Saques FGTS: saiba tudo sobre a medida

Por admin

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ficou por décadas conhecido como aquela reserva de dinheiro que pode ser usada em demissão sem justa causa, compra de imóvel ou liberado em alguma grande tragédia, como perder tudo em uma enchente. Mas, em julho deste ano, o Governo Federal alterou as regras de saques, incluindo novas modalidades, numa tentativa de movimentar a economia. 

Desde então, trabalhadores com contas ativas e inativas podem fazer o saque imediato de até R$ 500, conforme cronograma oficial, e ainda o saque-aniversário, que começa no ano que vem.

Entenda cada um dos saques FGTS:

Saque imediato (de até R$ 500)

Nessa modalidade, o trabalhador pode sacar até R$ 500 de cada conta do FGTS, ativa (do emprego atual) ou inativa (de empregos antigos). O saque começou pelos clientes da Caixa. Para quem não é cliente, a retirada teve início de acordo com o mês de aniversário do trabalhador. O dinheiro fica disponível para saque até o dia 31 de março de 2020. Caso o trabalhador não retire a quantia até esta data, ela retorna para conta do FGTS.

Quem é correntista na Caixa precisou autorizar o depósito direto na conta. A pessoa com poupança individual na Caixa recebeu o dinheiro diretamente na poupança. Essas duas modalidades já estão com todos os saques disponíveis.

Quem não possui conta no banco, pode sacar presencialmente, de acordo as regras abaixo:

– Os saques de valor inferior a R$ 100,00 poderão ser feitos em casas lotéricas. Deve-se levar carteira de identidade e número de CPF;

– Já para sacar outros valores, até R$ 500, é preciso ir nos terminais de autoatendimento da Caixa Econômica, mediante o CPF e a senha Cidadão, ou em Correspondentes Caixa Aqui, usando documento de identificação e cartão do Cidadão com senha.

Para agilizar o atendimento, é importante levar a Carteira de Trabalho. A transferência do dinheiro para outros bancos é gratuita. Os saques imediatos não são obrigatórios. E mesmo que sejam feitos, não impedem o trabalhador demitido por justa causa vir a sacar o restante do FGTS.

Calendário de saque imediato para não correntistas:

Nascidos em junho e julho: recebem a partir de 22/11/2019 

Nascidos em agosto: recebem a partir de 29/11/2019 

Nascidos em setembro e outubro: recebem a partir de 6/12/2019 

Nascidos em novembro e dezembro: recebem a partir de 18/12/2019

Para saber o valor disponível no FGTS pode acessar aqui.

Saque-aniversário

A partir de 2020, o trabalhador poderá sacar uma parte do FGTS todos os anos, no mês do aniversário. Mas deve ficar atento, porque perde o direito de sacar todo o dinheiro do fundo no caso da demissão por justa causa. A adesão é opcional. Depois de aderir ao saque-aniversário, só será possível voltar à modalidade anterior,  a de saque total no caso de demissão, depois de dois anos.

Quem escolher aderir ao saque-aniversário terá três meses para sacar seus recursos a partir de 2020 – o mês de seu aniversário e os dois meses seguintes.

O trabalhador poderá sacar uma parcela de 5% a 50% do que tem na conta do FGTS, mais um valor fixo todo ano, dependendo de quanto tem de saldo.

Confira:

Para saldos de até R$ 500, o saque será de até 50% do valor
Para os saldos entre R$ 500 e R$ 1.000, o saque será de 40% mais uma parcela fixa de R$ 50 Para os saldos entre R$ 1.000 e R$ 5.000, o saque será de 30% mais uma parcela fixa de R$ 150
Para os saldos entre R$ 5.000 e R$ 10 mil, o saque será de 20% mais uma parcela fixa de R$ 650
Para os saldos entre R$ 10 mil e R$ 15 mil, o saque será de 15% mais uma parcela fixa de R$ 1.150
Para os saldos entre R$ 15 mil e R$ 20 mil, o saque será de 10% mais uma parcela fixa de R$ 1.900
Para os saldos acima de R$ 20 mil, o saque será de 5% mais uma parcela fixa de R$ 2.900.

O trabalhador que fez a opção poderá sacar anualmente parte do saldo de sua conta vinculada no FGTS, no mês do seu aniversário e até o último dia do segundo mês subsequente ao mês de seu aniversário, por exemplo:

Mês do Aniversário

Janeiro e fevereiro: Abril a junho de 2020
Março e abril: Maio a julho de 2020
Maio e junho: Junho a agosto de 2020
Julho: Julho a setembro de 2020
Agosto: Agosto a outubro de 2020
Setembro: Setembro a novembro de 2020
Outubro: Outubro a dezembro de 2020
Novembro: Novembro de 2020 a janeiro de 2021
Dezembro: Dezembro de 2020 a fevereiro de 2021

A partir de 2021, a liberação ocorrerá no mês de aniversário do trabalhador, que deverá escolher o dia 1º ou 10 do mês.

