Integração de funcionários: por que essa é uma estratégia importante dentro das organizações?

Por Redação Onze

Cada dia mais o capital humano é valorizado nas empresas, pois entende-se que ele seja parte fundamental em qualquer trajetória de sucesso nos negócios. Pensando no maior bem-estar dos colaboradores e na boa sinergia dos times, que resulta em produtividade, é extremamente importante que as companhias se preocupem com o bom clima organizacional.

Para isso, os negócios dispõem de uma ferramenta muito importante: a integração de funcionários.

O conceito normalmente está ligado à chegada de novos profissionais a uma empresa, mas também deve ser vista como uma estratégia de engajamento contínuo, principalmente entre os times de alta performance.

Como funciona a integração de funcionários?

A integração de funcionários é um dos processos utilizados pela área de gestão de pessoas para engajar os colaboradores e fazer com que eles se sintam parte integrante e importante de uma empresa. Geralmente, a integração ocorre quando um novo funcionário é contratado, mas ela também pode acontecer em outros momentos, como na reestruturação de equipes ou durante a implementação de um novo projeto, por exemplo.

Assim que um novo profissional é contratado, ele precisa conhecer mais a fundo a cultura organizacional e se enturmar com os colegas de trabalho, principalmente com aqueles que terão uma atuação mais próxima a ele. Para isso, ele pode, por exemplo, participar de um treinamento estruturado pela área de recursos humanos ou dar uma breve volta pela empresa.

Nesse processo de integração, o novo talento precisa conhecer principalmente:

  • As instalações da empresa;
  • Os setores da organização;
  • As pessoas que trabalham no local;
  • A equipe com a qual ele vai lidar diretamente;
  • A cultura organizacional (incluindo missão, visão, valores, regras, práticas e normas gerais de etiqueta dentro da empresa).

Vale ressaltar também que a integração de funcionários não se limita apenas ao momento de chegada de um novo profissional. Ele começa na admissão mas deve ser um processo contínuo para garantir o engajamento de equipes e um clima organizacional harmônico.

Algumas estratégias que as empresas podem utilizar para promover a integração constante de funcionários é incentivá-los a colaborar em ações da empresa, como campanhas de arrecadação por exemplo, ou utilizar momentos de descontração fora do ambiente de trabalho para estreitar laços, como as festas de confraternização.

Por que isso é importante?

Consultora em gestão de pessoas, Márcia Lanini explica que a forma como o funcionário é integrado vai influenciar seu desempenho na nova função. Isso porque a integração pode gerar sentimentos de pertencimento e orgulho nos novos colaboradores e fazer com que eles se mostrem mais motivados, produtivos e empenhados.

“Quando a gente tem esse processo de integração muito bem estruturado, logo na chegada o colaborador já começa a se sentir parte daquele ambiente. Isso desperta uma vontade de se engajar e de retribuir o empenho que a organização teve em recebê-lo”, analisa.

Além de ser benéfico para os profissionais, a integração também têm um impacto positivo na performance da empresa: a motivação do novo profissional faz com que o processo de adaptação seja mais fácil e que ele consiga apresentar resultados rapidamente.

De acordo com uma pesquisa da Gallup realizada em 2015 com mais de 2,5 milhões de gerentes espalhados por 195 países, por exemplo, profissionais motivados podem aumentar a produtividade em até 12%. Outros benefícios são:

  • Aumento na criatividade;
  • Propensão à inovação;
  • Melhora no clima organizacional;
  • Aumento na colaboração entre colegas.

Respeitando os diferentes tipos de profissionais

Um fator importante que deve ser observado na integração de funcionários é o perfil profissional de quem chega. Integrar pessoas que têm perfis e experiências de vida muito parecidas é fácil. Mas quando falamos de um mercado de trabalho que cada vez mais preza pela pluralidade, os desafios começam a aparecer.

Pessoas de diferentes idades, classes sociais, culturas, religiões, orientações sexuais e com personalidades muito distintas podem acabar integrando um mesmo time em uma companhia que preza pela diversidade.

Para integrar esses profissionais tão diferentes, as lideranças precisam trabalhar as capacidades de relacionamento interpessoal da equipe, unir seus esforços para alcançar um objetivo comum, estabelecer papéis e funções claros, definir prioridades, promover processos colaborativos e trabalho em equipe, adotar uma linguagem comum e apostar na comunicação clara e transparente.

A notícia boa, contudo, é que quando a companhia já tem a pluralidade como um dos pilares, é provável que logo no processo de recrutamento e seleção sejam escolhidas pessoas que não têm dificuldade em lidar como o diferente, explica Márcia Lanini. Essa abertura dos funcionários colabora muito para uma boa integração.

Formas de avaliar a integração

Parte do processo de integração de funcionários é a chamada pesquisa de integração, que busca identificar precisamente se o profissional conseguiu se adaptar bem ao ambiente de trabalho. É normal que a pesquisa seja feita de duas a três vezes durante o período de experiência, ou seja, nos três primeiros meses de trabalho do colaborador.

Por meio de um formulário, os gestores entrevistam o novo profissional, seu superior direito e ao menos dois colegas de trabalho para verificar como anda o processo de integração. Essa é uma estratégia para verificar possíveis problemas de relacionamento e identificar em que relação ele está ocorrendo.

Para avaliar a integração de profissionais que já são da empresa, entretanto, a melhor estratégia é um troca constante de feedback e boa comunicação, aponta a consultora de recursos humanos Márcia Lanini. Além disso, a liderança deve estar sempre atenta a possíveis desentendimentos ou pontos de melhoria nas relações entre colegas de trabalho.

Integração de funcionários na prática

Além da apresentação da empresa e do treinamento, existem outras ações que podem colaborar com a integração de funcionários. O especialista em gestão Patrick J. McKenna e o professor de negócios de Harvard David H. Maister indicam 5 principais atitudes:

#1 Gerencie as primeiras impressões: os acadêmicos recomendam criar um programa de orientação que forneça todas as informações necessárias aos novatos assim que eles chegam. Além de apresentar o novo profissional à equipe, também é indicado enviar um memorando ou e-mail celebrando sua chegada e compartilhando detalhes pertinentes (de onde veio, o que faz, suas credenciais, onde vai trabalhar). Isso pode fazer com que os outros se sintam mais confortáveis para cumprimentá-lo e trocar ideias.

#2 Ajude (antes que a pessoa peça): profissionais novos dentro de uma empresa precisam ter uma compreensão clara das expectativas que o grupo tem sobre ele. Além disso, eles precisam ser apresentados às pessoas, às instalações, aos equipamentos e aos sistemas que serão usados.

#3 Faça com que ele se sinta valorizado: muitas vezes, novos contratados trazem experiências interessantes de outras empresas que podem ser aproveitadas em algum projeto em andamento ou replicadas em um novo projeto. Obter sucesso logo de cara ajuda os recém-chegados a se sentirem mais confiantes.

#4 Promova oportunidades de imersão: é comum que no começo de um novo emprego os profissionais evitem tomar a frente de atividades. Por isso, os colegas e o líder devem criar situações sociais frequentes para que a nova pessoa possa desenvolver laços pessoais e profissionais com os membros da sua equipe. Um convite diário para almoçar pode ser uma boa oportunidade.

#5 Invista na comunicação: os líderes devem criar oportunidades para que todos compartilhem seus sentimentos, ofereçam ideias ou exponham preocupações. Além disso, é importante dar aos colaboradores espaço para que troquem experiências profissionais e pessoais entre si. Isso pode aprofundar ainda mais as relações já existententes.

Gostou do artigo? Acesse o site da Onze e confira outros conteúdos sobre o assunto.