Entenda os impactos e o custo da demissão de funcionários para sua empresa

Por Redação Onze

custo demissão

A perda de capital humano é apenas uma das desvantagens que o turnover causa às empresas. Somando as despesas para demitir o antigo funcionário e contratar um novo colaborador (incluindo os custos com treinamento e a redução da produtividade), o custo da demissão pode acarretar um grave prejuízo financeiro às organizações.

Mesmo na hipótese da demissão ocorrer por justa causa, o que diminui os encargos trabalhistas, a empresa ainda precisa cumprir uma série de obrigações financeiras – principalmente se tiver que comprovar na Justiça as razões do desligamento. De fato, tanto a demissão voluntária quanto a involuntária acarretam custos diretos e indiretos.

Siga com a gente para entender os impactos e o custo da demissão de funcionários para sua empresa!

Impactos institucionais da demissão de um funcionário

Ao contratar um novo funcionário, toda empresa está fazendo um investimento em capital humano. Tempo e dinheiro são gastos para treiná-lo e facilitar sua ambientação no novo local de trabalho. Quando este funcionário é demitido, seja lá por qual razão, é inevitável que a empresa sofra quedas de capacidade e rendimento no curto prazo.

Veja abaixo os principais impactos institucionais do turnover voluntário e involuntário:

– Prejuízos ao clima organizacional da empresa e à produtividade dos colaboradores;

– Reduz os níveis de engajamento e motivação do restante da equipe;

– Interfere na continuidade dos projetos em andamento;

– Abala a reputação da empresa perante o mercado de trabalho.

Mas os danos à produtividade, ao clima organizacional e à imagem da empresa são apenas a ponta do iceberg dos custos relacionados à demissão de funcionários: os prejuízos financeiros de cada desligamento são ainda mais extensos.

Custos financeiros da demissão de um funcionário

Na ânsia por equilibrar as contas da sua empresa, muitos gestores recorrem ao desligamento de funcionários como uma maneira de reduzir os encargos financeiros. Na maioria dos casos, trata-se de um equívoco: mesmo quando um colaborador está performando abaixo do esperado, sai mais barato tentar recuperá-lo do que demiti-lo.
No Brasil, país que antes da pandemia já registrava uma das taxas de turnover mais altas do mundo (82%), o custo de cada desligamento varia caso a caso – mas dá para ter uma ideia pelos números norte-americanos: US $15 mil, em média, por demissão.

Ainda que haja custos diferentes entre o funcionário que pede para sair e aquele que é desligado (por justa causa ou não), toda demissão acaba sendo onerosa para a empresa. Confira a seguir quais são os principais custos relacionados em cada caso.

Custos de demitir um funcionário

Quando você desliga um funcionário de carteira de trabalho assinada por decisão estratégica, precisa arcar com todos os direitos trabalhistas previstos na CLT – isso inclui:

– Aviso prévio – Você precisa notificar o funcionário sobre o desligamento com, no mínimo, 30 dias de antecedência. Ou seja: é um mês de salário a mais que será preciso pagar ao colaborador, mesmo que você dispense sua presença nestes dias.

– 13º salário – No valor proporcional aos meses em que o funcionário trabalhou para você.

– Férias – No valor proporcional ao tempo em que o funcionário trabalhou para você acrescido de 1/3 do salário.

– Saldo de salário e adicionais – Valor referente aos últimos dias de trabalho do colaborador + horas extras, comissões, adicional noturno, etc.

– FGTS – Multa no valor de 50% dos depósitos do FGTS realizados durante o tempo em que o funcionário trabalhou para você.

Custos da demissão por justa causa

Se o colaborador comete uma infração grave como descumprir as normas trabalhistas ou realizar um ato criminoso (e for possível provar), você pode demiti-lo com menos encargos a pagar. Ainda assim, ele terá direito a:

– Saldo de salário e adicionais – Valor referente aos últimos dias de trabalho do colaborador + horas extras, comissões, adicional noturno, etc.

– Férias – No valor equivalente ao tempo em que o funcionário trabalhou para você, considerando as férias adquiridas e as proporcionais, acrescido de 1/3 do salário.

Custos da demissão voluntária

Caso o colaborador peça para ser desligado, ainda assim você precisa arcar com:

– Aviso prévio – É um mês de salário a mais que será preciso pagar ao colaborador, a não ser que ele se recuse a seguir comparecendo e pague uma multa pela dispensa.

– 13º salário – No valor proporcional aos meses em que o funcionário trabalhou durante o ano.

– Férias – No valor proporcional aos meses em que o funcionário trabalhou para você.

– Saldo de salário e adicionais – Valor referente aos últimos dias de trabalho do colaborador + horas extras, comissões, adicional noturno, etc.

A melhor maneira de evitar o custo da demissão é valorizando o funcionário: motivado e com segurança financeira, ele não só não vê motivos para pedir demissão como também torna-se mais engajado e produtivo – e você não vê razões para demiti-lo.

Sobre a Onze

O estresse financeiro é uma das principais razões do alto índice de turnover nas empresas brasileiras e a Onze tem a ferramenta perfeita para reverter esse quadro: os benefícios corporativos mais cobiçados pelos grandes talentos.

Como a Previdência Privada Empresarial, o benefício mais desejado por profissionais que ganham acima de R $6 mil e 2º mais desejado por profissionais que recebem acima de R $3 mil.

Valorizando seu funcionário com aquilo que ele mais preza – a segurança de sua família e seu próprio patrimônio financeiro – você reduz o custo com demissão e sua empresa conquista melhores resultados.