Tabela de Imposto de Renda da Previdência Privada: saiba tudo sobre

Por Redação Onze

Tabela-Imposto-Renda-da-Previdência-Privada

Investir na previdência privada com foco no longo prazo torna possível aproveitar diversos incentivos tributários que podem fazer seu dinheiro render mais antes do resgate.

Porém, é preciso entender a tabela de imposto de renda da previdência privada para conseguir aproveitá-los. Confira mais informações!

Tipos de previdência privada

Para entender a tabela de imposto de renda da previdência privada, antes é preciso conhecer os dois tipos de previdência que existem: o PGBL e o VGBL.

Isso porque, dependendo do tipo de previdência escolhida, o imposto será cobrado de forma diferente.

PGBL

O Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) é o tipo de previdência privada mais recomendado para quem faz a declaração completa do imposto de renda.

Quem investe em um plano PGBL pode abater até 12% da renda bruta tributável na declaração do imposto. Porém, é importante saber que isso não é uma isenção de imposto.

Na prática, é como se o participante adiasse o imposto anual, e vamos explicar o porquê disso.

Por exemplo, pensemos em um investidor que decide aportar R$ 2.000 na sua previdência PGBL e tem um rendimento de R$ 500. No momento do resgate, este investidor terá que pagar imposto em cima do valor total, ou seja, dos R$ 2.500, e não só do rendimento, como acontece na maior parte dos outros investimentos.

VGBL

O Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) é o outro tipo de plano de previdência disponível no mercado, e a grande diferença é exatamente em relação ao montante sobre o qual o imposto deve ser pago.

Diferentemente do PGBL, no VGBL o imposto será pago somente em cima do rendimento. Isso significa que, no exemplo anterior, o investidor pagará imposto apenas sobre os R$ 500 e não sobre R$ 2.500.

Tabela de Imposto de Renda da previdência privada

Agora que você já sabe sobre quais valores o imposto pode ser cobrado, é importante entender as opções disponíveis de tabela de imposto de renda da previdência privada.

Hoje, é possível optar entre duas tabelas: a tabela progressiva e a regressiva. Esta escolha não está atrelada ao tipo de previdência (PGBL ou VGBL), ou seja, é possível ter qualquer um dos dois tipos de previdência com qualquer uma das duas tabelas.

Tabela Progressiva

A tabela progressiva considera o montante que será tributado para definir a porcentagem de imposto que será cobrado.

Ela é baseada na mesma tabela de imposto de renda usada na declaração anual, podendo ter alíquota isenta, até o máximo de 27,5%.

Esta é a tabela válida para o ano de 2020:

Base de cálculo mensalAlíquota
Até R$ 1.903,98isento
de R$ 1.903,99 até R$ 2.826,657,5%
de R$ 2.826,66 até R$ 3.751,0515%
de R$ 3.751,06 até R$ 4.664,6822,5%
acima de R$ 4.664,6827,5%

Isso significa que, quanto maior for o montante que será tributado, maior será o imposto pago no momento do resgate.

Tabela Regressiva

Já a tabela regressiva considera o tempo que o dinheiro ficará investido. Ou seja, quanto mais longo for o investimento, menor será o imposto pago pelo investidor.

A tabela de imposto de renda da previdência privada apresenta este benefício exatamente para incentivar os investidores a pouparem para o longo prazo. Isso pode ser percebido ao analisar as porcentagens das alíquotas cobradas.

Para o investidor que pretende resgatar o investimento em até 2 anos, será cobrado um imposto de 35% sobre o investimento, maior do que outros investimentos disponíveis no mercado.

Entretanto, para o investidor que mantiver seu investimento por mais de 10 anos, a alíquota cai para 10%, menor do que a maioria dos investimentos disponíveis em outros produtos. Veja a tabela a seguir:

Prazo de acumulaçãoAlíquota Definitiva
0 a 2 anos35%
2 a 4 anos30%
4 a 6 anos25%
6 a 8 anos20%
8 a 10 anos15%
Acima de 10 anos10%

Como escolher a tabela de tributação ideal?

Para escolher a tabela ideal de imposto de renda da previdência privada, é necessário dedicar tempo e definir objetivos. Não existe uma resposta única.

Por exemplo, se o investidor pretende resgatar o dinheiro em um prazo mais curto, a tabela progressiva pode ser mais recomendada, mas talvez seja o caso de repensar o investimento ideal para isso.

Já o investidor que pretende investir pensando na aposentadoria, mas que resgatará parcelas mensais abaixo de R$ 1.903,98, a tabela progressiva pode ser a ideal, pois assim o investidor ficará isento de imposto.

Por isso, avaliar os seus objetivos é o primeiro passo para fazer a melhor escolha e evitar pagar impostos desnecessários.

Benefícios da previdência privada no longo prazo

Como vimos nos tópicos anteriores sobre a tabela de imposto de renda da previdência privada, existem alguns benefícios fiscais para quem pretende investir com foco no longo prazo.

O benefício mais claro está na escolha da tabela regressiva, sendo possível pagar apenas 10% de imposto no momento do resgate, para quem mantiver o investimento por mais de 10 anos.

Outro ponto interessante é o momento em que o imposto precisará ser pago. Como será cobrado apenas no momento do resgate, não existe a incidência de come-cotas.

Algo parecido vale para quem opta por uma previdência PGBL. Adiar o imposto significa ter a possibilidade de aportar valores maiores, e com isso alcançar um rendimento maior no momento do resgate.

Entretanto, é importante analisar caso a caso para entender quais benefícios valem a pena para o seu perfil de investidor antes de tomar uma decisão.

Conheça a primeira PrevTech do Brasil

Já pensou em oferecer uma previdência privada corporativa como benefício para os seus colaboradores?

A Onze é a primeira PrevTech do Brasil, com a missão de oferecer previdência privada corporativa para empresas de qualquer tamanho.

Conheça nossa plataforma tecnológica criada para eliminar burocracia, reduzir taxas e agregar mais valor para os seus funcionários.