11 ferramentas de gestão estratégicas para o RH

Por Redação Onze

ferramentas de gestão

O que são ferramentas de gestão?

Ter processos bem estruturados é um dos maiores desafios do mundo corporativo nos dias atuais, e para isto muitos gestores recorrem às ferramentas de gestão, porque elas otimizam o trabalho e ainda contribuem para uma tomada de decisão mais certeira.

No geral, essas ferramentas são softwares, técnicas e metodologias que funcionam como uma força extra para o gestor, ajudando no gerenciamento de projetos e no aprimoramento de processos. Elas também servem para garantir maior eficiência e qualidade na produção de bens e serviços, além de identificar problemas e prevenir riscos futuros.

Para o setor de recursos humanos – que precisa executar algumas tarefas estratégicas como recrutamento e seleção de talentos, avaliação de desempenho, entre outras – as ferramentas de gestão são fundamentais para verificar a condução dessas tarefas. Além de potencializar os resultados do RH e avaliar se estão alinhados às metas e objetivos da empresa.

Entre as vantagens oferecidas pelas ferramentas de gestão, podemos citar:

  • Aumento de produtividade;
  • Maior organização interna;
  • Controle dos processos;
  • Redução de custos e desperdícios;
  • Melhora da qualidade dos produtos e serviços;
  • Maior satisfação dos clientes;
  • Otimização de tempo da equipe;
  • Prevenção de riscos e problemas

Dicas de ferramentas de gestão para RH

ara ajudar no processo de escolha, nós listamos abaixo 11 ferramentas de gestão que são muito comuns no meio corporativo e que otimizam a rotina da sua empresa.

5W2H

É uma ferramenta bastante usada para o planejamento estratégico de empresas, e parte do princípio de organizar as ações com base em algumas definições como:

  • o que será feito (what);
  • quem fará (who);
  • por quê (why);
  • quando (when);
  • onde (where);
  • como (how);
  • quanto custará (how much).

Em geral, essas perguntas são organizadas numa planilha e as respostas funcionam como um guia pelo qual o gestor pode acompanhar o processo.

PDCA

Indicado para gestores que têm como objetivo a melhoria contínua dos processos, o PDCA consiste basicamente de um circuito com quatro ações, definidas como:

  • planejar (plan);
  • fazer (do);
  • checar (check);
  • agir (act).

Como se trata de um ciclo, a ideia é que esse processo não tenha fim, e a última etapa sempre leve ao início de uma nova melhoria a ser implementada.

Análise SWOT/FOFA

Muito usada no planejamento estratégico, a metodologia permite entender o contexto da empresa a partir de uma análise interna sobre suas forças (strengths) e fraquezas (weakness), além de uma análise externa sobre oportunidades (opportunities) e ameaças (threats).

Com base nisso,é possível tomar decisões mais certeiras, traçando planos para lidar com as fraquezas e ameaças, e aproveitar melhor as forças e oportunidades.

PM Canvas

Também chamada de Project Model Canvas, essa metodologia consiste em reunir e relacionar de forma visual, todas as informações do projeto em perguntas (o quê, quem, por quê, como, quando e quanto).

Na maioria das vezes, esses quadros são bem simples de usar. Hoje alguns exemplos de PM Canvas que existem são o Trello e o Planner.

Matriz BCG

É usada para entender quais produtos ou serviços têm mais potencial de mercado. A metodologia consiste em analisar a função de cada um deles dentro do portfólio da empresa, e a partir disso orientar a decisão de quais devem ser mantidos ou retirados da comercialização.

Matriz de Ansoff

Usada para orientar o crescimento da organização, a ferramenta traz quatro estratégias empresariais:

  • penetração de mercado;
  • desenvolvimento de produtos;
  • desenvolvimento de mercado;
  • diversificação.

Guia PMBOK

É um conjunto de conhecimentos, que funciona basicamente como uma enciclopédia, e reúne as práticas mais eficientes, já testadas e comprovadas por gerentes de projetos do mundo inteiro em um único guia regularmente revisado pela PMI (Project Management Institute).

Cinco forças competitivas de Porter

É uma ferramenta que permite uma analisar de forma abrangente o contexto da empresa, a partir de cinco pontos básicos:

  • ameaça de produtos substitutos;
  • ameaça de novos concorrentes;
  • poder de negociação dos clientes;
  • poder de negociação dos fornecedores;
  • rivalidade entre os concorrentes.

Princípio de Pareto 80/20

Essa ferramenta é baseada na regra de Pareto, que diz que 80% das consequências são decorrentes de 20% das causas. Em exemplo prático: seria o mesmo que dizer que 80% do faturamento é resultado de 20% das vendas. Com base nisto, é possível criar uma relação na qual 20% do trabalho gera 80% dos resultados, e implementar ações para aumentar as causas e consequentemente aumentar a produtividade.

KPI

Conhecidos como Key Performance Indicator ou Indicadores-Chave de Performance, os KPIs são métricas usadas pelos gestores para avaliar determinados processos em sua gestão. Alguns KPIs que geralmente são usados pelo RH são: índice e custo de rotatividade, absenteísmo, índice de retenção de talentos e índice de produtividade.

Mapa mental

Indicada para gestão de informações, compreensão e solução de problemas, a ferramenta consiste numa técnica muito prática de organização e memorização de pensamentos lógicos e ideias através de palavras chaves, símbolos e cores.

O mapa mental simplifica decisões ajudando a focar naquilo que é mais relevante, e também contribui para o aprendizado e criatividade.



Como a Onze ajuda no papel estratégico do RH?

Mais do que um benefício, a Previdência Privada Corporativa da Onze uma ótima aliada para o RH, porque reduz o estresse financeiro, uma das causas responsáveis pela baixa produtividade dos colaboradores e o absenteísmo. Para saber mais, entre em contato conosco e veja como podemos contribuir com o papel estratégico do RH.

Leia também