Benefícios para funcionários: quais são os mais desejados

Por Redação Onze

Foi-se o tempo em que o salário era a única variável que os profissionais olhavam antes de aceitar um emprego. As mudanças no mercado de trabalho e a nova geração de trabalhadores mudaram os parâmetros. Por isso, criar uma boa política de benefícios para funcionários, que vá além de recompensas financeiras, é uma das estratégias para atrair e reter talentos.

Podemos entender benefícios corporativos como vantagens que uma empresa oferece a seus colaboradores. Alguns exemplos comuns são vale-refeição, descontos em lojas conveniadas, plano de saúde, ginástica laboral, entre outros. Mas antes de definir o que oferecer, as empresas precisam entender o que os profissionais procuram e como essa oferta impacta no rendimento dos colaboradores.

A importância dos benefícios

Oferecer benefícios ajuda as empresas a engajarem mais seus colaboradores, uma vez que eles sentem que estão sendo cuidados e sentem mais confiança para serem bem-sucedidos, segundo a MetLife, um dos maiores fornecedores globais de programas de benefícios.

Além disso, as vantagens oferecidas serão o 3º maior fator decisório para profissionais escolherem uma empresa para trabalhar, depois do salário e de um ambiente de trabalho construtivo. Abaixo alguns dos outros resultados que a estratégia pode trazer para o ambiente de trabalho, de acordo com o levantamento

  • Satisfação
  • Lealdade
  • Alto engajamento
  • Senso de propósito
  • Produtividade entre as equipes
  • Níveis de estresse mais baixos
  • Ambiente mais equilibrado
  • Retenção de talentos

Vale ressaltar que existem benefícios que são obrigatórios, determinados legalmente pela Consolidação das Lei Trabalhistas (CLT), e os não obrigatórios. Entre os obrigatórios estão Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), 13º salário, férias remuneradas, horas extras, contribuições para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), entre outros. A seguir vamos falar sobre os não obrigatórios.

Os benefícios mais desejados pelos funcionários 

Cada colaborador terá prioridades diferentes, por isso os melhores benefícios podem variar de acordo o perfil de cada colaborador. Contudo, se a empresa se preocupa em contratar pessoas que estejam alinhadas aos seus propósitos, valores e culturas, é possível delimitar mais quais são os benefícios mais desejados.

Ainda segundo a pesquisa de MetLife, os benefícios mais eficazes possuem duas coisas em comum: eles ajudam os colaboradores a alcançarem suas metas pessoais e profissionais; e também aliviam fatores estressantes da vida da vida dos trabalhadores. Para desvendar o que os profissionais buscam, listamos algumas pesquisas recentes sobre o assunto. Confira!

Mais tempo livre

A busca pelo equilíbrio entre a vida pessoal e profissional tem aumentado entre os trabalhadores. Por isso, um dos benefícios para funcionários mais valorizados é a possibilidade de ter mais tempo livre, de acordo com pesquisa da MetLife. Ter mais tempo disponível faz com que os colaboradores consigam resolver questões pessoais sem se desgastar no trabalho.

De acordo com o levantamento, realizado com 2,6 mil profissionais norte-americanos, 72% gostariam de que as empresas oferecessem tempo livre remunerado e ilimitado. O benefício corporativo superou outros mais tradicionais como bônus, licenças pagas e serviços de cortesia.

Eleita a melhor multinacional para trabalhar de 2018, segundo o Great Place to Work, a Microsoft tem testando novos modelos de trabalho, sendo um deles uma semana de trabalho de quatro dias. No teste, os colaboradores tiveram uma folga remunerada na sexta-feira durante cinco semanas.

A empresa queria entender o impacto que a flexibilidade teria no trabalho e na performance da companhia. O resultado foi um aumento de 40% na produtividade, mais satisfação entre os profissionais, diminuição de custos e aumento nas vendas.

