Presenteísmo: o que é e como evitar na empresa

Por Redação Onze

presenteísmo

Você já parou para pensar nos índices de presenteísmo e em como esse conceito afeta a produtividade da sua empresa? Ou pouco sabe a respeito? Seja como for, este é um momento oportuno para aprender mais sobre isso.

Além das distrações normais do dia a dia, inúmeros fatores podem ser responsáveis por afastar o foco do colaborador. Mas o importante é agir no tempo certo e evitar que o problema avance. Para saber como fazer isso, acompanhe a leitura deste artigo e confira as dicas que separamos para você.



O que é presenteísmo?

O conceito de presenteísmo representa aquela clássica realidade em que o trabalhador chegou à empresa, bateu o ponto e está ocupando a sua cadeira, mas com os pensamentos e o foco bem longe dali

Um dos traços mais comuns é aquela sensação de pressa para que o expediente termine de uma vez, mesmo que não exista nada específico a ser feito após o trabalho.

Quais são os impactos do presenteísmo?

A criatividade é quem mais sofre com o presenteísmo. Afinal, ela é deixada de lado e a realização das tarefas entra no modo automático

Isso sem falar na queda da produtividade, já que não existe motivação ou qualquer esforço para que as metas sejam superadas. Ou seja, o colaborador pode até entregar as tarefas, mas a dedicação envolvida certamente não vai ser das maiores. 

Para o funcionário, a sensação é de desgaste constante e de frustração por não conseguir dar o seu melhor ou por não se sentir motivado a seguir esse caminho.

O que causa o presenteísmo?

As causas do presenteísmo podem ser inúmeras. Entre elas, uma das mais comuns é a sensação de que o trabalho feito não é valorizado. A falta de perspectivas de crescimento dentro da empresa é outro fator que pode gerar a ausência de foco por parte do funcionário.

Por outro lado, a alta demanda também é um aspecto a ser considerado. Diante da pressão e do estresse, muitos podem ficar paralisados. É comum ainda que o problema esteja relacionado a questões pessoais, que podem ser levadas para o ambiente de trabalho e impedir a concentração.

Como identificar o presenteísmo?

Identificar o presenteísmo depende de uma gestão atenta, que conheça os colaboradores e saiba identificar quando algo não vai bem.

Além de comentários que possam revelar a pressa em terminar o expediente, é preciso ficar de olho nas ações. Atualizar a mesma página repetidas vezes, ir ao banheiro com muita frequência e perder muito tempo no celular são indícios que devem ser analisados no contexto. 

A falta de entusiasmo diante de um projeto novo também pode dizer muito sobre o momento vivido pelo trabalhador.

Como lidar com o presenteísmo?

Ao perceber que o presenteísmo é uma realidade, o mais importante é não ignorar a sua presença. Talvez seja só uma fase ruim, que pode desaparecer de forma natural, mas isso não significa que o problema não existe ou que não vai se repetir. Então, não deixe de considerar as dicas que sugerimos a seguir.

Aposte em feedbacks constantes

Além de mostrar ao colaborador como a sua trajetória está sendo avaliada, um feedback certeiro representa uma oportunidade para que ele cresça como profissional

Outro aspecto importante é diminuir a sensação de insegurança e abrir espaço para que ele também fale sobre como está se sentindo e sobre as dificuldades que tem encontrado.

Crie um ambiente saudável

Empresas com políticas muito rígidas podem levar o colaborador a se sentir constantemente ameaçado e pressionado a competir com os seus próprios colegas de equipe. 

Além de um ambiente pouco saudável, que não incentiva a criatividade e não valoriza o que o profissional tem de melhor, isso cria uma cultura organizacional baseada no medo. Portanto, é fundamental evitar tais práticas para afastar e superar o presenteísmo.

Pense em políticas de progressão na carreira

Mostrar desde o início que existem possibilidades para crescer dentro da empresa é importante para que o funcionário mantenha a determinação e o empenho. Pode ser a partir de um plano de carreira estruturado, de um benefício ou mesmo por meio da oferta interna de oportunidades em setores diferentes daquele no qual o profissional atua.

Mostre preocupação com o bem-estar dos colaboradores

Sobretudo, é importante que a empresa demonstre que se preocupa com a qualidade de vida e o bem-estar dos seus colaboradores. Isso significa, inclusive, oferecer benefícios mais alinhados com as necessidades dos profissionais. 

A oferta de um plano patrocinado de previdência privada, por exemplo, proporciona uma chance para que o colaborador planeje o seu futuro com o apoio da empresa. 

Para isso, uma porcentagem do salário é deduzida da folha de pagamento e aplicada em nome do funcionário mensalmente. Para cada R$ 1,00 descontado, a empresa pode optar por depositar mais R$ 1,00. Além disso, esse benefício chega a custar até 40% menos do que o mesmo valor pago em forma de salário – então, é vantagem para os dois lados

Quer conhecer melhor a modalidade e saber como ela pode ser adotada no seu negócio? Entre em contato com a Onze, a primeira PrevTech do Brasil e especialista no assunto!