Tabela regressiva da previdência: o que é e como funciona

Por Redação Onze

Tabela regressiva da previdência

Será que a tabela regressiva da previdência é a opção mais vantajosa para garantir sua aposentadoria?

Estamos falando de um dos regimes tributários possíveis no seu plano de previdência privada, ao lado da chamada tabela progressiva.

A grande vantagem do modelo regressivo é que alíquotas vão diminuindo conforme o tempo de permanência no plano, permitindo que você pague menos impostos no final.

Para saber se é a melhor escolha, acompanhe nosso guia rápido sobre a tabela regressiva da previdência e veja se vale a pena para os seus objetivos. Siga a leitura e planeje seu futuro do jeito certo.

O que é a tabela regressiva da previdência privada

A tabela regressiva da previdência privada é um modelo de tributação que define a alíquota do Imposto de Renda cobrada sobre o investimento.

No caso, essa tabela é chamada de “regressiva” porque as alíquotas diminuem conforme o tempo de permanência na aplicação, da seguinte forma:

Prazo de acumulaçãoAlíquota retida na fonte
Até 2 anos35%
Acima de 2 anos e até 4 anos30%
Acima de 4 anos e até 6 anos25%
Acima de 6 anos e até 8 anos20%
Acima de 8 anos e até 10 anos15%
Acima de 10 anos10%

Lembrando que o IR é descontado somente no momento do resgate parcial ou total do valor acumulado no fundo. Ou seja: quanto mais tempo o dinheiro permanecer aplicado, menor será a parcela do leão.

Outra regra é que, pela tributação regressiva, não é possível compensar os valores na Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda, pois o dinheiro é recolhido diretamente na fonte.

Em todos os planos de previdência privada do mercado, você pode escolher entre o regime de tributação progressivo e regressivo, de acordo com seu perfil e objetivos.

Esse é um diferencial importante em relação a outros investimentos, assim como a ausência dos temidos “come-cotas”: uma forma de tributação em que o IR é cobrado na forma de cotas a cada seis meses, mesmo que você não faça nenhum resgate.

Vamos ver quais são as diferenças entre os dois regimes e as vantagens da tabela regressiva da previdência.

Diferenças entre a tabela regressiva e a progressiva na previdência

A principal diferença entre a tabela regressiva e a progressiva na previdência é a dinâmica das alíquotas.

Enquanto o regime regressivo reduz as porcentagens cobradas com o passar do tempo, o regime progressivo aumenta as alíquotas de acordo com valor resgatado.

Esta é a tabela progressiva de incidência mensal de 2020 (a mesma usada para os salários):

Base de cálculo AlíquotaParcela a deduzir do IRPF
Até R$ 1.903,98Isento
De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,657,5%R$ 142,80
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,0515%R$ 354,80
De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,6822,5%R$ 636,13
Acima de R$ 4.664,6827,5%R$ 869,36

Nos planos de previdência privada, há uma cobrança fixa de 15% no momento do saque, e posterior ajuste na declaração de IR no ano seguinte de acordo com a tabela.

Tanto a tabela regressiva quanto a progressiva valem para os planos PGBL e VGBL, mas a troca de regime só é possível para quem escolha tabela progressiva — não há como migrar do regressivo para o progressivo.

Para quem é indicada a tabela regressiva da previdência

Antes de optar pela tabela regressiva da previdência, é importante avaliar se o regime é vantajoso para os seus objetivos.

Em resumo, esse regime de tributação é indicado para pessoas que pretendem investir em longo prazo e não têm planos de resgatar seu dinheiro nos próximos anos. Afinal, considerando que as alíquotas diminuem com o passar do tempo, a tabela é ideal para quem planeja usufruir do dinheiro no futuro e pagar menos impostos por isso.

É o caso das pessoas que utilizam a previdência privada para garantir sua aposentadoria, contratando as modalidades de renda vitalícia com um valor substancial.

Mas, para que a tabela regressiva da previdência valha a pena, é importante que você tenha certeza de que não vai precisar desse capital nos próximos dez anos, para atingir a menor alíquota possível (10%). Se precisar fazer resgates menores ou quiser receber os recursos em um prazo mais curto, é melhor optar pela tabela progressiva.

Outro caso em que a tabela progressiva é mais vantajosa é quando você pretende receber uma renda vitalícia menor, que se enquadre na faixa isenta ou de 7,5% (até R$ 2.826,65 mensais).  Do contrário, se você pode esperar e quer uma renda mais generosa, a tabela regressiva da previdência é o melhor negócio.

Se ainda tiver dúvidas, a Onze ajuda você a escolher o regime tributário mais vantajoso e aumentar seu patrimônio sem pagar taxas abusivas. Aproveite e navegue pelos artigos para saber mais sobre como garantir sua saúde financeira.