Planos de aposentadoria corporativa por fases

Além de desejarem mais tempo para questões pessoais, os profissionais também se preocupam com a hora de se aposentar, ainda segundo o levantamento da MetLife. Quase 70% dos entrevistados desejam que as empresas ofereçam um plano de aposentadoria por fases. Ou seja, eles não querem deixar o emprego de uma vez, e sim aos poucos.

O relatório analisa que é crescente o movimento de funcionários que estão construindo não tradicionais, não lineares e mais maleáveis. As gerações mais antigas, principalmente, estão entrando e saindo da força de trabalho em vários momentos distintos. Segundo a empresa, oferecer a profissionais sêniores mais opções de aposentadoria ajuda a reter os talentos com mais experiência, facilitando com o que o conhecimento adquirido seja passado adiante.

A proposta da aposentadoria por fases é impedir a perda de conhecimento institucional, fazendo com que os colaboradores mais antigos trabalhem menos enquanto começam a ter benefícios de aposentadoria. A MetLife analisa que essa estratégia diminui o estresse da aposentadoria e da falta que os funcionários fazem para a empresa.

A aposentadoria não deve ser uma questão negligenciada pelas empresas. Após a Reforma da Previdência, a busca pelo planos de previdência privada tem aumentado. De acordo com dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), o número de contribuições aumentou 23,4% em agosto de 2019, em relação ao mesmo mês do ano anterior. Também houve um aumento de 2,2% no número de contribuintes.

Isso demonstra uma preocupação dos brasileiros com o futuro e as empresas que consigam oferecer aposentadorias flexíveis para seus colaboradores terão uma grande vantagem competitiva sobre as demais, independente do seu tamanho. Também segundo a FenaPrevi, os planos empresariais já correspondem a aproximadamente 23,5% dos planos coletivos de previdência privada, oferecidos em forma de benefícios aos colaboradores.

E oferecer o benefício não é caro como as empresas acreditam.Organizações que trabalham com a modalidade lucro real em sua contabilidade podem pagar o plano de previdência privada com montantes que iriam para impostos, sem precisar incluir um gasto mais. Já aqueles que trabalham com modelos diferentes, investem cerca de 4% a 8% da folha de pagamento para manter a previdência.

Mais de 80% que recebem esse benefício estão satisfeitos, de acordo com levantamento da  GoBRZ Consultoria Empresarial. As organizações que optarem pela previdência privada possuem a possibilidade de pagar menos impostos e possibilitar que seus colabores possuam um retorno monetário maior no longo prazo, além da flexibilidade de poder escolher a periodicidade e o valor da contribuição, colaborando com o plano de aposentadoria por fases.

Cuidado com a saúde

Um levantamento da agência de seguros Mercer Marsh descobriu que 61% dos profissionais se preocupam mais com a própria saúde do que crescimento na carreira ou acúmulo de dinheiro. Na contra-mão, apenas 14% das empresas consideram benefícios corporativos relacionados a saúde e bem-estar como prioritários.

De acordo com o relatório, empresas que olham para saúde e bem-estar como benefícios para funcionários, aumenta o valor das ações da companhia. Esse tipo de incentivo ajuda os colaboradores a economizar com problemas de saúde, prevenir futuras doenças, estarem mais dispostos no trabalho e evitarem faltas.

Segundo a empresa de pesquisa de opinião norte-americana Gallup, os benefícios mais comuns nos Estados Unidos são os relacionados à saúde como seguro de saúde, segura de vida e auxílio doença. No levantamento “Hábitos e impactos da saúde financeira dos trabalhadores nas PMEs” da fintech Zetra, os planos de saúde ou odontológicos lideram a lista dos benefícios mais desejados.

Programas de educação financeira

O levantamento “Hábitos e impactos da saúde financeira dos trabalhadores nas PMEs” da fintech Zetra, também percebeu uma grande demanda dos colaboradores para que as empresas a ajudem a organizar suas vidas financeiras.

Quase 90% dos entrevistados acreditam que o crédito consignado (empréstimo que é descontado direto da folha de pagamento) é um benefício relevante que deveria ser oferecido pelas empresas. Contudo, 70% afirma que o local onde trabalham não oferece esse tipo serviço.

