Seleção de currículos: Como tornar o processo mais eficiente?

Por Redação Onze

Seleção de currículos

De todas as tarefas executadas pela área de recursos humanos numa empresa, a seleção de currículos é uma das mais importantes. Quando ela é realizada de forma eficiente, a organização consegue resultados importantes para superar dois grandes desafios que são comuns no mundo corporativo: a atração e a retenção de talentos.

Todavia, mesmo com todas as ferramentas disponíveis hoje em dia, muitas empresas ainda erram nesta etapa. Para otimizar o processo seletivo, e torná-lo ainda mais eficiente na conquista de bons profissionais, nós apresentamos neste texto algumas dicas sobre como tornar a seleção de currículos mais eficiente na sua empresa. Confira a seguir.

Por que a seleção de currículos é tão importante?

Toda empresa sonha em ter equipes de alto rendimento, mas formá-las é um desafio que muitas vezes depende da eficiência nas contratações. Para alcançar resultados positivos na construção de um quadro funcional, os cuidados devem começar ainda no recrutamento e na seleção. É a eficiência deste processo que vai ajudar a atrair e reter talentos, diminuindo possíveis transtornos e prejuízos para empresa como a alta rotatividade de funcionários.

De acordo com uma pesquisa da Robert Half, o Brasil já foi considerado campeão mundial em rotatividade. Segundo o levantamento, realizado entre 2010 e 2014, o país teve o pior aumento na taxa de turnover com 82%, enquanto a média global dos países analisados ficou em 38%. Somente no ano de 2016, a alta rotatividade atingiu 40% das empresas nacionais, conforme dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

Neste cenário, a seleção de currículos, também conhecida pela área de recursos humanos como triagem, é indispensável para escolha de um bom candidato. A etapa é importante para a empresa avaliar quais profissionais possuem competências capazes de atender melhor suas expectativas, e assim evitar problemas no futuro.

Como é feita a seleção de currículos?

De modo geral, a seleção de currículos é feita por meio de um método básico de filtragem, no qual os recrutadores escolhem os talentos que reúnem as melhores características para uma determinada vaga.

No entanto, embora pareça muito simples, o processo de triar os currículos geralmente é complexo e ocupa a maior parte do tempo usado no preenchimento de uma oportunidade. Em média, no Brasil, após a publicação de uma vaga de emprego, as empresas demoram cerca de 40 dias para captar, analisar e escolher os candidatos.

Para tornar o processo ainda mais complicado, a pandemia da Covid-19 aumentou o índice de desemprego e colocou milhares de profissionais em busca por uma vaga no mercado. Hoje, quando uma empresa divulga uma oportunidade de trabalho, ela chega a receber uma média de 250 currículos, e mais de 80% deles não são qualificados.

Mesmo com o uso de plataformas de recrutamento, o processo é apontado por diversos executivos como uma das partes mais difíceis da contratação de novos funcionários.

Por conta de toda essa complexidade, há alguns erros comuns que acontecem na hora de captar e selecionar os currículos. Entre as principais falhas das empresas, podemos citar::

  • não verificar as referências citadas pelos candidatos;
  • não levar em consideração sua cultura organizacional;
  • descartar profissionais muito qualificados;
  • realizar apenas uma entrevista com o candidato;
  • fazer perguntas erradas.

A junção de todas esses erros compromete o processo de recrutamento, e acaba resultando em contratações mal sucedidas O que, consequentemente, pode trazer problemas e prejuízos para a empresa.

Como melhorar a seleção de currículos?

Mais do que analisar documentos, a seleção de currículos é uma análise de talentos, que pode impactar diretamente no sucesso de uma empresa. Para evitar erros, e tornar o processo mais eficiente, o recrutador precisa seguir alguns cuidados básicos.

Um deles é entender a necessidade da empresa, e a partir dela definir o perfil ideal para ocupar a vaga, estabelecendo competências mínimas e padronizando o processo.

Outra dica válida para quem busca eficiência e agilidade na contratação de funcionários novos é o investimento em tecnologias. Hoje, o mercado possui diversas ferramentas voltadas para o recrutamento. Elas ajudam a centralizar informações, a filtrar perfis, a aplicar testes, e inclusive a dar feedback sobre a seleção, algo que o mercado de trabalho tem cobrado bastante nos últimos anos em respeito aos candidatos.

Por fim, investir na reputação da empresa como uma boa marca empregadora também é imprescindível. Para isto, além da empresa promover sua cultura organizacional, ela deve investir em benefícios corporativos, porque eles são uma ótima ferramenta para atrair novos talentos.

Neste sentido, a Onze oferece uma solução bem atrativa, voltada para saúde financeira dos colaboradores, que é a previdência privada corporativa, um benefício que nem todas as empresas possuem, e pode fazer toda diferença na seleção de currículos.