Short Friday: o que é, como funciona e porque ele aumenta a produtividade e o engajamento do colaborador

Por Redação Onze

Short Friday

Exigir que os colaboradores cumpram à risca a carga horária pré-determinada é visto pelas empresas modernas como um método de trabalho ultrapassado e ineficiente. Proporcionar liberdade e saúde mental têm gerado resultados muito melhores – e assim novas formas de trabalho como o Short Friday estão se tornando cada vez mais usuais.

O Short Friday é um tipo de benefício flexível que melhora a qualidade de vida dos funcionários e resulta em uma equipe mais feliz e produtiva. Ao contrário do que se imaginou no passado, com mais tempo livre os colaboradores tornam-se ainda mais engajados e dedicados à empresa e o próprio ambiente de trabalho é beneficiado.

Mas o que é e como funciona, afinal, o Short Friday? É um benefício previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT)? E por que sua empresa deveria adotá-lo?
Siga conosco para encontrar as respostas!



O que é Short Friday

O termo em inglês Short Friday pode ser traduzido como “sexta-feira curta” – e é exatamente isso o que este benefício oferece aos colaboradores de uma empresa: a possibilidade de serem liberados mais cedo às sextas-feiras. É diferente do Day Off, que refere-se a um dia de folga remunerada em qualquer dia da semana.

A ideia do Short Friday é dar aos profissionais mais horas para que descansem e cuidem dos compromissos pessoais. Na prática, é um acordo entre empresa e funcionário que pode funcionar de várias maneiras:

  • Liberando os colaboradores após o horário de almoço, após as 15h ou após as 16h às sextas-feiras;
  • Promovendo o Short Friday uma vez por mês, a cada quinze dias ou em todas as sextas-feiras;
  • Compensando entre segunda e quinta-feira as horas de trabalho que serão poupadas às sexta-feiras;
  • Promovendo reuniões extraordinárias para compensar as horas de trabalho poupadas.

A capital da Islândia, Reykjavik, foi uma das pioneiras nesse tipo de iniciativa. A queda do estresse e o aumento da produtividade advindos da redução na jornada de trabalho foram tão significativos que a medida inspirou a propagação do Short Friday no restante do mundo – inclusive no Brasil.

O Short Friday na CLT

A legislação trabalhista brasileira não aborda diretamente o Short Friday: a CLT determina somente que a carga horária semanal máxima deve ser de 44 horas.

Trata-se, portanto, de um benefício que o empregador pode optar por oferecer de forma espontânea e fica a seu critério a necessidade ou não de compensar em outro dia as horas que foram poupadas.

Além de entrar em acordo coletivo com seus próprios colaboradores, geralmente é preciso que a empresa também entre em acordo com o sindicato da classe antes de oferecer o Short Friday.

Por que adotar o Short Friday

Não é à toa que cuidar da qualidade de vida dos colaboradores tornou-se a prioridade das grandes empresas: falta de tempo, estresse financeiro e preocupações pessoais geram resultados negativos e problemas de relacionamento no ambiente de trabalho. Assim, benefícios flexíveis como o Short Friday surgem como ferramentas valiosas na gestão de pessoas.

Uma pesquisa da RH Randstad mostrou que, com a implementação do Home Office durante a pandemia do Coronavírus, houve um aumento geral de 20% na produtividade. A mesma lógica vale para o Short Friday: com mais tempo para cuidar da vida pessoal, o profissional atua com a mente mais tranquila e tem uma performance melhor.

Outra vantagem do Short Friday é a chance de atrair e reter os melhores talentos do mercado – colaboradores capacitados e eficazes que, neste renovado perfil para grandes profissionais, almejam flexibilidade e tempo livre para dedicarem-se ao máximo à carreira.
Isso faz com que o Short Friday resulte em:

  • Mais engajamento, motivação e produtividade de toda a equipe;
  • Redução nos custos com absenteísmo, problemas de saúde e Turnover;
  • Melhora do ambiente de trabalho e do clima organizacional;- Employer branding e boa reputação no mercado;
  • Atração e retenção dos melhores talentos.



Sobre a Onze

Além do Short Friday, existem muitos outros benefícios flexíveis que uma empresa pode oferecer para melhorar a rotina de seu colaborador. Ajudá-lo a poupar dinheiro e a construir um patrimônio sólido, por exemplo, não só traz saúde mental e financeira como estabelece um vínculo entre colaborador e empregador.

A Previdência Privada Empresarial é o benefício corporativo ideal para estabelecer essa união: oferecido pela Onze, a Previdência Privada Empresarial está entre os três benefícios que mais atraem e retêm talentos segundo a pesquisa Tendências de Benefícios 2022 – à frente, inclusive, de horário flexível.