Outros dados preocupantes da pesquisa mostram que quase 60% dos trabalhadores não ganham o suficiente para se sustentar durante o mês e 21% fazendo uso do crédito especial para pagar as dívidas. Além disso, 84% desses profissionais não possuem reservas financeiras maiores que R$ 10 mil.

O estresse financeiro causado por essa conta faz com que o rendimento dos trabalhadores caia. Cerca de 74% relatam que as dificuldades financeiras aumentaram o estresse na vida pessoal e profissional, 34% possui insônia e 32% se tornou mais irritadiço. Muitos deles também relatam se isolarem dos colegas.

Todos esses fatores atrapalham o desenvolvimento de um ambiente de trabalho harmônico e no bom desempenho do colaborador. Em um cenário em que 66% dos brasileiros estão endividados, as empresas que ofereçam soluções voltadas para a educação financeira e facilitem opções de crédito (como o consignado) tendem a se destacarem e atrair mais talentos.

Incentivo ao conhecimento e desenvolvimento

Segundo dados do grupo de recrutamento especializado Page Personnell, o benefício para funcionários mais desejado pelos colaboradores são medidas que contribuam para o desenvolvimento de competências e do crescimento profissional. Empresas que oferecem

formação de pessoal, descontos ou incentivos à especialização e bolsas de estudos são extremamente valorizados pela força de trabalho.

A pesquisa ainda demonstra que o incentivo à educação é o 6º benefício corporativo mais oferecido atualmente. E não à toa, as constantes mudanças no mercado de trabalho exigem que os profissionais se mantenham atualizados e aprendam novas habilidades. Incentivar essa busca pelo conhecimento faz com que as empresas tenham talentos mais qualificados, satisfeitos  e competitivos.

Flexibilidade no trabalho

Ainda de acordo com o estudo da Page Personnel, possuir flexibilidade de trabalho é um dos benefícios para funcionários em alta. Essa flexibilidade compreende tanto a questão dos horários como a possibilidade de fazer trabalho remoto (ou home office). A modalidade já é defendida por pesquisadores renomados, como Nicholas Bloom da Universidade de Stanford.

Ele descobriu que os trabalhadores que contam com o home office tendem a aumentar sua produtividade em 13%, além de adoecerem menos e se sentirem mais satisfeitos. Esse também é um dos benefícios mais desejados por melhorar a qualidade de vida dos profissionais. Para as organizações, o modelo é vantajoso pois um funcionário que trabalha em casa custa a metade do um alocado em um escritório.

Auxílio alimentação

Se alimentar é umas das prioridades do trabalhador brasileiro, tanto que os vale-refeição e alimentação aparecem como o segundo benefício mais desejado pelos brasileiros, ao lado do incentivo à educação, de acordo com o dados da fintech Zetra. Além disso, o estudo também revelou que esse é o benefício para funcionários mais oferecido pelas empresas.

Para os funcionários, o vale-alimentação diminui despesas, pode promover a alimentação saudável e integrar colaboradores que buscam locais em comum para se alimentar. Ao contrário do que muita gente acredita, o vale-alimentação (ou refeição) não faz parte dos benefícios obrigatórios previstos na CLT, como o vale-transporte. Ainda assim, a lei determina que o benefício, caso seja  concedido, não deve ultrapassar 20% do salário do colaborador.

Como escolher os melhores benefícios para a sua empresa?

Para entender quais benefícios para funcionários seriam mais adequados é preciso compreender quais são as maiores necessidades dos colaboradores e em que extensão a empresa pode ajudá-los, levando em conta as necessidades pessoais, profissionais e oportunidades de crescimento.

Uma estratégia indicada é envolver os funcionários no processo de decisão. Os gestores podem disponibilizar um questionário e perguntar mais são os benefícios mais desejados, ressaltando para os colaboradores como a participação deles irá beneficiá-los. Isso é facilitado com culturas de trabalho que valorizem a comunicação e o engajamento de seus profissionais.