PGBL ou VGBL: escolha o melhor plano de previdência privada

Por Redação Onze

PGBL ou VGBL

Ao pesquisar por planos de previdência privada, é natural que você fique em dúvida entre PGBL ou VGBL. Afinal, esses são os dois formatos disponíveis a pessoas físicas que buscam complementar a sua aposentadoria.

Então, na disputa que envolve PGBL x VGBL, você saberia dizer qual a mais indicada para seus objetivos? Se esse é um assunto que o intriga, fique tranquilo. Com as dicas certas, você toma uma decisão segura.

Neste artigo, além de apontar as diferenças e os elementos que podem levar você a escolher PGBL ou VGBL, vamos explicar como funciona a previdência privada, vantagens e desvantagens de cada formato.

PGBL ou VGBL: qual a melhor previdência?

Antes de escolher PGBL ou VGBL, vale entender do que se trata essa sopa de letrinhas na previdência privada.

“Plano Gerador de Benefício Livre” e “Vida Gerador de Benefício Livre” são formatações de poupança e investimento para a aposentadoria complementar. Ambos, portanto, funcionam um complemento aos valores recebidos através do INSS depois de trabalhar.

A principal diferença entre elas está na parte tributária, especialmente no que se relaciona ao Imposto sobre a Renda (IR). Como você vai entender mais à frente, o impacto da sua escolha pode ser significativo ao longo dos anos de investimento.

Por isso, fique de olho nas definições e características de cada plano para se definir entre PGBL ou VGBL.

O que é PGBL?

O Plano Gerador de Benefício Livre é um tipo de previdência privada. Ou seja, o investidor contrata um plano PGBL, faz aplicações periódicas e, ao fim do tempo de investimento, recebe o valor aplicado com seus descontos e rendimentos.

Uma das principais características do PGBL é que o Imposto de Renda incide sobre o valor total aplicado. Em outras palavras, o IR será calculado sobre todas as parcelas depositadas e, também, sobre o rendimento acumulado com o valor investido.

Como você vai entender logo à frente, esse é o tipo mais indicado para quem faz a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda – Pessoa Física (DIRPF) na modalidade completa.

É o seu caso? Então, entre PGBL e VGBL, é provável que escolha o primeiro. Mas, antes, veja seus prós e contras.

Prós e contras do PGBL

Um ponto de atenção para os investidores em PGBL é, justamente, a incidência do IR sobre a quantia total investida. Assim, toda a renda aplicada é tributada.

No entanto, quem opta pelo PGBL pode se beneficiar da dedução do IR sobre as quantias aplicadas em previdência privada. Será possível, então, deduzir o valor das contribuições na declaração anual em até 12% sobre a renda tributável. Por isso, essa é a modalidade ideal para aqueles que fazem a DIRPF completa, como destacamos antes.

Vamos ver um exemplo, de maneira simplificada? Considere um contribuinte que recebe R$ 10 mil ao mês e faz injeções mensais de R$ 1.200 em PGBL. Depois que a contribuição do INSS é descontada, o valor do PGBL será abatido e, só então, o Imposto de Renda é calculado.

Neste caso, o IR será menor do que aquele pago por uma pessoa que não investe em PGBL, porque a base de cálculo será (Salário – INSS – PGBL). Enquanto isso, o tributo de quem não investe em PGBL será calculado sobre (Salário – INSS).

Dessa forma, quanto mais dinheiro for investido em previdência privada PGBL, menor será a contribuição de IR mensal do indivíduo. Especialmente ao longo dos anos, a diferença pode ser significativa.

O que é VGBL?

Antes de apontar um vencedor entre PGBL x VGBL, conheça também o Vida Gerador de Benefício Livre. Logo de cara, cabe saber que ele é classificado como seguro de pessoa. No geral, no entanto, entra na categoria de aposentadoria complementar.

Assim, da mesma forma que o PGBL, uma pessoa investe e resgata os ganhos após o período contratado. Mas o VGBL se diferencia na maneira como o Imposto sobre a Renda é aplicado. Nesse formato, o IR incide somente sobre os rendimentos gerados pelo investimento.

Assim, o VGBL é recomendado para contribuintes que fazem a declaração anual simplificada, o que é uma vantagem. Mas também há pontos de atenção que você precisa conhecer, como vamos mostrar agora.

Prós e contras do VGBL

Na declaração simplificada do Imposto de Renda, existe o desconto padrão de 20% sobre a renda tributável. Porém, não há possibilidade de fazer outras deduções na contabilização do tributo.

Dessa maneira, o VGBL é o plano de previdência privada mais recomendado para quem tem a possibilidade de fazer a DIRPF simplificada. Como o IR incide somente sobre os rendimentos deste tipo, não haverá benefício tributário na adesão da declaração completa.

Vale usarmos um exemplo bastante básico para você entender melhor. Se um investidor aplica R$ 10.000 como VGBL e, ao fim do período, tem saldo de R$ 10.500, o IR incidirá apenas sobre os R$ 500 de rendimento.

Vale observar que, ao investir em VGBL, você não terá como abater o pagamento em previdência privada do IR anual. Esse é um ponto a considerar na sua decisão entre PGBL ou VGBL.

PGBL x VGBL: como escolher seu plano?

Depois de todas essas informações, você ainda está na dúvida entre PGBL x VGBL?

Então, a dica é refletir sobre estas duas questões:

Você é obrigado a fazer a declaração anual de Imposto de Renda completa?

O PGBL poderá ser abatido em até 12% da renda tributável. Ou seja, pode gerar economia no pagamento do tributo.

Você pode fazer a declaração simplificada de IR?

Apenas os rendimentos do VGBL serão tributados e, portanto, esse é o tipo de aposentadoria complementar mais recomendada.

No site da Onze, tem outras informações importantes para você investir com conhecimento, tranquilidade e segurança.

A Onze nasceu como a primeira PrevTech do Brasil, transformando a previdência privada corporativa do país. Trabalhamos com a alocação inteligente dos recursos depositados pelos funcionários e pela empresa, atuando como uma gestora de investimentos independente.