Descubra como evitar a rotatividade de funcionários na sua empresa

Por Redação Onze

Rotatividade de funcionários

Entradas e saídas frequentes de colaboradores elevam custos e reduzem a eficiência do negócio.

Ter uma elevada rotatividade de funcionários é um grande obstáculo para o sucesso do seu negócio. Ela aumenta os custos, afeta a sustentação de um bom ambiente de trabalho e reduz a produtividade dos colaboradores. Possuir uma boa estrutura é, sem dúvidas, relevante – mas é o capital humano o maior patrimônio da sua empresa.

A taxa de rotatividade também é um reflexo da relação que a empresa mantém com seus colaboradores: quando se sentem valorizados e motivados, eles tendem a trabalhar melhor e a recusar outras propostas de trabalho.

Hoje, a retenção de talentos é um dos maiores desafios do setor de RH – tão crucial que há um indicador específico para medir a taxa de rotatividade de funcionários, o turnover.

Siga conosco e descubra como evitar a alta rotatividade de funcionários!

Cenário nacional: profissionais insatisfeitos com a falta de valorização

Foi-se o tempo em que o bom profissional brasileiro contentava-se com um cargo e um salário estáveis: antes mesmo da pandemia da Covid-19, já havia uma tendência de aumento nos pedidos voluntários de demissão por parte de profissionais qualificados – pesquisa da Mercer mostra que, entre 2016 e 2019, as demissões voluntárias no Brasil subiram 4% nos cargos gerenciais.

Justamente em 2016, quando a Robert Half divulgou um levantamento sobre o tema, o Brasil já mostrava um dos maiores índices de turnover do mundo: nada menos que 82%, mais que o dobro da média mundial. Publicada recentemente pela Onze, a pesquisa “Estresse Financeiro dos Brasileiros” mostra que a tendência segue – e revela a preocupação financeira como origem de boa parte dos pedidos de demissão.

A pesquisa “Estresse Financeiro dos Brasileiros” aponta que o dinheiro é a grande preocupação de 71% dos trabalhadores com emprego formal. Outros dados mostram que 76% dos profissionais sentiriam-se atraídos por uma proposta de outra empresa que se mostrasse mais preocupada com o seu bem-estar financeiro – apenas algumas das provas de que o estresse financeiro motiva os pedidos de demissão.

Os prejuízos da rotatividade de funcionários

Sem um plano de valorização financeira e patrimonial para seus colaboradores, a tendência é de que a empresa enfrente uma maior taxa de rotatividade de funcionários – com graves consequências para a saúde do seu negócio.

Conheça abaixo alguns dos principais malefícios da alta rotatividade de funcionários para uma empresa:

Menor produtividade

A rotatividade de funcionários interfere na continuidade dos projetos, atrapalha o trabalho das equipes e demanda que sejam gastos tempo e dinheiro na contratação, no treinamento e na adaptação de novos colaboradores;

Menor engajamento

Os próprios colaboradores que permanecem na empresa são afetados pela rotatividade de funcionários: além de interferir nas relações humanas e afetivas, um alto turnover gera insegurança no trabalhador e reduz a motivação e o engajamento;

Reputação negativa

O mercado de trabalho logo percebe quando uma empresa tem alta rotatividade de funcionários, o que gera desconfiança sobre sua capacidade de gestão. Os grandes talentos, logicamente, preferem não se arriscar em uma empresa com essa reputação.

Aumento dos custos

Este é, no fim das contas, o maior prejuízo que a rotatividade de funcionários causa às empresas. As demissões geram uma série de custos diretos e indiretos – encargos trabalhistas e de rescisão de contrato, custos com contratação e treinamento de novos funcionários, redução da produtividade até que o novo colaborador alcance o nível de eficiência do profissional anterior, entre outros.

Nos Estados Unidos, o Workforce Institute calcula que os custos com turnover equivalem a um terço do salário anual de cada colaborador desligado. No Brasil, estima-se que o custo de se perder um profissional varie entre 1,5 e 2 vezes o que ele ganha anualmente.

Ações que evitaram a rotatividade de funcionários

A loja online de produtos eletrônicos BestBuy oferece um bom case sobre como evitar a rotatividade de funcionários: a empresa sofria com um turnover de 60% e reverteu a situação criando uma rede social interna, a Blue Shirt Nation. Os jovens colaboradores passaram a trocar experiências e dicas sem uma hierarquia rígida e o engajamento com a marca aumentou de forma evidente – a taxa de turnover caiu para 12%.

O Google é outra marca famosa que enfrentou uma taxa de turnover elevada há alguns anos. Para encontrar a razão, a empresa criou o Project Oxygen – uma iniciativa cujo principal objetivo era definir como deve se comportar um grande gestor e qual é o seu papel em evitar que os grandes talentos deixem a empresa.

E assim o Google foi listando qualidades que um gestor deve apresentar em seu comportamento, chegando às atuais 10 qualidade ideais. É com base nesta lista (que inclui qualidades como ser um bom coach e criar um ambiente de trabalho inclusivo) que o Google passou a selecionar seus gestores – e com isso reduziu a saída dos profissionais talentosos e a rotatividade de funcionários.

Como reduzir a rotatividade de funcionários na sua empresa?

Essencial para cuidar das questões administrativas que envolvem os colaboradores e assim aproveitar ao máximo o capital humano da empresa, o setor de RH tem papel ativo na prevenção da rotatividade de funcionários. Além de garantir o bem-estar dos funcionários e promover um bom ambiente de trabalho, o RH é responsável por assegurar que as garantias dos trabalhadores estão sendo cumpridas pela empresa.

E é justamente demonstrando preocupação com o bem-estar e com a saúde financeira dos colaboradores que uma empresa pode evitar a rotatividade de funcionários. A organização deve criar oportunidades para o colaborador se desenvolver a nível pessoal e profissional – não necessariamente com aumento de salário, mas sim oferecendo especializações, educação financeira e benefícios corporativos que garantem segurança a longo prazo.

No Brasil, os grandes profissionais desejam ter valorização patrimonial e segurança financeira – é o que mostra a pesquisa da Onze “Tendências em Benefícios para 2021”. Uma tranquilidade que a Previdência Privada Corporativa proporciona: não à toa, é o benefício corporativo mais cobiçado por colaboradores que ganham acima de R$ 6 mil e o 2º mais desejado por colaboradores com salário acima de R$ 3 mil.

Sobre a Onze

A Onze cria soluções para que as empresas cuidem da Saúde Financeira de seus funcionários. Através da Previdência Privada Corporativa, você dá aos colaboradores tranquilidade para trabalhar melhor e a certeza de que terão um futuro garantido. Com isso, a Onze ajuda sua empresa a evitar a alta rotatividade de funcionários.