Portabilidade na previdência do Banco Inter: como fazer e investir melhor

Por Redação Onze

Você tem um plano e quer fazer a portabilidade da previdência privada do Banco Inter entre serviços previdenciários ou para outra operadora? Então, precisa conferir as informações que trouxemos.

Neste artigo, apresentamos os principais motivos para trocar o investimento em aposentadoria complementar e explicamos como fazer a portabilidade entre produtos e empresas. Assim, você vai descobrir de que maneira pode realizar a portabilidade da previdência do Banco Inter, de forma simples e segura. Confira!

É possível fazer a portabilidade da previdência do Banco Inter?

É possível, sim, fazer a portabilidade da previdência privada do Banco Inter. Da mesma forma que acontece com qualquer outra instituição, você pode:

  • Trocar de plano dentro da operadora
  • Trocar de operadora

O Inter oferece dois tipos de aposentadoria complementar: PGBL e VGBL. Dentro dessas categorias, existem diferentes maneiras de contribuir com o plano previdenciário e fazer o resgate do saldo acumulado.

Além disso, as taxas cobradas pelo banco e os valores de remuneração variam conforme o fundo de previdência escolhido. Portanto, você tem diversas opções para fazer a portabilidade de maneira interna no Banco do Inter.

Mas, ainda assim, vale a pena entender as condições de investimento de outras operadoras de previdência e estudar a possibilidade de fazer a portabilidade externa.

Quando fazer a portabilidade da previdência do Banco Inter

Você pode ter feito toda a lição de casa para a escolha da previdência privada e, assim, pesquisou os planos, escolheu entre PGBL e VGBL, optou pela renda fixa ou variável, analisou taxa de rendimento e custos.

Mas, depois da contratação, pode ter ficado insatisfeito com os resultados obtidos. Se for esse o caso, está na hora de avaliar quando a portabilidade é uma alternativa interessante para melhorar seu investimento em aposentadoria complementar.

Veja a seguir as principais razões para isso:

Custos altos

Os planos do Banco Inter têm taxa de administração que podem chegar a 2% ao ano. Apesar de não cobrar taxas de carregamento e performance, os custos com a previdência podem pesar para a aplicação de longo prazo.

Assim, se os gastos com o investimento estão ficando altos, é o momento de comparar os valores praticados por outras operadoras. Encontrando condições melhores, pode ser uma boa hora de fazer a portabilidade.

Baixos rendimentos

A previdência complementar deve ter taxas de rentabilidade atrativas. Se os fundos previdenciários estão com baixos retornos, estude o histórico de pagamento dos planos operados pelo próprio Banco Inter e por aqueles geridos pela concorrência.

Caso encontre taxas de juros melhores em outras opções, também é um bom momento para cogitar a troca de investimento previdenciário.

Dificuldade de relacionamento com a operadora

Por fim, analise bem como é seu relacionamento com o Banco Inter. Essa é uma questão subjetiva, mas que precisa ser avaliada para a continuidade ou não do seu investimento. Portanto, avalie se você tem facilidade para se comunicar com a operadora, se suas dúvidas são esclarecidas de maneira rápida e se as condições para investir são claras.

Afinal, a previdência privada é uma aplicação de longo prazo e, se você não tem bom relacionamento com a gestora agora, poderá enfrentar dificuldades no futuro.

Como fazer a portabilidade da previdência do Banco Inter

Se você realmente quer migrar de plano e/ou operadora, confira o passo a passo para realizar a portabilidade da previdência do Banco Inter:

1. Verifique o prazo de carência

O prazo regulamentado para realizar a portabilidade é de 60 dias. Ou seja, após 2 meses de contratação, você pode alterar o plano ou migrar para outra instituição de previdência. Mas estude o regulamento do Inter.

2. Observe a gratuidade

A portabilidade deve ser realizada de maneira gratuita, mesmo se a operação acontecer entre duas empresas. O serviço deve ser prestado sem custos para o contratante.

3. Atente-se para a mudança do plano

Você só pode fazer a portabilidade de planos PGBL para PGBL e de VGBL para VGBL. Não é possível alterar a formatação da aposentadoria complementar de forma gratuita e dando continuidade ao investimento. Então, estude como mudar o plano sem prejuízos à aplicação.

4. Entre em contato com a nova instituição

Se a portabilidade for realizada de maneira externa, você deve contatar a nova operadora do plano e solicitar a mudança. A instituição, então, entrará em contato com a atual gestora da sua previdência privada e dará continuidade à transferência da aplicação.

5. Utilize a Onze na sua decisão

A qualquer momento dessa jornada pela portabilidade, conte com a Onze. Temos todas as informações de que você precisa para pesquisar por novos planos de previdência privada e, assim, encontrar a melhor aplicação para seu futuro.

Com os conteúdos exclusivos da Onze, você tem ricos materiais sobre investimentos de longo prazo e aprende como escolher aquele que esteja mais alinhado a seu perfil de investidor e objetivos.