Vale lembrar que o saque-imediato não invalida o saque-aniversário, ou o contrário. Mas, frisando que a modalidade saque-aniversário impede o saque do fundo no caso de demissão por justa causa.

Além disso, o não-correntista da Caixa deve ficar atento aos prazos para o saque-imediato. No fim de outubro, o governo federal anunciou que quem não tivesse conta no banco poderia retirar o dinheiro antes do Natal, conforme novo cronograma. A previsão do calendário inicial era do saque estar concluído só no ano que vem. Com as novas datas, no dia 22 de novembro, aniversariantes de junho e julho puderam sacar os R$ 500. A próxima liberação de retirada será no dia 29. O calendário termina dezembro.

Horário especial

Assim como tem ocorrido em todos os saques, a Caixa abre as agências em horários especiais para os saques. As unidades que abrem às 9h atendem uma hora antes e uma hora depois. Aquelas que abrem às 10h iniciam o atendimento com duas horas de antecedência. E as que abrem às 11h também começam  a atender duas horas antes do horário normal.

As agências também abrirão aos sábados, das 9h às 15h (horário local), para pagamentos, ajustes de cadastro dos trabalhadores, fornecer a senha do Cartão Cidadão, além de tirar dúvidas. A lista das agências com horário especial de atendimento pode ser consultada no site da Caixa.


Invista seu FGTS

Para quem sacou o dinheiro e agora se pergunta o que fazer com ele, a Onze Invest tem uma série de dicas aqui e aqui que vão a ajudar a dar um destino correto para o valor. Confira algumas delas:

Pague suas dívidas

Atrasar pagamentos e deixar dívidas acumuladas pode virar um grande problema para organizar as finanças, já que gera juros e tarifas que podem pesar muito lá na frente. Antes de gastar o dinheiro do FGTS, é fundamental listar todas as suas dívidas e, quitar todas elas com o dinheiro do FGTS. Caso o dinheiro que você retire não seja suficiente, você pode tentar negociar as dívidas, dividindo-as em parcelas que caibam no orçamento mensal.

Faça uma reserva

Gastos excessivos e não previstos uma hora vão aparecer. É o caso de emergências médicas, uma mudança repentina de endereço, ou a perda de um emprego. Por isso, se você ainda não tem uma reserva em dinheiro, pode começar a fazê-la com o saque do FGTS. Especialistas indicam que você mantenha uma reserva capaz de cobrir ao menos seis dos seus gastos.

Aposte em um investimento a longo prazo

Existem vários tipos de investimentos que podem ter retorno em um período maior de tempo e fazer o dinheiro valorizar mais do que deixar apenas rendendo no FGTS. Dentre eles, estão ações, fundos de investimento e mesmo títulos públicos. Confira abaixo alguns deles:

Previdência Privada

Como a Previdência Social, aquela que é paga pelo INSS, não é suficiente para garantir um futuro tranquilo, especialmente para quem deseja viver de renda mensal. É aí que surge a opção de uma Previdência Privada, como maneira de complementar a social ou ser a única aposta, nos casos em que não se recolha INSS. Segundo a Anbima, a Previdência Privada é a aplicação preferida dos investidores no Brasil, depois da poupança.

De forma simplificada, o indivíduo faz aplicações mensais e, em determinado prazo, pode resgatar o valor investido com acréscimo dos juros. Esse resgate pode acontecer de uma só vez ou em parcelas mensais, com se fosse o pagamento de um salário.

LCI e LCA

LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) são modalidades de investimento de renda fixa, sem liquidez diária e que podem render mais que o CDI, referência para o mercado. No momento do investimento, você sabe quanto irá receber caso mantenha o dinheiro aplicado até o prazo. A diferença para outros ativos de renda fixa é que não se paga Imposto de Renda.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto reúne títulos públicos emitidos pelo governo federal e oferecidos em modalidades prefixadas, pós-fixadas e híbridas. Alguns indicadores atrelados aos papéis são a Taxa Selic e o IPCA, índice oficial que mede a inflação no Brasil. Eles oferecem títulos a curto prazo e outros a prazos bem extensos para o resgate, como o Tesouro IPCA + 2045 ou Tesouro IPCA + com Juros Semestrais 2050.