Previdência privada para idosos é um bom negócio? Entenda mais sobre

Por Redação Onze

previdencia privada para idosos

A previdência privada para idosos pode parecer estranha à primeira vista.

Afinal, estamos falando de um investimento tradicionalmente pensado para a velhice – e não quando já se está nela.

Contudo, ao estudar o tema um pouco mais a fundo, você descobre que essa pode ser uma boa alternativa para pessoas que já estão na melhor idade e não deixam de pensar no futuro.

Não é nenhum contrassenso, já que a expectativa de vida dos brasileiros está aumentando. 

De acordo com uma pesquisa feita pela Universidade de Washington, até 2040, é possível que os brasileiros estejam vivendo, pelo menos, 82,5 anos.

Então, quem ingressa nos 60 e já é considerado idoso, teria pelo menos mais 20 anos para planejar, o que justifica o investimento.

Por outro lado, é preciso considerar as peculiaridades do público mais experiente, tendo em vista que eles têm menos tempo para acumular recursos.

Pensando nisso, alguns bancos oferecem planos de previdência voltados para pessoas que pretendem aproveitar o melhor da vida e garantir o futuro dos herdeiros, independentemente de idade.

Vamos conhecê-los a partir de agora.

Boa leitura!



Existem planos de previdência privada para idosos?

Como a gente comentou lá no início, pode até parecer estranho, mas há bancos que oferecem planos de previdência privada para idosos.

Se você acompanha os artigos publicados aqui no blog da Onze, sabe que, em geral, um plano de previdência visa a resultados de longo prazo

Assim sendo, há quem julgue que as pessoas com mais idade estariam excluídas de seus benefícios.

Mas essa é uma ideia equivocada e por um simples motivo: os planos de previdência são voltados não só para o futuro de quem os subscreve mas para seus herdeiros também.

Se você já teve a oportunidade de acompanhar um processo de inventário de bens, sabe bem que isso leva tempo e não sai nada barato.

Investir na previdência evita todo um aborrecimento e, de quebra, garante outras vantagens que conheceremos melhor alguns tópicos adiante.

Confira, na sequência, como é o mecanismo de funcionamento de um plano previdenciário focado nas pessoas na melhor idade.

Como a previdência privada para idosos funciona

A previdência privada para idosos não se difere muito em suas regras daquela contratada por pessoas de outras faixas etárias.

Os planos de previdência se dividem em dois tipos: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).

No caso das pessoas idosas, os planos do tipo VGBL são mais recomendados, já que a tributação não incide sobre o total acumulado.

Lembre-se de que, ao falar da previdência para maiores de 65 anos, estaremos sempre focados na questão sucessória.

Dessa forma, é preciso considerar que esse investimento será uma forma de reduzir a tributação e, ao mesmo tempo, assegurar uma divisão mais justa dos bens.

Afinal, toda herança no Brasil é tributada pelo ITCMD, o Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação.

Com a previdência, esse imposto é suprimido, deixando assim de consumir uma fatia que varia de 2% a 8%, dependendo do estado.

Quando contratar esse produto?

Quando a previdência privada para idosos vale a pena, afinal?

Imagine que você tem 80 anos e um valor aplicado na poupança para deixar para seus filhos e netos.

Não é novidade que a poupança tem rendimentos muito baixos e, não raramente, ela rende abaixo da inflação dentro de um ano.

Ou seja: dinheiro na poupança é o mesmo que guardar embaixo do colchão.

É por isso que a previdência é indicada para idosos, que podem transferir o patrimônio acumulado ao longo de uma vida, garantindo maior rendimento.

Além disso, como você já sabe agora, existem as isenções fiscais nada desprezíveis a se considerar.

Quem pensa no futuro dos seus herdeiros certamente tem na previdência privada para idosos a melhor alternativa.

Um plano VGBL garante que todos recebam a sua parte depois do falecimento do titular.

Assim sendo, é a forma mais prática de assegurar um processo sucessório sem sustos e, acima de tudo, a um custo mínimo.

Cuidados com a previdência privada para idosos

Embora tenha rendimento indexado pelo CDI, o Certificado de Depósitos Interbancários, a previdência privada para idosos não é 100% garantida contra perdas, ainda que pequenas.

Isso porque é possível que seu rendimento fique abaixo do CDI, como aconteceu em 2018, por exemplo.

Logo, trata-se de um ativo cuja rentabilidade é variável, comportando por isso certos riscos.

Outro aspecto que se deve destacar é que, para idosos, deve-se optar pela forma de tributação com muito mais cuidado.

Pela tabela progressiva, as alíquotas aumentam conforme o montante aplicado. 

Então, quanto mais gorda estiver a conta, mais impostos a pagar.

Por sua vez, na tabela regressiva, o que é tributado é o tempo. Nela, a alíquota mínima é de 10%, válida para aplicações com mais de 10 anos.

Em uma primeira análise, a tabela progressiva parece a mais indicada, mas é possível que a regressiva também seja vantajosa, dependendo do caso.

Tudo vai depender de uma boa conversa em família e, se necessário, do apoio de um especialista em finanças e sucessão.

Previdência privada é com a Onze

Outra dica importante é conhecer bem as diferenças entre previdência privada e seguro de vida em especial para quem tem herdeiros

A gente tem um artigo que fala sobre isso, não deixe de ler assim que terminar por aqui.

Para fechar com chave de ouro, não deixe também de usar a nossa exclusiva ferramenta de calculadora da previdência

Com ela, você fica sabendo quanto tempo precisa trabalhar até se aposentar.

A Onze pode ajudar nos investimentos de longo prazo como a previdência complementar e muito mais. 

Fique ligado: aqui, você sempre sai na frente!