Monopsônio: entenda tudo sobre esse fenômeno anticoncorrencial

Por admin

monopsônio

Todo investidor deve entender o mercado anticoncorrencial para saber a melhor forma de investir seu capital. A forma como o mercado se estrutura é a principal base para o crescimento e lucratividade de ações às regulações que a concorrência de mercado entre as empresas oferece.

Quando se necessita tomar decisões sobre o que é e como investir no Mercado Futuro, como comprar e vender ações ou outros tipos de aplicações, é necessário entender como a regulação por concorrência funciona.

Entre os temas mais debatidos atualmente dentro do fenômeno anticoncorrencial está o monopsônio. Entender esse fenômeno econômico pode abrir os olhos de muitos investidores que desejam aumentar seu patrimônio.

O que é Monopsônio?

O que ocorre no monopsônio é que existem diferentes empresas vendendo o mesmo produto. No entanto, há apenas um comprador para consumir essa oferta. Isso é justamente o contrário do monopólio, em que há diversos consumidores porém apenas um fornecedor para o produto.

O conceito de monopsônio é, grosso modo, então, o exato oposto do conhecido monopólio.

É possível encontrar situações em que diversos compradores se unem em um único grupo de compra, transformando o monopsônio em oligopsônio.

Quando se tem apenas um comprador para uma grande quantidade de produtos, ele é a principal influência para a regulação do mercado daquele bem ou serviço, tirando esse poder do processo de concorrência entre empresas. É por isso que esse fenômeno é chamado de anticoncorrencial.

O que se vê, então, é a falta de opções para os produtores na hora de decidir a venda dos serviços e produtos. E isso gera uma guerra de preços para tentar fechar contratos de venda.

Com isso, não é difícil ver situações em que os preços caem bastante ou a quantidade disponível na oferta é muito mais alta. O fenômeno elimina a capacidade das empresas em cobrar o preço que desejam receber pela mercadoria.

Quais as características do Monopsônio

Caracterizar esse fenômeno pode ser feito com base em quatro pontos principais: comprador, poder sobre preço, barreiras e produto.

  • Comprador: o monopsônio, obrigatoriamente, apresenta só um comprador para o produto oferecido por diferentes empresas.
  • Poder sobre preço: existe uma margem de controle regulada pela disputa entre as empresas, mas quem define, realmente, o preço é o comprador. A compra nem sempre vai ser feita com base no valor mais baixo, então o poder das vendedoras está nos benefícios associados ao produto e negociação.
  • Barreiras: se tonar um comprador nesse mercado é muito difícil e existem diversas barreiras. As barreiras de entrada se estendem também para as empresas que desejam vender para esse comprador, já que a competitividade é muito mais alta.
  • Produto: um único produto ou serviço é buscado nesse mercado, de forma que a variedade oferecida por empresas não tem peso nas decisões de compra e disputa com a concorrência.

Vantagens e desvantagens do Monopsônio

Conhecer as vantagens e desvantagens desse mercado é essencial para entendê-lo. Veja aqui os principais prejuízos e benefícios associados ao fenômeno.

Vantagens

  • Maior controle de preços e possibilidades de adaptação das empresas para concorrer à venda.
  • Maior margem de lucro, uma vez que é possível negociar uma venda de mais unidades do produto ou serviço.
  • Indicadores de desempenho da empresa tem relevância, garantindo que seu esforço e investimento para se sair bem no mercado seja recompensado na disputa de contratos.

Desvantagens

  • A disputa é por qualidade, exigindo um número maior de funcionários e investimentos mais altos no processo de produção.
  • Exige um esforço grande para conquistar o comprador, que detém o poder de decisão de todo o mercado daquele produto.

Exemplos de Monopsônio

Entender de que maneira esse mercado se desenvolve e se caracteriza é muito mais fácil observando exemplos práticos. Conheça aqui os 5 principais.

1. Petróleo e gás

Ainda que o governo seja o principal responsável por definir a produção local, a maior parte do mercado se concentra, no Brasil, nas mãos da Petrobras, principal compradora de produtos e serviços essenciais para essa indústria. A empresa é a única alternativa para fornecedores de larga escala e, por isso, dependem das regulações que ela determina.

Com isso, a Petrobras impõe uma situação que impede a competitividade entre seus fornecedores e barra o desenvolvimento deles, impedindo que esses fornecedores alcancem a possibilidade de atuar internacionalmente.

Existe uma única possibilidade nesse setor econômico para a eliminação da situação de monopsônio: investimentos governamentais em desenvolvimento da indústria de petróleo e gás. Isso pode ser feito com financiamento de importação de máquinas, benefícios fiscais e redução nas restrições de importação.

2. Armamento militar

A compra de armamento pelo exército é outro mercado restrito em apenas um comprador. Esses armamentos são de posse exclusiva dos militares do governo e, por isso, não existe a possibilidade de encontrar um segundo comprador.

3. Commodities agrícolas

A soja vendida para a China é um bom exemplo de monopsônio nesse setor. Toda a compra é concentrada nas mãos de uma única empresa de grãos do mercado de atacado, a Cofoc. Como a decisão é do governo chinês, as produtoras de soja brasileira não têm como combater a situação ou arriscam perder os acordos de venda com o país.

4. Fabricação de dinheiro

A Casa da Moeda do Brasil é a única responsável pela fabricação de cédulas e moedas no país e seu único comprador é o Banco Central, responsável pelo controle, emissão e circulação em território nacional. Nesse caso, o que se vê é um monopólio unido a um oligopólio, já que temos um único vendedor (Casa da Moeda) e um único comprador (Banco Central).

5. Urânio

Com o urânio ocorre um processo semelhando ao do dinheiro. Por ser um produto que pode ser utilizado para desenvolvimento de armamento nuclear e não apenas para produção de energia, o monopólio e monopsônio do mercado é, na verdade, uma posição estratégica.

No caso brasileiro, o monopólio da produção é das Indústrias Nucleares do Brasil S.A., que faz parte da União. Já compra é feita, exclusivamente, pela Eletrobras Eletronuclear S.A.

Para investir é preciso conhecer

Entender todos os processos de mercado é essencial para um investidor que deseja aproveitar ao máximo as oportunidade e vantagens que ele oferece para a aplicação de capital.

Quer saber mais sobre o monopsônio e outros fenômenos da economia? É só acompanhar os conteúdos da Onze Investimentos.