corretora. O procedimento pode ser online, mas sempre lembrando que é importante informar a corretora, além de fazer os aportes sempre após uma análise aprofundada para saber se é ou não o melhor momento para isso.

Quer saber mais sobre como funciona o mercado financeiro? A Onze explica para você! Confira nosso guia.