Capacitação profissional: entenda como ela beneficia sua empresa e saiba como aprimorar seus colaboradores

Por Redação Onze

capacitação

O mercado e o próprio cotidiano de trabalho nas empresas impõem desafios que demandam raciocínio ágil, capacidade técnica e estabilidade emocional por parte dos seus funcionários. É no desempenho deles que está, afinal, a chave para seu negócio prosperar – e o bom desempenho depende de capacitação profissional.

Não importa se sua empresa é de pequeno, médio ou grande porte: quando há cargos sendo ocupados por profissionais pouco capacitados, a produtividade geral do negócio e o próprio ambiente de trabalho são afetados. Como evitar isso? Com uma gestão de pessoas que promova, cursos, treinamentos e outras atividades para ajudar a potencializar o melhor de cada colaborador.

Continue conosco para entender como a capacitação profissional traz benefícios para sua empresa e saiba como aprimorar seus colaboradores!



O que é capacitação profissional?

Ser capacitado é estar pronto para cumprir tudo o que o cargo exige. Isso inclui não só a execução técnica da função, como também saber operar a tecnologia que é utilizada no dia a dia de trabalho; e atuar sempre de acordo com os princípios, objetivos e normas da organização.

Funcionários pouco capacitados afetam a capacidade competitiva da empresa, gerando pouca produtividade e custos maiores. Também são fonte de desmotivação, conflitos internos e aumento nos índices de turnover.

Mas a capacitação é uma iniciativa que parte de duas vias. Ao mesmo tempo em que todo profissional que está no mercado de trabalho deve buscar aprimorar suas competências técnicas e emocionais por iniciativa própria, sua empresa também deve dar as condições para que os que são contratados sigam se desenvolvendo.

Tanto é que, hoje, as grandes empresas investem tanto em programas de capacitação tecnológica quanto no desenvolvimento das chamadas soft skills, as aptidões pessoais e emocionais do colaborador.

Como analisar (e aprimorar) a capacitação de um novo colaborador

O primeiro passo é contratar os melhores profissionais no mercado: com provas de seleção que analisam diferentes aspectos do profissional e entrevistas bem direcionadas, possíveis mentiras de capacitação no currículo são facilmente detectadas.

Tais ações fazem parte de uma gestão de recursos humanos estratégica. Fator essencial para atrair o interesse dos grandes talentos e selecionar os melhores perfis. Além, é claro, de seguir potencializando suas habilidades do colaborador dentro da empresa – através de um programa de desenvolvimento com oferta de cursos e treinamentos, por exemplo.

Ou seja, o RH estratégico:

  1. Detecta as necessidades de aprimoramento técnico e/ou comportamental que sua equipe apresenta;
  • Propõe cursos e treinamentos de educação corporativa que não apenas capacitam os profissionais como promovem a retenção de talentos, motivam a equipe e aumentam a produtividade.

Os benefícios de oferecer capacitação são mútuos: quando ficam estagnados, colaboradores sentem-se desmotivados, baixam a produtividade e você corre o risco de perder talentos e ter prejuízos com turnover.

Dispor de um programa interno de desenvolvimento para que os funcionários adquiram novos conhecimentos é essencial e tem nítidos reflexos no nível de engajamento.

Como mensurar a capacitação da sua equipe

Momentos em que os objetivos da empresa não são atingidos (queda no número de vendas, por exemplo) podem ser sinal de que sua equipe está precisando de capacitação através de um programa de treinamento corporativo.

Existem alguns indicadores que ajudam a medir o sucesso da capacitação de sua equipe:

  • Taxa de adesão: É a quantidade de colaboradores que efetivamente participaram do curso ou treinamento em comparação à quantidade total de funcionários.
  • Taxa de abandono (Churn): A proporção de colaboradores que não completou o curso ou treinamento em comparação aos que concluíram a atividade.
  • Avaliação com testes: Consiste em aplicar provas antes e depois do treinamento e estabelecer uma nota mínima para que o colaborador seja considerado capacitado.

Avaliação comportamental: Focada nas soft skills, esse tipo de avaliação requer acompanhar a evolução do colaborador em trabalhos em equipe e projetos de longa duração.

Uso de tecnologia: As grandes empresas hoje automatizam boa parte das avaliações de capacitação com softwares especializados em integrar as informações sobre os funcionários e acompanhar o progresso de cada um.

Sobre a Onze

Oferecer desenvolvimento pessoal e profissional por meio de capacitação é uma das melhores maneiras de motivar os colaboradores e reter os grandes talentos – mas a capacitação precisa estar alinhada com o desenvolvimento patrimonial do funcionário.

Com benefícios como a Previdência Privada Empresarial, o benefício corporativo mais cobiçado por grandes profissionais, a Onze disponibiliza o que você precisa para garantir a segurança financeira de seus colaboradores e fazer com que sintam-se valorizados e motivados. No mundo corporativo, capacitação e valorização andam lado a lado.