Receita Líquida: saiba como calcular

Por Redação Onze

Receita Líquida: saiba como calcular

Quem deseja investir em ações no médio e longo prazo precisa compreender os relatórios financeiros para entender as perspectivas financeiras das empresas. Muito se fala que um dos pilares fundamentais para o crescimento de uma empresa é a realização de um bom planejamento orçamentário. E, incluído dentro do sistema financeiro da organização, destaca-se a receita líquida. Isso porque ela é um dos mais importantes indicadores para a análise de balanços de uma empresa.

Mas você sabe o que é a receita líquida e como esse indicador pode ser usado em sua empresa? Acompanhe o artigo e saiba mais.



Receita Líquida: o que é?

De modo geral, a receita líquida é a quantidade de dinheiro gerada pela empresa ao realizar suas atividades. Ou seja, se trata do resultado financeiro da empresa após a dedução de impostos, devoluções e descontos concedidos.

Além disso, a receita líquida também proporciona aos investidores uma visão real da situação financeira de uma organização que eles desejam injetar dinheiro. Afinal de contas, eles terão dados atualizados e concretos sobre o que realmente fica no caixa da empresa.

Deduções da receita líquida

Por sua vez, as deduções são os valores referentes aos impostos cobrados sobre as vendas. E esses abatimentos sobre a receita líquida são os seguintes:

  • PIS (Programa de Integração Social): são contribuições sociais devidas pelas pessoas jurídicas, com objetivo de financiar o pagamento do seguro-desemprego, abono e participação na receita dos órgãos
  • COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social): uma contribuição federal brasileira, que incide sobre a receita bruta das empresas em geral. E é destinada a financiar a seguridade social, que inclui a previdência social, a saúde e a assistência social.;
  • ICMS(Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços): imposto Estadual que esteja, somente os governos dos Estados e do Distrito Federal têm competência para instituí-lo sobre mercadorias.;
  • IPI (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços): imposto federal que somente a União pode instituí-lo ou modificá-lo, sobre produtos industrializados no Brasil.

No entanto, para as empresas optantes do sistema não-cumulativo, o § 10 do art. 3º da Lei nº 10.833/2003 possibilita a exclusão dos créditos de Pis e Cofins da base de cálculo do Imposto de Renda (IR) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Onde verificar a receita líquida nos balanços de uma empresa

O empresário pode conferir a receita líquida do seu negócio no Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE), uma ferramenta que tem informações importantes  sobre a situação financeira da empresa. De forma simples, o documento é um relatório de contabilidade obrigatório de uma organização no qual indica-se, de forma resumida, todas as operações financeiras realizadas em um ano, sem considerar anos anteriores com lucros e prejuízos acumulados.

Entre as informações, podemos destacar os valores que estão sendo recebidos e onde são aplicados no período em que aconteceram e também quando foram pagas ou recebidas. Portanto, o DRE é importante para mostrar os lucros e prejuízos de uma empresa durante um ano, antes de depois dos impostos.

Além disso, outros dados essenciais do Demonstrativo são:

  • Receita bruta;
  • Deduções;
  • Receita operacional líquida;
  • Custos de venda: custos gerados com a compra ou fabricação de produtos;
  • Resultado operacional bruto;
  • Despesas operacionais;
  • Despesas financeiras líquidas;
  • Resultado operacional;
  • Lucro líquido;
  • Participações;
  • Resultado líquido do ano.

De forma simples, para calcular a receita líquida deve-se subtrair as deduções da receita bruta. Dessa forma, fica assim:

Receita Operacional Bruta

  • Vendas de Produtos
  • Prestação de Serviços

(-) Deduções da Receita Bruta

  • Devoluções de Vendas
  • Abatimentos
  • Impostos e Contribuições Incidentes sobre Vendas

= RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

Veja agora um exemplo sobre uma loja de sapatos, para explicar melhor sobre o cálculo da receita líquida:

Receita bruta de Vendas = 24.000,00

  • (-) Devoluções de Vendas= 3.000,00
  • (-) Descontos Comerciais = 500,00
  • (-) Impostos incidentes sobre vendas = 8.000,00

(=) Receita Líquida = 12.500,00

Com esses cálculos, pode-se dizer que o lucro líquido de um negócio é calculado como a receita operacional menos todos os custos e despesas, incluindo os impostos.

Portanto, se um empreendedor deseja aumentar a lucratividade de seu negócio, ele deve trabalhar com esses dois importantes componentes principais: receita e custos.

Receita Líquida: para o que este indicador é usado?

Conhecer as formas para se calcular a receita líquida da empresa é de extrema importância para qualquer negócio, independente do setor e tamanho. Isso porque o resultado da receita líquida é um indicador que apresenta a real análise econômica e financeira da empresa.

Ou seja, se a receita bruta apresenta, inicialmente, um valor alto, isso não quer dizer que necessariamente a receita líquida será boa. Por isso, o empresário nunca deve se basear apenas na receita bruta para fazer mudanças como contratações, investimentos, pagamentos, compra de material, entre outros. Se fizer isso, há grandes chances de ter surpresas negativas após um determinado período.

Por outro lado, quando se analisa a receita operacional bruta e a receita operacional líquida, o proprietário pode, inclusive, fazer uma análise mais completa do preço de venda dos seus produtos. Assim, ele é determinado basicamente por:

  • Valor das Vendas;
  • Deduções;
  • Custos Variáveis;
  • Análise da Margem de Contribuição obtida.

E ainda é importante frisar que para o empreendedor saber a margem de contribuição, é necessário conhecer a receita operacional.

Importância da Receita Líquida para os investidores

Além disso, para os investidores a receita líquida costuma ser um indicador mais interessante que a receita bruta.  Até mesmo sites de análises de balanços de empresas são iniciados pela receita líquida. Ou seja, não há nem a indicação da receita bruta em tais relatórios.

Desta forma, tanto a empresa quanto a contabilidade podem utilizar os valores da receita líquida para confeccionar outros relatórios e para análise dos números.

Continue acompanhando o Blog da Onze  para ter mais dicas de investimentos para 2020 e de como diversificar a sua carteira.