Educação financeira nas empresas: desafios e como implementar

Por Redação Onze

educação financeira nas empresas

A educação financeira nas empresas é uma estratégia para motivar colaboradores e aumentar a produtividade no ambiente de trabalho.

Sim, a partir do momento em que os funcionários eliminam problemas financeiros e aprendem a gerir seu dinheiro, eles ficam mais comprometidos no dia a dia da organização.

E, se essa educação financeira for adquirida na empresa, melhor ainda: a retenção de talentos é maior, já que os colaboradores enxergam a preocupação da empresa com seu bem-estar financeiro.

Mas como implementar a educação financeira nas empresas e quais são seus principais desafios?

Para descobrir as respostas, explore os tópicos deste artigo.

Estresse financeiro: saiba como ajudar seus funcionários

Como evitar que as preocupações com dinheiro abalem seus funcionários

E-mail enviado com sucesso.

Importância da educação financeira nas empresas

A educação financeira é importante tanto para a empresa quanto para os colaboradores.

Para os funcionários, o benefício é ter eficiência ao organizar as finanças e construir um patrimônio.

Para a empresa, a vantagem é ter colaboradores comprometidos, motivados e produtivos.

Nas próximas linhas, descubra três  motivos que apontam a importância da educação financeira:

1. Ganho de motivação

Sim, a educação financeira está diretamente ligada à motivação dos colaboradores.

Afinal, é praticamente impossível se manter motivado quando se está endividado, certo?

Por outro lado, ao receber educação financeira, o profissional aprende a lidar com as finanças pessoais, elimina preocupações relacionadas a dinheiro e tem mais tranquilidade para trabalhar.

2. Aumento da produtividade

A produtividade também é elevada quando os profissionais podem se concentrar inteiramente no trabalho, e não em problemas financeiros pessoais.

“Funcionários alfabetizados financeiramente tendem a ter mais foco e menos estresse, tornando-os mais eficazes”, aponta Mary Mohney, diretora financeira da Society for Human Resource Management (SHRM), em um artigo para o site da associação.

3. Retenção de talentos

À primeira vista, a educação financeira pode até não ter relação com a retenção de talentos na empresa.

Mas o fato é que ela tende a ser cada vez mais relevante para jovens profissionais.

É o que demonstra uma pesquisa de 2019 da PwC. 

De acordo com ela, 46% dos Millennials têm mais probabilidade de dizer que sua lealdade à empresa é influenciada pelo quanto ela se preocupa com o bem-estar financeiro deles.

O percentual é de 44% para a Geração X e de apenas 30% para os Baby Boomers.

Além disso, o percentual de pessoas com maior probabilidade de serem atraídas por outra empresa que se preocupa mais com o bem-estar financeiro delas também aumenta conforme as gerações:

  • Millennials (81%)
  • Geração X (75%)
  • Baby Boomers (52%).

Desafios da educação financeira nas empresas

A implementação da educação financeira nas empresas também envolve desafios. 

Os principais deles são estes:

  • Falta de uma educação financeira que vem desde a escola
  • Mudança  de  padrões  de  comportamentos  financeiros inadequados 
  • Custo de implementação da capacitação dos funcionários
  • Conciliação de projetos com tempo que precisa ser dedicado à educação financeira
  • Prioridade  da  gestão  (muitas vezes, o gestor não enxerga a educação financeira como um ponto estratégico para reter talentos e aumentar o desempenho).

Dicas para a educação financeira nas empresas

Agora que você está familiarizado com o conceito de educação financeira nas empresas, descubra alguns passos para colocá-la em prática:

1. Coloque a educação financeira na lista de prioridades

Conforme vimos, um dos principais desafios da implementação surge quando a gestão não vê prioridade na educação financeira.

Então, o primeiro passo é mudar essa mentalidade.

Em um artigo para a revista Forbes, Miguel Vasquez, CEO do Financial Fitness Group, destaca que os gestores devem fornecer tempo e espaço para os colaboradores receberem treinamento.

“Isso pode incluir reservar um período específico de tempo e um local com as ferramentas necessárias, como estações de trabalho”, exemplifica o autor.

2. Faça o mapeamento do perfil financeiro dos colaboradores

É aconselhável identificar o perfil financeiro dos funcionários para definir a melhor abordagem para introduzir a educação financeira.

Uma pesquisa da Willis Tower Watson elenca quatro perfis, que você pode utilizar como parâmetro:

 

  • Econômicos: seguem um orçamento restrito e não gastam demais regularmente
  • Ativos: não fazem orçamento, mas monitoram ativamente a situação financeira e não gastam demais
  • Reativos: não monitoram ativamente a situação financeira, reagem à atual situação financeira e não gastam demais regularmente
  • Gastadores: tipicamente compram impulsivamente e tendem a gastar demais.

 

3. Ofereça materiais de conscientização

Outro passo importante é oferece materiais para conscientizar funcionários sobre a importância da educação financeira, apresentar boas práticas e incentivar a mudança de hábitos

E-books, e-mail marketing, portais de intranet, cartilhas, campanhas de conscientização e sugestões de sites, vídeos e conteúdos relacionados ao assunto são materiais que podem ser utilizados nessa hora.

4. Promova capacitação

Palestras, workshops e cursos também devem fazer parte da implementação da educação financeira nas empresas.

Essas atividades ajudam a despertar o interesse dos funcionários e fazer com que eles participem ativamente do processo de capacitação, sendo incentivados a adotar melhores práticas financeiras.

5. Terceirize o serviço 

Como educação financeira exige conhecimento técnico e metodologia, a dica é contar com a parceria de uma empresa especializada nesse tipo de serviço.

6. Meça o sucesso da implementação

No mesmo artigo da Forbes mencionado antes, Vasquez aconselha medir mudanças nos níveis de conhecimento e estresse para correlacionar seus esforços de educação financeira com a saúde de sua empresa. 

“Por exemplo, uma verificação inicial e um acompanhamento podem medir diferenças na maneira como os funcionários abordam a solução de problemas financeiros”, diz.

Para ele, medir o sucesso também é uma forma de identificar pontos que precisam de melhorias.

E aí, o que achou das dicas?

Agora que você já sabe a importância da educação financeira nas empresas, coloque essas orientações em prática para capacitar os colaboradores do seu negócio.