Índices de mercado: o que são e como são utilizados

Por Redação Onze

Índices de Mercado

Antes de fazer qualquer aplicação financeira, é essencial que o investidor, experiente ou não, verifique atentamente os índices do mercado para evitar prejuízos. Ou seja, não perder dinheiro. Esses índices podem ajudá-lo a analisar o desempenho de uma empresa e se as ações são rentáveis.

Confira o artigo a seguir e entenda o que são os índices de mercado e quais os principais indicadores no Brasil e no exterior.



O que é um Índice de Mercado?

Um Índice de Mercado, como o seu nome já propõe, é um indicador utilizado para apontar o desempenho do mercado de ações e auxiliar na hora de fazer investimentos, sejam eles de curto, médio ou longo prazo.

Por meio do índice, você pode analisar o retorno do seu dinheiro e realizar comparações a fim de fazer escolhas mais assertivas, principalmente em tempos de economia globalizada.

O Índice foi criado por Charles Dow e Edward Jones em 1896, com a função principal de monitorar o interesse dos investidores em uma área específica ou também em setores mais abrangentes. Para a criação do índice, foram monitoradas 12 empresas que comprovaram a sua eficácia.

Como antigamente os economistas não contavam com o auxílio da tecnologia, principalmente durante a sua criação, os Índices eram calculados somando os valores disponibilizados pelas empresas e dividindo-os pelo número total das empresas.

No entanto, com a evolução tecnológica, o cálculo do Índice de Mercado passou a ser realizado por ponderamento, variando também de empresa para empresa.

Investidor e os Índices de mercado

Portanto, o índice de mercado indica o estado atual do mercado de capitais e, de suma importância, apresenta a tendência de evolução da economia ou de um segmento específico.

Por isso, todo investidor consciente acompanha de perto o desempenho do índice para aplicar melhor o seu dinheiro. Além disso, é válido ressaltar que a eficiência em comparar empresas e contabilizar seus índices econômicos é bem maior.

Leia também: Índices de rentabilidade: o que são e quais os principais do mercado.

Quais são os principais Índices de Mercado no Brasil?

Quando falamos em investimento, é fundamental saber quais são os principais Índices de Mercado no Brasil para garantir bons retornos financeiros. Afinal, como já falado anteriormente, eles ajudam na hora de tomar decisões sobre quando, onde e como investir, além de direcionar as decisões do Governo.

Confira a seguir uma lista com os principais Índices de Mercado no país e entenda um pouco mais sobre cada um deles:

  • IbrX (Índice Brasil): mede o retorno de uma carteira teorizada completa por 100 ações selecionadas entre as mais negociadas na Bolsa de Valores. As ações são ponderadas de acordo com os papéis disponíveis no mercado;
  • MLCX (Índice Mid Large Cap) e SMLL (Índice Small Cap): Segmenta as empresas listadas na Bolsa para saber como se comportam. O Mid Large é responsável pela medição do retorno de uma carteira composta pelas empresas com maior capitalização. Já o Small Cap faz o cálculo do retorno de uma carteira composta pelas empresas com menor capitalização;
  • IDIV (Índice Dividendos): O índice é responsável por medir a rentabilidade recebida pelos investidores das empresas, ou seja, ele mostra o lucro obtido com os investimentos;
  • IEE (Índice de Energia Elétrica): Especializado em medir o desempenho dos setores de energia elétrica, sendo assim um índice bem específico;
  • ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial): Índice indicado para aqueles que se preocupam com os quesitos de sustentabilidade e cooperativismo. Demonstra o comprometimento das empresas com suas responsabilidades sociais e a sustentabilidade do meio empresarial, trazendo um incentivo para outros setores brasileiros.



Quais são os principais Índices de Mercado no mundo?

Para aqueles que pensam em investir fora do Brasil essas indicações serão bastante úteis na hora de aplicar ou investir o dinheiro. Para auxiliar você, listamos os principais Índices de Mercado no mundo. Confira:

  • NYSE: Com cerca de 11,79 trilhões de dólares mobilizados no mercado, a bolsa americana ocupa o primeiro lugar no ranking de principais Índices de Mercado no mundo. Tendo isso em vista, é interessante saber que ela é responsável por 25% do mercado mundial;
  • Nasdaq: Ocupando a segunda posição de nossa lista, a Nasdaq engloba cerca de 8% da capitalização do mercado pelo mundo, o que equivale a 3,847 trilhões de dólares;
  • Tóquio Stock Exchange: Na terceira posição, temos uma bolsa japonesa. A Tóquio Stock Exchange monopoliza cerca de 3,32 trilhões de dólares, com uma expressiva representatividade no mercado de 7%;
  • London Stock Exchange: Ocupando a quarta posição, a London Stock Exchange possui 3,26 trilhões de dólares e tem seu espaço com 7% da representatividade mundial no mercado;
  • Shangai Stock Exchange: Na quinta posição, podemos encontrar uma bolsa chinesa. Detentora de 2,35 trilhões de dólares, a China caiu cerca de 5 posições no ranking de desenvolvimento financeiro, algo a ser levado em consideração na hora de escolher onde investir;
  • Hong Kong Stock Exchange: Em sexto lugar, mais uma bolsa chinesa. A Hong Kong Stock Exchange possui cerca de 2,25 trilhões de dólares e tem expressividade de 5% no mercado mundial;
  • Toronto Stock Exchange: Seu patrimônio é de 1,91 trilhão de dólares com expressividade de 4% no mercado. Aliás, o Canadá se mantém firme em 6º lugar no ranking de desenvolvimento financeiro pelo 3º ano consecutivo. O país é forte, principalmente com relação aos intermediários financeiros.

Value at Risk

Além dos índices de mercado, para aqueles que já são ou pensam em ser investidores, é possível se deparar com termos aparentemente complexos como Value at Risk (VaR). Ele é utilizado para mensurar o risco nos investimentos, tornando-se um dos principais aliados na hora de escolher onde aplicar.

Pelo modelo que possui, o VaR avalia o potencial de perda que uma empresa possui, além de sua probabilidade de ocorrência. A maior parte dos bancos de investimento aplicam o Value at Risk para toda a empresa.

Isso ocorre porque o uso de sua avaliação permite determinar os riscos que serão acumulados. Sendo assim, as empresas focam em saber se possuem dinheiro o suficiente para se manter, mesmo perdendo uma parte do seu valor financeiro.

Apesar do termo pouco popular, o VaR é fácil de compreender e eficaz para localizar riscos no mercado, com uma aplicação simples. Ele não compromete os limites de negociação e, além de todas essas vantagens, é universal para você se arriscar tanto dentro do Brasil quanto fora dele.